quinta-feira, 31 de maio de 2012

DOS DISCURSOS POLÍTICOS

Uma coisa está muito clara: a mudança nos discursos dos políticos. Enquanto ouvia Paulo Meller, Valdir Cobalchini, Clésio Salvaro, Eduardo Moreira e Raimundo Colombo falarem, hoje, relembrei de Leonel Brizola, Tancredo Neves e Ulysses Guimarães.

Os antigos falavam longamente, movidos pela paixão ou querendo provocá-la. Buscavam demover o povo da letargia para uma cruzada de lutas contra inimigos da Nação. Falavam de conquistas, de justiça e injustiças, da luta de classes, das disputas contra grupos que só queriam o mal do povo. E a turba reagia positivamente, enchia-se de energia, e gritava entusiasmada.

O que vemos hoje são falações pautadas na informação. Dão números, falam de projetos, relembram obras e seus desafios. Sim, muito melhor hoje que aquela papagaiada ala Getúlio Vargas.

Não há problemas nos discursos de hoje. São honestos dado o nível de informação e heterogeneidade da platéia (a oposição está ali também). Tampouco são ovacionados. No máximo aplausos contidos. A política vai muito além dos discursos e eles não ameaçam, apenas mostram uma mudança significativa para melhor, na minha avaliação.

CONSEG realiza palestra em Criciúma (foto)

Foi realizada na noite de ontem, 30, pela Coordenadoria Estadual dos Conselhos Comunitários de Segurança (CONSEG), palestra da delegada de polícia Vanessa de Oliveira, e pelo Tenente Coronel PM Luíz Ricardo Duarte, na Casa de Eventos do bairro Rio Maina, em Criciúma. Autoridades civis e militares, e membros dos CONSEG local estiveram presentes.

A palestra tratou sobre o papel do CONSEG, como pode atuar na segurança local. A discussão indicou algumas dificuldades que os conselhos enfrentam: definição do seu papel na segurança local e das formas de atuação, identificação das dinâmicas criminais, integração com a comunidade, identificação das parcerias, desenvolver planos de segurança com características locais.



Outro tema da palestra foi “Segurança Pública: O que é que eu tenho haver com isso?”, onde o palestrante ressaltou a importância de cada um no que tange a segurança pública, partindo da concepção de que a prática deve ser acompanhada de reflexão, onde a discussão sobre a segurança deve ser fundamentada na complexidade das práticas que envolvem a sociedade e o Estado. O palestrante ainda ressaltou que a segurança pública deve ser tratada de forma ampliada, não sendo questão apenas de polícia e Estado, mas contando com o envolvimento da sociedade civil organizada, através de uma verdadeira participação cidadã.

SD Gisele
RP 9º BPM

terça-feira, 29 de maio de 2012

PIO CORREA X CAPSi

Estive no 9º Batalhão de Polícia Militar, hoje, em conversa com o Coronel Cabral e o Capitão Fraga. Fui verificar as ocorrências no bairro Pio Corrêa, haja vista a ''denúncia'' da associação de moradores, dando conta da presença de pessoas de índole duvidosa na comunidade por conta da CAPSi em matéria do Jornal da Manhã, dia 25 de maio. Não há, na matéria, a menção do aumento de criminalidade. Porém, só a presença de pessoas estranhas, por si só, não caracteriza coisa alguma. O fato está em se houve ou não aumento de ocorrências policiais.

Nos números analisados não há qualquer indicação de aumento de ocorrências envolvendo a PM. Pelo contrário, há casos, mais propensos ao suposto perfil de clientes do CAPSi, como o de pequenos delitos contra transeuntes, que caíram nesses cinco primeiros meses de 2012 em relação ao mesmo período de 2011, por exemplo. O tipo de ocorrência de maior número nesse bairro é a perturbação do sossego com 40% das chamadas no 190. Furto a residências representa menos 10%, que seria o mais grave, já que nenhum homicídio foi registrado no período em que o Centro está no bairro. Ou seja, o que realmente incomoda o povo do Pio Corrêa é som alto de carro. E neste quesito é razoável pensar que sejam rapazes do próprio local.

Porém, para o Comandante Cabral o CAPS, de uma forma geral, é um fator que pode gerar pequenos delitos na comunidade, pois atende usuários de drogas, os quais podem cometer crimes para financiar seu vícios. A sugestão do Comandante é que o Centro esteja em local onde a polícia concentra mais sua atuação, como o centro da cidade.

SALVARO MATA DOIS COELHOS

De bobo o prefeito de Criciúma, Clésio Salvaro (PSDB), tem pouco. Sua administração tem um ingrediente que corre por fora e ainda não topei com comentários a este respeito. Então vamos às minhas suposições, não tão irreais...

A contas da sua administração tem gerado suspense. Faz coisa de um ou dois meses documentos da contabilidade do Paço foram apreendidas. É fato que a arrecadação não está aquela maravilha, pelo contrário, seu crescimento é menor que de municípios do mesmo porte, como Itajaí e São José (vide manifestação da ACIC em 2011). Além desses detalhes a folha de pagamento cresceu, ao contrário do que apregoado pelo Choque de Gestão da campanha. As autorizações para empréstimos dadas pela Câmara de Vereadores no final de 2012 foram assustadores (confira aqui).

É fato que os investimentos são vultuosos e não há fôlego para manter o ritmo, mesmo que, como agora, Criciúma conte com financiamentos. Os investimentos vão cair e com isso aumentará a insatisfação do povo. Mas há mais na política que tijolos e cimento.

Caso seja mesmo reeleito estará no paço por um ano e meio e o restante do mandato será por conta de Márcio Búrigo (PP), virtual candidato a vice-prefeito. Ou seja, não estará aqui para dar as explicações ao povo. Búrigo, como participante da atual administração, ficará amarrado sem poder dizer que a receita do município estaria comprometida com o pagamento de financiamentos etc. Isso aconteceu com Paulo Meller.

DOIS COELHOS

Salvaro passará como tocador de obras e Márcio Búrigo como péssimo prefeito. O peessedebista alça voo para o governo do Estado e elimina a possibilidade de seu sucessor ser uma sombra às suas pretensões políticas numa possível volta ao Paço.

sábado, 26 de maio de 2012

ROMANNA ACUSADA (NOVAMENTE)

É muito bom passar pelo café do Rubinho no Della sábados pela manhã. Ali se mede muito da política, ouve-se de quase tudo... Como não poderia deixar de ser ouvi mais uma acusação contra Romanna Remor, na mesma linha de outras, com o mesmo tipo de origem. Desta vez de que teria recebido 400 mil reais de Eduardo Moreira para filiar-se ao PMDB.

O sr. que me passou isso fez um desafio: se eu votaria nela depois disso. Foi mais além, aludiu à possibilidade de eu ter parte nesse dinheiro caso a apoiasse. Em princípio respondi duas coisas: que eu não sabia desse pagamento (na hora me ocorreu algum tipo de recurso público), e, que eu tinha um futuro, nesse futuro estavam meus filhos e que eu não quero que tenham esse tipo de mancha no que veem em mim. Como o advogado Paulo Moura Ferro participava do diálogo voltei-me a ele e disse que precisaria saber de onde viriam esses recursos, se foram de forma Legal e no que seriam aplicados.

Em seguida a conversa tomou outro rumo e me afastei ao perguntar se ele votaria em Clésio Salvaro. Ao ouvir que ''sim'' eu encerrei dizendo: ''caso típico de moral de cuecas!''

Em seguida ele voltou a me questionar, já noutra roda de conversa. Perguntei-lhe três vezes se tinha provas. Foi aí que me disse: "eu ouvi de Luiz Dal Farra e eu confio nele". Também tenho imagem altamente positiva de Dal Farra. Para mim é pessoa que mantém sua idoneidade, independente de caminhar por este ou aquele entendimento político. O tal senhor se foi e logo chega o Luiz, o qual indaguei imediatamente se havia dito tal coisa.

Luiz Dal Farra afirmou ter ouvido isso de Clésio Salvaro...

sexta-feira, 25 de maio de 2012

PM LANÇA RONDA PREDIAL

9º BPM faz parceria com Síndicos para início da Ronda predial

Em reunião realizada no último dia 23 de maio, na sede do 9º BPM, com síndicos de edifícios de Criciúma que possuem vigilantes no período das 22 às 0600H, foi iniciado mais um projeto do Programa rede de Segurança. Agora já são 07 projetos do total de 10 que compõem o programa.

Mais de 50 edifícios foram represntados na reunião do projeto de Ronda Predial, que consistirá em um treinamento de 04 horas aula, a ser realizado no 9º BPM, para os vigilantes dos edifícios, que passarão a receber a ronda durante a madrugada.

Para o Ten PM Marcelo Rodrigues, coordenador do projeto, o importante do mesmo não são as rondas em si, mas sim a parceria e a proximidade que será estabelecida com estes trabalhadores, que as vezes possuem muitas maneiras de apoiar o trabalho policial, mas pela falta de iniciativa e incentivo da própria instituição ficam sem contato, principalmente entre 22 e 06 horas da manhã. Com esta aproximação temos a certeza de que teremos mais parceiros, mais pessoas de bem que nos ajudarão a construir segurança pública em Criciúma.

Coronel Cabral coordenou a reunião

Foi unanimidade entre os síndicos presentes na reunião o apoio e a surpresa com a iniciativa por parte da PM. Todos se mostraram bastante satisfeito com a possibilidade de participarem da construção desta grande rede em prol da segurança pública em Criciúma.

E para que o programa fique completp ainda falta o início de três projetos que são a Ronda Penal, em parceria com o poder Judiciário, o batalhão Mirim, em parceria com o Gabinete de Gestão Integrada e Bairro da juventude e a Ronda Programada, em parceria com as associações de moradores dos vários bairros de Criciuma.

Sd Gisele Delfino
Seção de Comunicação Social do 9º BPM
3431-7406

quinta-feira, 24 de maio de 2012

DEPOIS DOS 40

Daqui uns dias completo 46 anos. Isso é significativo para mim. A vida depois dos 40 é emblemática.

Estava num show de death core dia desses e um guri, de uns 20 anos, disse que só Jesus preenchia o vazio da vida. Pode ser. Porém, ele ainda não sabe o que é vazio da vida. Aos 40 anos o choque da existência mostra o que é vazio. É nessa fase da vida que se fica sem chão, independente de quaisquer circunstâncias. Sim, aos 40 ficamos sem chão. Aos 40 encontramos o vazio. É a virada da vida. Nada mais chocante e aterrador que saber que pode ter mais de passado do que de futuro. É o momento em que há a freada de arrumação no busão da vida. Arrumação ou desarrumação. Uns se desarrumam.

Há muita coisa sobre as lobas, mulheres de 40, mas pouco sobre os homens. Arrisco-me a tatear sobre essas águas turvas da masculinidade, quando o cara pensa que talvez não seja macho o suficiente ou que é macho pra todos os gostos. E peço licença às meninas de plantão para ser macho no texto.

Motivado pela personal sex Rita Rostirolla criei coragem para escrever sobre as mulheres de 40, as lobas. Quando a Rita lançou o desafio imediatamente eu disse que isso seria uma confissão dos meus desejos. Evidente que isso perpassa o texto. Alguém já disse que os livros são sempre autobiografias. Concordo. E, portanto, tudo que escrevo é uma forma de autobiografia, de confissão, de nudez. Minha sorte é a incapacidade de ''ler'' da maioria das pessoas. Ao tentar falar delas me ocorreu que deveria falar de mim, um homem de 46 anos, seis anos de experiência em plena crise dos 40. Ela não acabou!

Vale lembrar que nunca uma mulher me perguntou o que seria a vida ou a sexualidade para um homem na minha idade. Uma pena... Dá a impressão que elas já sabem. Pode ser.

Minha crise é profissional, sexual, conjugal, paternal, existencial numa mistura que não entendo ou sequer consigo diferenciar uma de outra. Quero conquistar, lamento as oportunidades perdidas, os erros infantis, os erros da indecisão, os erros das decisões, os erros que não errei, os erros dos outros sobre mim. Conto vantagens dos acertos como uma desesperada afirmação de mim mesmo. Afinal, se há um pedacinho de boia é nela que me agarro. Tipo: encontrei com a atriz Débora Bloch num caixa eletrônico em São Paulo e a Débora Secco me beijou (no rosto) num hotel em Floripa, um cara fotografou quando ela me abraçou e não o acho pra pegar a foto. Enfim, coisas inúteis que algum mentecapto dá valor. Ou algo como ser amigo do amigo do amigo...

Seria capaz de encantar uma mulher? O casamento interrompeu o traquejo da juventude e desfalece o desafio de conquistar a mesma repetidas vezes. Se bem que eu jamais aprendi a abordar uma mulher. Uns raros da minha idade se mantiveram aptos na arte da conquista. Ainda mais inseguro, ou me achando bom de cama além de babar muito bem no travesseiro, fica a dúvida.

Evidente que há considerável variedade sobre a maneira como os homens encaram a vida. Os religiosos, devotos, têm todas as certezas que o nada da religião pode dar. Os políticos anulam boa parte desses detalhes com o esforço empreendido na conquista do poder. Os empresários na luta para manter seus empreendimentos ou com planos de novos não têm tempo, ou pouca atenção dão nessas viagens que eu empreendo com prazer lúdico - como se brinquedo fosse. Há os que têm poucas expectativas na vida, que se acomodam com o que possuem, com a vida que o casamento proporcionou ou na satisfação em ver o desempenho de seus filhos. Enfim, não faltam mecanismos que anestesiam a consciência diante da agressividade de viver. O mundo é muito maior a cada dia é o conhecimento que me faz sofrer, sem que queira voltar à ignorância.

Creio que uns raros, como eu, se dedicam a observar a vida nos mais variados aspectos. Por outro lado, seria tolice imaginar que arrazoar sobre a existência cobriria o mar de desejos mantidos latentes. Não, com certeza não. No vigor físico que me resta, apadrinhado pela experiência, hetero convicto, desejos ainda não realizados me movem... Ainda mais sabendo que lobas circulam por aí, cujos maridos não dão conta do recado ou têm outros interesses. Ah, mas sou casado! Sim, mas isso não anula os desejos, ''apenas'' limita quase por completo que se realizem.

Contudo, os prazeres da vida, para mim, não passam por conquistas profissionais e muito menos materiais. Não me atrai a ideia de uma bela casa, mas de uma bela moto. Entre uma sala ou um quarto confortáveis eu fico com uma barraca num acampamento. Entre uma profissão que me dê mais grana eu prefiro ter menos grana e mais folga. Diante de livros técnicos eu prefiro os filosóficos. Talvez falte reconhecer que seja preguiçoso, que desista diante da dificuldade de ter sucesso financeiro e encontre justificativas para o insucesso. Tudo bem, sempre achei tão árduo o caminho do enriquecimento que dele desisti sem ao menos tentar.

Sim, os testemunhos de quem abriu seu coração ao final da vida dão conta de que deveriam ter trabalhado menos e amado mais... Como eu disse, observo a vida e isso me leva a ver também o que os outros consideram sobre ela, não no anseio da juventude, mas no olhar sereno da maturidade.

A morte é a derradeira mensagem da vida: desista!

André.

INDISPONIBILIDADE DE BENS DOS ACUSADOS

Segue texto do Portal Engeplus. Depois comento.

"O juiz Rogério Mariano deferiu a solicitação do promotor Ministério Público do Estado de Santa Catarina, Maurício Medina, e tornou indisponíveis os bens dos cinco denunciados no caso da CPI do Esgoto e da repavimentação das vias em que foi construído o sistema de esgotamento sanitário em Criciúma. O pedido busca ressarcir os danos ao município de mais de R$ 1,2 milhão que teriam sido causados por uma licitação possivelmente realizada de forma errada e que beneficiou parentes e membros de partidos políticos ligados ao Governo do Município.

Tiveram os bens bloqueados os cinco denunciados pelo Ministério Público: o ex-secretário de Infraestrutura de Criciúma, Abrahão Artur de Souza; o diretor de logística e presidente da Comissão de Licitação da prefeitura, Luiz Juventino Selva; o servidor da secretaria de Infraestrutura Nilton João Spillere; o ex-servidor Woimir Wasniewski Junior e o empresário Hudson Ricardo Colonetti, proprietário da empresa de artefatos de cimento Artevila.

Em um trecho do documento que determina a indisponibilidade dos bens, o juiz ressalta: “Os fatos explanados no caderno processual, acompanhados da vasta documentação amealhada, indicam a existência de um programa estruturado e organizado para o desvio de recursos públicos, no qual os requeridos Abrahão Arthur de Souza e Luiz Juventino Selva assumiram as funções de mentores e organizadores, e o requerido Hudson Ricardo Colonetti e a empresa Artevila Artefatos de Cimento Vila Nova Indústria e Comércio Ltda. Representavam o canal para onde os recursos eram encaminhados (ao menos em um primeiro momento, consoante o que restou apurado). Já os demandados Woimir Wasniewski Júnior e Nilton João Spillere possuíam funções menores (embora igualmente fundamentais), inserindo nos Relatórios de Medições dados inverídicos, a mando dos demais réus, tendo ciência da ilicitude de suas condutas”.

Os denunciados terão, agora, um prazo para apresentarem suas defesas."

A justificativa do juiz por si só seria uma condenação. Não o é por questões óbvias. Note que disse: "...explanados no caderno processual, acompanhados da vasta documentação amealhada". Isso remete à culpabilidade. Em tudo que se viu o que falta é apenas a determinação do tamanho da pena, pois a culpa está clara, claríssima.

O que faltou na disposição do promotor Maurício Medina foi um pedido de fastamento dos servidores que ainda estão no Paço, principalmente de Selva, como um dos "mentores e organizadores".

quarta-feira, 23 de maio de 2012

SALVARO, TU LEMBRA DE ITAMAR FRANCO?

A permanência no cargo de Luiz Joventino Selva, chefe de Licitação do governo Clésio Salvaro (PSDB), é de todo reprovável. Duas características do fato: a personalidade do prefeito, conhecida como inflexível; e, a própria noção de dignidade de Selva, que foi coronel do Exército Brasileiro. Porém, essa ladainha, os protestos deste blogueiro e de outras tantas pessoas e jornalistas pode dar resultado. É o que se espera. Calados, passivos, é que não devemos ficar. Sobre esse assunto há algumas considerações.

Nas explicações de Salvaro, conforme Portal Engeplus, ele afirma que “não nos pautamos por esse tipo de pressão. Aqueles que servem ou serviram ao Governo terão oportunidade de se defender”. Muito bem, não há qualquer, mínima que seja, possibilidade de não se defenderem e não é a permanência, ou não, no cargo que muda isso. Direito de defesa é reguardado pela Constituição.

Além disso, o prefeito disse que “todo o processo licitatório foi de acordo com orientação do Tribunal de Contas do Estado. Agora, aqueles que foram denunciados terão toda a tranqüilidade de apresentar as suas defesas.” Ou o prefeito não tomou conhecimento do inquérito, ou fez uma avaliação absolutamente parcial. O TC não manda fraudar documentos! O TC orienta em relação ao processo, não ao conteúdo dos documentos, o que deve estar escrito.

Entre seus argumentos para não exonerar Selva ele citou a Ideli Salvati. O caso da ministra das Relações Institucionais, é imensamente diferente, pois não há documentação que a condene. O fato de receber doação de campanha de uma empresa que vendeu para o Ministério da Pesca, que ela esteve à frente, não tem em si mesmo erro, nem crime. O que há é uma coincidência de fatos, mesmo que absurda, mas sem ilicitude. Ninguém pode ser condenado pela relatividade moral. No caso de Criciúma é documental e se o MP levasse em consideração a relatividade moral o próprio prefeito estaria indiciado.

Apesar do jogo de palavras de Clésio Salvaro, típico do político rasteiro, é bom lembrar que pela política também passam pessoas de boa índole e de um mínimo de vergonha na cara. Como mostra o texto a seguir.

"Ex-chefe da Casa Civil no governo Itamar Franco, Henrique Hargreaves se tornou uma exceção ao decidir deixar o cargo temporariamente quando se tornou alvo de denúncias públicas. Citado como possível envolvido em um escândalo de desvio de verbas do governo federal, investigado pela CPI do Orçamento, Hargreaves preferiu deixar o cargo – segundo ele, para não prejudicar o presidente.Depois de todas as investigações, nada foi concluído contra o ministro, que acabou retornando ao posto e ganhando elogios por ter se afastado durante o período de acusações." Gazeta do Povo.

Pede pra sair Selva, pede pra sair!!!

terça-feira, 22 de maio de 2012

A VERDADE SOBRE CACHOEIRA

O irônico do silêncio de Carlos Cachoeira na CPI é que segue orientação de seu advogado, o ex-ministro da JUSTIÇA do governo Lula, Márcio Tomaz Bastos.

Então nos resta falar por ele:

O Cachoeira é especialista em cascata!

A Verdade, no depoimento de Cachoeira na CPI, vai por água abaixo.

Do Cachoeira na CPI: tem muita água pra rolar!

Tema da novela Cachoeira: Terra, planeta água!!!

O Cachoeira vai se mudar pra Araranguá, pra comunidade de Sanga da Toca.

Perguntaram pro Cachoeira se ele era corrupto. Ele respondeu: dessa água não bebo.

Cachoeira é coisa que não entra pelo cano.

Do Cachoeira na CPI: "Eu só canalizei recursos."

Sr. Cachoeira, o sr. cooptou políticos?
Sim, mas a conta gotas.

Sr. Cachoeira, o sr. desviou recursos públicos?
Sim, mas para o meu saneamento básico e irrigação artificial das contas de políticos.

No caso Cachoeira o PT, DEM e o PSDB tem telhado de vidro com goteira.

Sr. Cachoeira, o sr. é um homem de sorte?
Não, é que choveu na minha horta!

O governo investe em barragens porque na natureza tem pouca Cachoeira.

Cachoeira depende de lençol frenético.

Não é de hoje que o governo tenta esconder Cachoeira. Em Itaipu foram sete de uma vez.

Começa com uma cascata, depois vira Cachoeira.

Sr. Cachoeira, o sr. vai ficar em silêncio?
Sim, não quero tempestade em copo d'água.

Sr. Cachoeira, o sr. fraudou o erário em milhões!
Sim, mas sou uma gota no oceano.

Alô, Cachoeira? Vem tempestade por aí!
Calma, deixa a barragem vazar pelo ladrão.

Sr. Cachoeira, o sr. cooptou políticos?
Não, só molhei a mão de alguns.

Políticos de Brasilia temem os vazamentos do Cachoeira

Na tribuna do Senado um discurso: "Quem nunca tomou banho de Cachoeira..."

E o quê aconteceu Demóstenes? Quase me afoguei!

Cachoeira não fala, derrama dinheiro.

Se Cachoeira falar respinga em meio mundo.

Cachoeira no final do seu depoimento: "Vazei!"

Cachoeira tem muitas fontes, vertentes e afluentes. Não dá pra ter certeza quem o alimenta, mas se sabe quem se alimenta dele. Uma coisa é certa: uma vez Cachoeira, sempre seguirá seu curso.

O AUGE DA VIDA SEXUAL DAS MULHERES

Mulheres de meia-idade são mais ativas sexualmente e atingem o orgasmo com mais frequência do que as mais jovens, aponta um estudo realizado pela Universidade de Hackensack, nos Estados Unidos.

A pesquisa, publicada no periódico British Journal of Urology, mostra que as pessoas do sexo feminino entre 31 e 45 possuem uma vida sexual melhor do que o grupo de mulheres que vão de 18 a 30 anos.

O levantamento, liderado pela cientista Debra Fromer, foi baseado nas respostas de 587 mulheres, de diferentes idades, dos Estados Unidos. Segundo dados divulgados por Fromer, as mulheres mais jovens, além de possuírem maiores intervalos entre uma relação e outra, também são as que têm mais dificuldade de chegar ao orgasmo.

A conclusão do estudo americano não é inédita. Uma pesquisa realizada na Turquia e um levantamento, encomendado pela revista britânica Top Sante, também mostraram que mulheres acima dos 40 testemunham o melhor momento sexual de suas vidas.

Para muitos especialistas, é na meia-idade que as mulheres atingem sua confiança sexual. É aos 40, afirmam sexólogos, que elas sabem o que querem na cama e não têm medo de compartilhar com o parceiro seus desejos.


O que já se sabia sobre o assunto

O sexo sempre foi um assunto recorrente na psicologia, especialmente entre sexólogos, especialistas em identificar disfunções no que pode ser considerado um dos pontos altos da relação humana.

Para o sexólogo Oswaldo Martins Rodrigues Junior, diretor do Instituto Paulista de Sexualidade, a conclusão do estudo faz todo sentido, já que é preciso maturidade para se aprender a fazer sexo. “Sexo precisa ser aprendido na espécie humana. Não é algo ‘natural’ como a maior parte das pessoas tende a julgar”, explica o especialista.

A experiência faz toda a diferença na vida das pessoas, principalmente quando o assunto em voga é o polêmico sexo. “Se a mulher tiver uma década para aprender a fazer e como ter orgasmos, esse será o momento em que tirará maior prazer da vida sexual”, aponta.

Há algumas ressalvas, no entanto, ressalta Martins. “O aumento de idade e de estados depressivos, que exigem tratamento a base de antidepressivos, atuam negativamente na vida sexual da mulher. Eles diminuem o desejo e dificultam o orgasmo.”

O sexólogo ainda alerta: mulheres que querem aproveitar a vida sexual no período da menopausa precisam procurar um médico para a prescrição de reposição hormonal, quando necessária, além de não relaxar na prática de exercícios físicos. “Se não houver atividade física para melhorar a condição aeróbica o sexo será muito limitado. A redução de posições sexuais, de abertura de membros e de movimentação comprometem a satisfação e, consequentemente, o orgasmo”.

Especialista: Oswaldo Martins Rodrigues Junior, diretor do Instituto Paulista de Sexualidade.

Envolvimento com o assunto: É psicológo e sexólogo e já atendeu inúmeros casos de mulheres que se queixam da vida sexual em seu consultório.

Conclusão

Aos 40, as mulheres não só testemunham o auge de suas carreiras, como também desfrutam do melhor sexo de suas vidas. Com filhos criados e uma situação financeira estável, elas aproveitam o momento e provam para si mesmas que é possível envelhecer com qualidade, sem deixar para trás o prazer sexual. Com a saúde em dia e com um estilo de vida saudável, a chegada na “idade da loba” só mostra que o melhor mesmo ainda está por vir. Divirtam-se, mulheres!

Por Renata Honorato

segunda-feira, 21 de maio de 2012

A DEFESA DE SALVARO

Ele faz silêncio, mas seus seguidores muito barulho.

É inimaginável que um prefeito tenha sua administração ligada a desvios de tal monta (fraude, peculato, licitação dirigida, adulteração de documentos e desvio dos cofres públicos de R$ 1,2 milhão), como os apresentados pelo Ministério Público, e tenha no silêncio uma estratégia. Está seguindo seu marketeiro Amarildo Passos, provavelmente. Porém, nas redes sociais a defesa está em campo e fazendo um belo barulho. E o que estariam dizendo?

Reuni três dos principais, senão os únicos, argumentos em defesa do prefeito Clésio Salvaro que pude observar:

1. Não foi citado pelo MP;
2. Prefeito que mais obras fez em Criciúma;
3. Caso da Celesc.

Não há a menor dúvida da não citação do MP no inquérito que apurou as denúncias iniciadas pela CPI do Esgoto, na Câmara de Vereadores de Criciúma. Sobre isso há que se analisar algumas coisas. Primeiro, a Câmara cumpriu com seu papel numa CPI que o próprio prefeito pediu a instalação e quis barrar judicialmente por três vezes. Graças ao bom senso dos juízes suas tentativas não prosperaram. Jogo de cena para dizer que a CPI não fez o que tinha que fazer ou que era meramente política. Talvez isso tenha algum efeito já que nosso povo é extremamente carente de entendimento sobre essas coisas. Segundo, o prefeito não foi citado por uma questão absolutamente óbvia: foram apurados apenas documentos e não haveria qualquer documento com a assinatura dele porque não há mesmo. Tudo acaba girando, no máximo, até os secretários como ficou claro. É o alcance da burocracia: a assinatura do prefeito só vai até a Ordem de Serviço e ainda dependendo do caso nem aí. O MP não levou em consideração as provas testemunhais. Terceiro, se ele não esteve envolvido com isso mostrou, na melhor das hipóteses, que não administra coisa alguma e pode ser facilmente enrolado por seus apadrinhados. Se não sabia era de se esperar uma atitude imediata. Como não exonerou o Luiz Joventino Selva, por exemplo, é porque acredita em sua inocência e isso remete a total desconsideração do Ministério Público. Acredita na palavra do Selva e não nos documentos apurados na investigação. Faz exatamente o papel do marido traído que, diante das fotos e gravações de sua esposa com outro, só acreditaria se pegasse a ambos na cama e nus, porque se estivessem com roupas ainda assim não se daria por corneado. Vindo de um político experiente como Clésio Salvaro só há uma hipótese que faz sentido: crer que a imagem de ''tocador de obras'' vá superar a de falcatrua ou de enganado. E veremos reinar o ''rouba, mas faz'' de que tanto as pessoas de bem têm nojo.

O fato de mostrar muitas obras parece ser uma forma de inocentá-lo. Ora, foi justamente numa obra que o rombo apareceu. Vamos lembrar que Criciúma foi premiada nacionalmente na Saúde com Acélio Casagrande no governo de Paulo Meller e por trabalhos voltados às crianças no governo Décio Góes. É razoável pensar que a máxima de Saúde e Educação não darem votos foi muito bem sacada por Clésio Salvaro. Diriam que construiu duas escolas para educação em tempo integral e vários postos de saúde. Isso é fato e voltamos ao ponto: obras. Em sendo assim, a própria população assegura que isso seja verdade, que Saúde e Educação não dão votos.

O caso em que Eduardo Moreira é acusado de desviar 52 milhões da Celesc quando o assunto é prefeitura de Criciúma é uma relação puramente política. Isso só está ocorrendo pelo fato de Moreira ser oposição neste momento e que seria veladamente omitida caso ambos fosse aliados. Um crime de improbidade administrativa ser levado para o conflito político é uma tentativa de desvio do foco da mais pura falta de argumentos. São casos totalmente distintos, cujo elo é apenas partidário e eleitoral. Isso mostra uma bela dose de desespero. O que se espera do Ministério Público senão que proceda investigação na Celesc da mesma forma? É óbvio que sim.

Por fim, haveria uma articulação do Paço para que ''peixe pequeno'' faça o tumulto nas redes sociais? É possível, mas duvido. Creio que seja uma tremenda vontade de manter o discurso que já vinha sendo feito de louvores à administração Márcio e Eu. É compreensível a dificuldade de retroceder e aceitar que foram traídos, que foram enganados, que foram feitos de idiotas. Havia um certo romantismo de que, enfim, acharam o cara para fazer de nossas pobres vidas uma grande coisa.

Recomendo a postura que tenho adotado: se apoio, muito mais feroz me torno em cobrar decência. E quem receber meu voto terá em mim não a subserviência dos cordeiros, mas a visão e o olfato dos lobos!

ENSAIO SOBRE A PAREDE

Quando estamos diante de uma parede podemos apenas não notá-la. Podemos admirar a pintura, ou o papel de parede que a cobre. Mas podemos ver um pouco mais.

Para tanto é preciso analisar se a cor está em harmonia com o restante da casa. Ou se o papel de parede diz alguma coisa sobre quem ali habita ou por sua beleza em si mesmo. Além disso, podemos analisar o reboco, o tipo de tijolo, o tempo e custo, o alicerce. Podemos também conversar com quem a fez, com quem pagou por tudo e porque de sua existência. Há uma história que envolve essa parede. Ela existe por causa de uma necessidade, para satisfazer alguém. Há um propósito em existir.

Uma parede é muito mais que uma parede. Ela representa vida, representa esforço humano. É fruto de uma ou de muitas vidas. Ela se relaciona com um passado e com um futuro. Quanto tempo ''viverá''? Por quanto tempo será útil? Mudadas as necessidades e as pessoas que dela se servem teria que ser destruída? Que paisagem a parede não deu aos olhos dos passantes? Que frio não esfriou, que chuva não molhou, que calor não aqueceu, que luz não iluminou, que vento não soprou por causa da parede?

Destruída a parede se vai com ela sua própria história e os olhos que, por terem outra coisa diante de si, dela não mais falarão, nem de tudo que representa. Morrem ali os desejos de antes de ser, os desejos que acobertou, os sonhos que passaram por ter que existir uma parede. Os sussurros, gemidos, risadas e confissões, medos e angústias, cujos sons não foram além da parede. Ela refugiou, protegeu e ocultou, segurou quadros e cabos de vassouras, alguém nela encostou a testa e enxugou as lágrimas. Que tantas visões teve a parede?

A parede, com toda a sua frieza e passividade, deu liberdade aos amantes...

Ah, se a parede falasse! Sim, ela teve ouvidos.


sexta-feira, 18 de maio de 2012

SALVARO, DÓIA E CORAL PODEM SER OS PRÓXIMOS

A discussão correu solta hoje nas redes sociais sobre as acusações levantadas pelo Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas de Criciúma (Gaeco), onde atuaram o Ministério Público, Polícia Civil e Militar, que apontam corrupção dentro da Prefeitura de Criciúma.

Evidentemente que dividiu-se em três correntes: quem tem na fala do promotor público Maurício de Oliveira Medina a verdade; os que defendem o prefeito e até comemoram pelo fato de não verem-no citado; e, os politicamente corretos, sob o manto de não ter transitado em julgado e, portanto, não há condenação.

Para relembrar o processo que Medina encaminhará à Justiça, a partir da CPI do Esgoto, acusa o seu fiel escudeiro do prefeito Salvaro, Luiz Joventino Selva, diretor de Logística e presidente da Comissão de Licitação, o secretário à época de Infra-Estrutura e Mobilidade Urbana, Abrahão Artur de Souza, dois funcionáros em Cargo de Comissão, Woimir Wasniewski Júnior e Nilton João Spillere, e o empresário Hudson Ricardo Colonetti, proprietário da Artevila. A investigação chegou a um milhão e duzentos mil reais em desvios. Sendo que o promotor tem certeza de ser maior o desvio, mas ateve-se aos documentos, já que está certo que houve compra irregular de materiais que não foram documentados.

Os que atestam a condenação a partir das acusações do MP se valem do volume de acusações baseadas em documentos (são 10 mil páginas). Tais documentos mostram que das medições corretas dos fiscais para o que foi apresentado há enorme diferença, coisa conferida in loco pela Força Tarefa do MP. Além de uma série de falsificações. Nesse grupo estou. Para mim o julgamento determinará não a culpabilidade, tampouco inocência, mas o tamanho da culpa de cada um, o grau de envolvimento. Além disso, segundo pronunciamento do vereador Douglas Mattos (PCdoB), que presidiu a CPI na Câmara de Vereadores, é preciso arrolar Verceli Coral, que assinou documentos junto com Abrahão de Souza e do próprio Clésio Salvaro, pois há diversos testemunhos que dão conta de suas muitas visitas às obras de repavimentação. Mattos, assim que tomar ciência de todo o inquérito, pedirá um aditivo para que, pelo menos, esses dois sejam indiciados.

Como os arranjos também apontam uma forte ligação de tudo isso com o deputado estadual Dóia Guglielmi (PSDB), esse também deverá ser adicionado ao processo.

quinta-feira, 17 de maio de 2012

1,2 MILHÃO EM DESVIOS DA PREF. DE CRICIÚMA

Prefeito Clésio Salvaro não foi enquadrado pelo promotor público Maurício de Oliveira Medina no processo que encaminha à Justiça, a partir da CPI do Esgoto. Porém, seu fiel escudeiro Luiz Joventino Selva, diretor de Logística e presidente da Comissão de Licitação, e o secretário à época de Infra-Estrutura e Mobilidade Urbana, Abrahão Artur de Souza, sim. Além deles outros dois funcionáros em Cargo de Comissão, Woimir Wasniewski Júnior e Nilton João Spillere. Está envolvido também o empresário Hudson Ricardo Colonetti, proprietário da Artevila.

Pesam sobre eles acusações gravíssimas num montante de um milhão e duzentos mil reais em desvios. Segundo Medina toda a apuração feita pela Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas de Criciúma (Gaeco), onde atuaram o Ministério Público, Polícia Civil e Militar, se deu em cima de documentos e que o rombo foi maior, mas não foi possível aferir ou documentar. A promotoria pediu a condenação dos envolvidos pela prática de ato de improbidade administrativa, numa denúncia criminal.

As acusações, conforme impresso entregue aos jornalistas na coletiva de imprensa hoje à tarde, são:
  • Dispensas e fracionamentos indevidos de licitações;
  • Contratações dirigidas;
  • Pagamentos por serviços não realizados;
  • Determinação de fornecimento indevido, por parte da municipalidade, de bens e materiais utilizados na obra que deveriam ser fornecidos por particular (e o pagamento a particulares por bens e serviços que foram, de fato, fornecidos pelo município);
  • Falsificação de documentos públicos para justificar liberações indevidas de recursos;
  • Subcontratações irregulares de pessoas com vínculos políticos-partidários ou pessoais com integrantes da administração;
  • Pagamentos feitos em espécie, em nome da municipalidade, sem registro e às escondidas, a pessoas responsáveis pela repavimentação;
  • Pagamentos feitos em nome da municipalidade, através da entrega de cheques de titularidade de fornecedores do município, também de forma ilícita, a indivíduos que trabalharam nas obras de repavimentação.

Durante a coletiva levantei algumas questões:


  • Outras empreiteiras se manifestaram contra a condução maliciosa das licitações ou da falta delas? Segundo Medina não houve qualquer processo ou reclamatória. Pela experiência que tenho isso é extremamente estranho ao processo. Tenho como certo que receberam algum recurso para aquietarem-se.
  • Os documentos dos fiscais das obras, servidores de carreira, estavam corretos com os levantamento in loco feito pela Força Tarefa? Sim, estavam. Ou seja, os atos de corrupção foram depois das aferições iniciais.
  • Os pagamentos saídos da prefeitura são, por força de Lei, em cheques nominais. Como os pagamentos viraram dinheiro em posto de gasolina e à noite como consta na investigação? O promotor disse que isso ainda terá de ser investigado.
  • Foi pedido bloqueio de bens? Sim, de todos os envolvidos.


Vale lembrar que o juiz que receber a denúncia poderá indeferi-la, coisa inimaginável diante das 10 mil páginas de documentos arrebanhados pelo Gaeco. Um dos exemplos está nas aferições (manuscritas) dos fiscais que chegaram bem diferentes à Casan para liberar os recursos à prefeitura.

Quanto a não citação do prefeito Salvaro o promotor foi claro em dizer que não encontrou qualquer razão para fazê-lo. Neste sentido, dada a forma convicta com que se apresentou e pelos argumentos que explicam os citados, tenho como correta a decisão. Porém, em se tratando de tudo que se vê e se ouve me parece razoável admitir o conhecimento do mandatário, ainda mais que na CPI houve testemunhos que ele visitou várias vezes a obra. E tem mais, ele tentou de várias formas barrar a CPI, nascedouro das denúncias. O fato da instalação da CPI ter sido pedido pelo próprio Clésio não diminui em nada minha análise, já que não passou de uma tentativa de parecer interessado na verdade, coisa que mudou em muito logo que os podres começaram a surgir.

No que vai dar isso? Minha impressão é de que não alterará a simpatia de boa parte da população à gestão ''Márcio e eu''. Entretanto, ainda não se sabe como a oposição vai usar isso na campanha. O fato é que está clara a existência de corrupção no Paço e não é o caso de condenação antecipada, pois resta apenas a dúvida de qual será a condenação e quando. Seria este é o único caso? Ao meu ver se faz urgente uma investigação ampla das contas da prefeitura de Criciúma, um trabalho detalhado, para que possa, de fato, isentar ou condenar de vez Clésio Salvaro.

(Nota de pós data: as denúncias foram aceitas pela Justiça e a prefeitura segue sob investigação em outras frentes. Ainda é possível que Clésio Salvaro seja indiciado por outros desmandos mesmo após deixar o cargo)

terça-feira, 15 de maio de 2012

LULA FICA IMPUNE... MAIS UMA VEZ!

Segue parte discurso de Luiz Inácio Lula da Silva no dia 02 de julho de 2005 durante comemoração dos 15 anos do Foro de São Paulo. O tema não era especificamente o que transcrevo, mas traz um detalhe muitíssimo significativo que comento logo depois.

"Foi assim que nós, em janeiro de 2003, propusemos ao nosso companheiro, presidente Chávez, a criação do Grupo de Amigos para encontrar uma solução tranqüila que, graças a Deus, aconteceu na Venezuela. E só foi possível graças a uma ação política de companheiros. Não era uma ação política de um Estado com outro Estado, ou de um presidente com outro presidente. Quem está lembrado, o Chávez participou de um dos foros que fizemos em Havana. E graças a essa relação foi possível construirmos, com muitas divergências políticas, a consolidação do que aconteceu na Venezuela, com o referendo que consagrou o Chávez como presidente da Venezuela. Foi assim que nós pudemos atuar junto a outros países com os nossos companheiros do movimento social, dos partidos daqueles países, do movimento sindical, sempre utilizando a relação construída no Foro de São Paulo para que pudéssemos conversar sem que parecesse e sem que as pessoas entendessem qualquer interferência política. Foi assim que surgiu a nossa convicção de que era preciso fazer com que a integração da América Latina deixasse de ser um discurso feito por todos aqueles que, em algum momento, se candidataram a alguma coisa, para se tornar uma política concreta e real de ação dos governantes. Foi assim que nós assistimos a evolução política no nosso continente." (texto completo aqui)

Este texto parece inofensivo. Porém, é da maior gravidade por dois aspectos: na condição de presidente da República suas ações devem ser informadas ao Congresso Nacional e atuar em políticas externas é dever ou função do Itamaraty. Lula, de uma só ação, descumpriu requisitos básicos da Constituição e permaneceu incólume por oito anos. E essa foi uma das suas primeiras ações no poder, o que demonstra quais eram suas maiores preocupações ao chegar no Planalto.

Essa atuação de Lula, contrária aos interesses da Nação, estabelece a possibilidade de outros tantos casos. Afinal, quem faz uma vez pode fazer outras tantas. Ainda mais em se tratando de um discurso feito três anos depois desse verdadeiro crime. Não é um detalhe, é coisa muito grave para quem ocupou o cargo em que estava à época. Além disso, mostra o quanto é coisa de interesses bem específicos, pois em nada interferiu nos crimes políticos de seu amigo Fidel Castro, por exemplo. E nem desejava, pois o próprio Fidel é idealizador do Foro de São Paulo com Lula.

Deste sua origem o Foro é um desvio da democracia, mesmo tendo em seu conteúdo essa palavra e a ela se referir como norteadora. Todos os textos desses encontros apontam para a posse do poder em nome de uma vontade que eles supõe ou atribuem ao povo, quando não é assim. São algozes da democracia! Só não estão tomando o poder como querem porque nossas instituições e nossa economia não permitiram, pelo menos até o momento.

Lula não é e nunca foi um democrata, mesmo chegando ao poder pela democracia. Resta-nos saber o que Dilma anda fazendo. Ou o que não faz como caracterizado em sua visita a Cuba. O PT no poder máximo do Brasil é um risco inimaginável.

segunda-feira, 14 de maio de 2012

QUEM TEM QUE TER VERGONHA?

A palavra ''transparência'' para indicar contas públicas abertas, fiscalizáveis, números acessíveis, não está correta. Mas isso é apenas semântica, já que transparente é o que não se vê - o ar é transparente. Tampouco faz qualquer diferença no que tange ao uso do dinheiro público. Há décadas o governo federal publica suas contas, os Tribunais de Contas investigam os governos estaduais e municipais etc. Não há caso que não possa ser descoberto em se tratando de desvios de dinheiro para fins escusos ou de finalidade, que nem sempre é imoral. Neste caso, de não ser imoral, enquadra-se no ilegal, quando o dinheiro tem destinação exclusiva para uma ação, bem etc, e vai para outra coisa, igualmente necessária.

O problema não está nas formas de investigação ou acompanhamento. Mas nos agentes. Por exemplo, é prerrogativa dos legisladores (vereadores, deputados estaduais e federais, e senadores) o Pedido de Informação. Esse mecanismo faz com que eles tenham acesso a todas as informações que desejam, mesmo as sigilosas (sim, é da natureza dos governos terem informações que não sejam do conhecimento público como estratégias de segurança nacional, por exemplo).

Além disso, há enorme carência de técnicos, profissionais específicos, para detectarem desvios. Quando prestei serviço numa consultoria para a Secretaria da Saúde de Criciúma, em 2006, pude ver um pouquinho desse trabalho. Dois técnicos do Ministério da Saúde estiveram em Criciúma para investigar. Além de revirarem documentos, fizeram visitas in loco a postos de saúde etc. Esse trabalho não é fruto de denúncias somente, mas de apanhados aleatórios na esperança, inclusive, de surpreender administradores não tão dedicados à coisa pública. Em Içara várias irregularidades foram detectadas na gestão de Heitor Valvassori nessa mesma secretaria. Isso, de ser aleatório, se deve justamente porque não há gente suficiente.

Alguns governos fazem auditorias para verificarem o que foi feito antes de si. Isso, nem de longe é o caminho. Gentil da Luz passou mais de ano dizendo da herança desastrosa que recebeu. Isso foi encarado como choradeira, pois estava ali para resolver. Sim, foi eleito para resolver. Mas demonstrou, mais uma vez, a cultura pobre de nosso povo. Ora, se o povo não tratar com desprezo, dando vergonha pública, a quem não faz bom uso do que é público, não se dá o respeito. O povo cria, assim, o conceito do ''não dá nada''... nem vergonha para os maus.

O atual prefeito de Criciúma, Clésio Salvaro, jamais investigou qualquer ação dos governos estaduais em seus 10 anos de deputado e nem por isso teve cobrança alguma dos eleitores. Pelo contrário, foi agraciado num crescente aumento de votos e, enfim, coroado como prefeito. A impressão que dá é que o povo não quer saber de deputado cumprindo suas prerrogativas. O conceito de trabalho está absolutamente subvertido na política porque o próprio eleitor o subverteu.

Não faz muito tempo, coisa dos nossos avós, quem fosse pego metendo a mão na grana alheia tinha que fugir tal a vergonha que causava. Nossos avós fechavam as janelas da casa e passavam a não serem vistos se tal ocorresse com um membro da família. Se não somos capazes de execrar publicamente os safados, o que poderíamos esperar da Justiça? Nada. É dessa forma que aceitamos a malandragem, pela omissão.

Povo burro e omisso, que desconhece seus direitos e deveres, que fomenta uma cultura de aceitação da ladroagem traz sobre si mesmo a punição. O povo é punido sob a forma da falta de remédios e das consultas depois de meses, além de ruas e rodovias, cuja pavimentação não dura mais de alguns meses.

Vergonha na cara de eleitor será a vergonha na cara de político. Não o contrário.

sábado, 12 de maio de 2012

"SALVARO" A ROMANNA

A conta não está fechando e considero que a avaliação de grande parte dos políticos está equivocada, mas não sei exatamente o que estaria em jogo. Dizem que Romanna Remor foi fritada saindo do DEM para o PMDB. Teria sido uma artimanha para diminuí-la como força política. No Democratas ela não tinha estrutura para uma campanha. Bastaria deixa-la onde estava e não contar com apoio de quaisquer outras forças. Romanna dependeria totalmente, como depende, de coligações e militância. Portanto, o conceito recorrente não faz o menor sentido.

O que, de fato, seria fritá-la. Primeiro, o que já disse: deixá-la onde estava e não coligar. O DEM em Criciúma está muito reduzido. Ela simplesmente teria que ser candidata a vereadora novamente por pura falta de dinheiro. O PMDB colocaria o Vampiro, que não teria a menor chance, mas concorreria com o peso-pesado Clésio Salvaro, ou seja, uma derrota seria uma vitória. Segundo, a coordenação de campanha está montada, equipe de marketing também. Na coordenação está seu irmão Juliano. Caso fosse para não ser candidata esse movimento de bastidor, de preparação, estaria estagnado.

O comentário de que o PMDB estaria dividido em apoiá-la ou não é curioso. Em algum momento o partido esteve unido? Nunca. Nem é um caso de ser ruim, mas é característica pelo tamanho que tem. O PT passa por isso, por exemplo, dentro da maior normalidade, afinal não há marionetes nesse meio. O que ainda não foi feito, conforme uma fonte, é o ''enquadramento'' da militância e isso Eduardo Moreira sabe muito bem fazer.

Para não cair no ridículo de uma previsão 100% errada devo dizer que nada é imutável em política. Como disse no início "não sei exatamente o que estaria em jogo..."

sexta-feira, 11 de maio de 2012

MÃES: ESPINHOS E PÉTALAS

Nessa semana vivemos uma enxurrada de mensagens às mães, semelhante a datas como Natal. Um saco. Detesto isso e acho o máximo quando vejo alguém fazendo o mesmo fora da data. "Dia das Mães" cheira falsidade e em alguns casos é possível que seja mesmo absolutamente falso. Calma, estou convicto que seja muito mais fruto da profunda admiração e apego à progenitora. Nem é o meu gosto ou desgosto que interessa. Quero comentar o ato de ser mãe, bem pragmático.

Evidente que ela é mais importante na nossa vida que o pai (sou pai de três e avô da Elisa). Desde o ventre nossa relação com ela é mais intensa, muito mais próxima, determinante em muitas das nossas ações pelo resto da vida. Daí o ''ser mãe'' pode e deve ser analisado. Seria tolice, um crime mesmo, se não nos debruçássemos sobre o assunto com ciência. Deveras haveria total desrespeito se ficássemos no romantismo da beleza. É como um quadro que vai a leilão: sua beleza importa, mas sua história e constituição importa mais ainda.

O que se tem visto em nossos dias senão um desapego de progenitores à educação das crianças? Sim, estamos diante de uma horda de mulheres que não pensam no que é melhor para a vida do filho. Entre as coisas que são boas para os filhos é a disciplina. Mas não a disciplina para evitar problemas para a mãe. Algumas chegam ao delírio inconsequente de brigarem com os filhos porque se sujam nisso ou naquilo, por exemplo. Colocam seus desejos acima quando não permitem ao filho fazer escolhas, que ditam a plasticidade, quando deveriam tratar de princípios de conduta.

O caso mais evidente de maucaratismo materno se dá com crianças que ganham as disputas aos berros. Gritam e se jogam pelo chão no supermercado e a mãe, burra e medrosa, dá o que a criança pede. Meus filhos não me causaram essa vergonheira, pois foram duramente repreendidos na primeira tentativa. E não precisei erguer a voz bastou segurar com força o braço e ter voz de comando, voz firme e dura. Dizer ''não'' é amar. Evidente que não me refiro ao ''não pode nada''. Acho que isso está claro. Além desse exemplo tem as que vão à escola ''tirar satisfação'' com a professora porque o guri chegou em casa dizendo que ela brigou com ele sem razão. Este é um caso em que a mãe deveria receber umas belas chineladas na bunda. Exemplos do quão despreparada pode ser uma mãe. Aliás, quem quer ter um filho deveria fazer um curso intensivo!

Mas, para dizer que não falei em flores...

Sei que muitas mães são o porto seguro de seus filhos, que são a maior referência de lutas etc. Não há como não me render a isso e assim o faço:

"Baixinha, a forma como me educaste, tu e o pai (que saudade do véio!), me jogaram para cima das responsabilidades. Como foi bom eu mesmo receber o boletim da escola, como foi bom eu resolver com o vizinho a cerca que estraguei, como foi bom tu não me levar na escola, como foi bom me fazer pagar contas no banco com oito anos de idade, como foi bom saber que não perdeste o sono quando saí de casa aos 17 anos... Sim, se há alguma firmeza em mim, se há algum rastro de homem em mim, se há a capacidade de ir contra a maioria (às vezes), devo a ti e ao pai. Vocês foram muitíssimos sábios. Te amo!"

quarta-feira, 9 de maio de 2012

O SWING DERRUBA A TRAIÇÃO (Vídeo)

Numa das entrevistas de Chico Anísio, um dos homens mais cultos dentre nosso povo, ao Jô Soares, ouvi o seguinte: “Casei cinco vezes. Eu é que entendo de casamento. Se a Maria ficou só com o João por 40 anos, ela entende de João e ele de Maria, não de casamento”. Uma pérola! Absolutamente verdadeiro. Na mesma linha, quem entende de sexo é quem teve relações com várias pessoas e procura observar as diferenças, os detalhes etc. Nesse contexto está a traição e, de outro lado, o swing (a troca de casais) e o ''menage'' (um terceiro no sexo do casal). Traição, como se tem visto, trata-se exclusivamente de sexo em si.

Quem trai quem? Somos traídos por nós mesmos quando achamos que o outro “não faria uma coisa dessas” – endotraição. Vale lembrar que, em alguns casos, o modo de vida do sujeito já dizia como ele se comportaria numa relação. Veja que nem sempre, ou raramente, houve um acordo de não fazer isso ou aquilo. Há a presunção de que namoro e casamento implica em exclusividade do ato sexual. Mas mesmo assim, uma das partes tem a convicção que o outro não poderia fazer algo que prejudicasse (do seu ponto de vista) a relação.

A confiança é, geralmente, um acordo tácito e unilateral. Um exemplo um tanto absurdo ocorreu, e deve ocorrer, no BBB. Acompanhei o primeiro episódio do tal Big Brother Brasil. Chamou-me a atenção as acusações de traição entre pessoas que não se conheciam antes do programa, estavam num jogo, uma teria que retirar a outra do páreo e por aí vai. Acordo unilateral!

No ato conjugal a coisa se complica porque os amantes se acham donos uns dos outros. Há um ingrediente que deveria ser regra nas conversas durante o namoro ou mesmo durante o casamento: a satisfação sexual. Como responsabilizar um dos cônjuges por ter tido uma relação extraconjugal quando o casamento não lhe satisfazia plenamente? Não houve antes a traição por parte do traído? Foi acordado algo como: você terá que realizar todos os meus desejos, fetiches etc? Ora, se houve um acordo de não relação sexual com outros e outras, há aí algo a ser respeitado.

Vi documentários com praticantes do swing. Os cônjuges acertam detalhes entre si para esta prática, como dividir a cama sempre juntos, por exemplo. Ou seja, o ato sexual com outra pessoa, no swing ou menage, não caracteriza traição. Então não é o sexo em si, mas o tipo de relação estabelecida. Os praticantes do swing podem ser plenamente fiéis. Movidos pelo prazer sexual não há concorrência com a fidelidade conjugal e é praticado conforme acordo entre partes.

Fidelidade ou traição é uma questão de acordo objetivo, não tácito, inclusive podendo ser refeito com o tempo. Pois com a idade desejos surgem e se vão. Quando da traição o que deveria ser discutido não é o ato sexual em si, mas as motivações e implicações disso. No casamento o traído nem quer saber de explicação: sexo com outro é traição e pronto! E, por conta disso, a coisa rola às escondidas.

Para fechar com muito humor assista um vídeo do Porta dos Fundos.

A MENTIRA DO LIVRE ARBÍTRIO

Sou repetitivo? Sim, sou!
Estou enchendo o saco com isso? Sim, estou!
Parece falta de assunto? Sim, não vejo assunto mais interessante no momento.

Volto a fazer o mesmo desafio de outras oportunidades para quem crê em Deus, o Deus da Bíblia, o Pai de Jesus, ou na Trindade; para quem crê no Seu amor, para quem diz que ele é maravilhoso, para quem fica agradecendo por ter recebido bençãos, para quem canta Seus grandes feitos: peçam ao seu Deus que acabe com a pedofilia!

Duas razões me remetem a chover no molhado: a pedofilia é agressão de adulto contra criança; e, quero ver algo que realmente mostra esse Deus tão incrível que dizem existir.

Contra esse meu desvairado grito aparece sempre o mesmo argumento: DEUS DEU O LIVRE ARBÍTRIO. Então vamos pensar sobre isso. Se Deus não age porque deu o livre arbítrio ao ser humano criou para si mesmo uma barreira, em sendo assim, não pode invadir o desejo de um adulto querer usufruir sexualmente de uma criança. Muito bem, não provoco isso para que Deus incorra em tão brutal desrespeito à vontade humana. Longe de mim. Como poderia querer que um agressor tenha seu direito violado? Não posso e nem quero. Em nenhum momento fiz qualquer menção de Deus contrariar esse bem dado aos homens. Deus sabe o que faz.

Mas devemos lembrar de algumas passagens na Bíblia para vermos se Deus respeita mesmo o indivíduo. Vamos começar por Faraó do Egito que não queria libertar o povo hebreu. Mandou várias pragas e por fim matou os primogênitos de cada família egípcia. Matou gente que nem sabia direito o que estava ocorrendo. Se hoje temos gente desinformada, imagine naquele tempo sem imprensa. Matou bebês de colo sendo amamentados. Matou o próprio filho do Faraó. O poder de Deus não seria manifestado de forma inconteste se, por exemplo, os Hebreus fossem teletransportados daquela terra para outra? Ou fossem levitados diante dos olhos de Faraó? Ou mesmo tivessem qualquer grilhão aberto e caminhassem diante do exército egípcio, e este, preso ao chão, não conseguisse se mover? Quantas formas Deus mostraria quem manda sem a morte de gente absolutamente inocente? Mas sobretudo, Deus deveria respeitar a vontade, o livre arbítrio de Faraó!

Mais um exemplo. A instituição da circuncisão, corte do prepúcio, aquela pele que sobra no pênis quando flácido, conforme está escrito: "E no dia oitavo se circuncidará ao menino a carne do seu prepúcio" (Levítico 12.3); e "Esta é a minha aliança, que guardareis entre mim e vós, e a tua descendência depois de ti: Que todo o homem entre vós será circuncidado." (Gênesis 17.10) Ora, que livre arbítrio tem um bebê de oito dias? Que grande respeito o Deus da Bíblia teria pela vontade humana, pela sua liberdade de escolha? Tem ainda o que seria absurdo para nossos dias e que contou com a bênção de Jeová: a escravidão! "...o comprado por dinheiro a qualquer estrangeiro, que não for da tua descendência" (Gênesis 17.12) também era circuncidado sem direito de escolha (nem de escolher ser livre). O cara era escravo e teria o prepúcio cortado sem direito de escolha. Além disso, os cristãos romperam com este pacto.

Num caso ainda mais dramático, segundo o apóstolo Pedro, Deus "condenou à destruição as cidades de Sodoma e Gomorra, reduzindo-as a cinza, e pondo-as para exemplo aos que vivessem impiamente" (II Pedro 2.6). O povo dessas cidades vivia tranquilamente com sua homossexualidade ou bissexualidade. Ele queria viver assim. Estavam usufruindo do seu livre arbítrio quando "disse mais o SENHOR: Porquanto o clamor de Sodoma e Gomorra se tem multiplicado, e porquanto o seu pecado se tem agravado muito..." (Gênesis 18.20) e "o SENHOR fez chover enxofre e fogo, do SENHOR desde os céus, sobre Sodoma e Gomorra" (Gênesis 19.24), destruindo-as totalmente. Para complicar ainda mais qualquer análise do que seja esse respeito de Deus pelo livre arbítrio humano, Jesus disse aos seus discípulos: "em verdade vos digo que, no dia do juízo, haverá menos rigor para o país de Sodoma e Gomorra do que para aquela cidade" (Mateus 10.15). Isso para cidades que não recebesse a mensagem de seus apóstolos. Ou seja, dois pesos e duas medidas. Mais rigor no julgamento de um do que de outro. De qualquer forma Deus nem deu bola para o livre arbítrio dos sodomitas.

O profeta Jonas poderia ter sido um caso diferente. Teria dito Jeová a ele: "Levanta-te, vai à grande cidade de Nínive, e clama contra ela, porque a sua malícia subiu até à minha presença. Porém, Jonas se levantou para fugir da presença do Senhor para Társis." (Jonas 1:2-3) Essa história todos sabem. Note que não bastou Jonas não querer, seguir sua vida e Deus buscar outro mensageiro. Ele foi levado a passar experiência inimaginável e ser coagido a entregar a mensagem. Não seria de Deus respeitar a vontade desse rapaz e deixá-lo com sua vida? Quem se recusaria em servir de mensageiro passando pelo estômago de um peixe?

Por fim o caso do apóstolo Paulo. Em Atos dos Apóstolos capítulo 9 é contada a história de Saulo que se tornou Paulo, o apóstolo, quando foi vítima de uma luz tão forte e veio a ficar cego. Por conta disso se converteu de perseguidor a pregador. Se Deus respeitasse o desejo dele de perseguir os cristãos não haveria de criar tal situação. E imagine Deus fazendo isso com cada um que resolvesse atacar uma criança, ou estuprar uma mulher? Teríamos um mundo cristianizado e andando na maior retidão.

Se estes exemplos não te fizeram, pelo menos, balançar nesse papo de livre arbítrio, trago outra questão. Se Deus não interfere na vontade humana quanto à pedofilia ou qualquer crime cometido por humanos porque nós deveríamos? Ao vermos uma pessoa agredindo outra chamamos a polícia, denunciamos etc. O que estamos fazendo senão interferindo no livre arbítrio de um quebrar os dentes do outro? Por que, afinal de contas, clamamos por Deus quando somos vítimas de injustiça? Ora, não estamos pedindo a Deus que haja contra ou por causa do livre arbítrio de quem nos causou dano?

Se você crê que Deus realmente tem a capacidade e o desejo de interferir na vida humana, inclusive de dar um carro a alguém (note adesivos em carros: "Presente de Deus"), é de se supor que ele possa ir em defesa de uma criança, ícone do ser indefeso. Mesmo que não seja para contrariar o livre arbítrio do adulto tarado, mas para promover a defesa de alguém totalmente desprotegido, inocente, cuja vida não fez por merecer tal experiência.

Vamos lá. Peça a Deus pelo fim da pedofilia!

quinta-feira, 3 de maio de 2012

A MENTE MENTE

Este texto comecei a escrever em 3 de maio de 2012 e nem sei porque não o concluí. Então, faço-o agora, dia 31 de dezembro de 2013. Se é que não mudei de ideia.

A vida é complicada e isso não há quem negue. E tende a ser complicada quanto maior suas relações. Parece óbvio, mas não necessariamente. Essa complexidade se revela muito claramente nos nossos códigos civil e criminal, por exemplo. Basta ver a simplicidade dos primeiros códigos. Se revela também no universo de coisas que queremos, e precisamos, porque criamos um outro mundo muitíssimo diferente do dos nossos avós.

Uns nascem numa situação das mais desfavoráveis e outros tratam de tornar suas vidas um caos. Sobre os que nascem na chamada ''desvantagem social'' temos clareza. Porém, isso vai consumindo livros e mais livros quando a coisa sai do material e entra na mente, na psique. A vida de quem, aparentemente, não deveria ter razões para acha-la ruim, é alvo de estudos. São desvios do que seria menos antinatural. É como um homossexual. Ora, é natural achar que há um enorme problema nisso, pois traz para si uma série de dificuldades que um hetero não tem. Há uma força muito maior que a razão. Da mesma forma um portador da Síndrome de Down. Nada o fará mudar, apenas adaptar-se dentro das suas limitações.

Desde os antigos gregos o pensamento tomou os rumos do nada. Sim, a impressão que tenho que quanto mais se queira conhecer a si e os conjuntos de ''eus'' chamados de sociedades, mas distante da segurança se está. Nisso destaca-se a religião que dá toda a segurança mental possível com suas verdades, soluções, punições e razões para os acontecimentos da vida.

Haveria um lado bom nessa lama que se chama pensamento? Lama seria demais? Para uns seria a própria definição das vontades humanas. Mas vale lembrar que algumas terapias advém da lama. Alguns tratamentos estéticos são feitos com lama. Uma lama especial, colhida cuidadosamente. Contudo, não deixa de ser lama. E aí é que eu escorrego e começo a ver que há algo de muito bom nessa lama humana.

Nada digo de realmente novo. Tampouco, seria capaz de arrazoar pensamento único sobre as coisas que nos afligem e sobre as que nos deixam satisfeitos. Nesse sentido apenas reitero o que, há muito, pensadores afirmam: do mal se retira o bem, ou do mau o bom. Ou não há mal que não possamos observar algum bem. O problema está no tempo e quem leva a vantagem e a desvantagem. A 2ª Grande Guerra foi deveras ruim para quem a viveu e absolutamente boa para o mundo. As sociedades que emergiram daquele contexto, com exceção das comunistas, tornaram-se muitíssimo boas de se viver. O ritmo de novas tecnologias cresceu exponencialmente.

Nosso desafio é encontrar coisas boas, uma pelo menos, em cada coisa ruim.

Contudo, em havendo anomalias no cérebro o que se pode fazer? Que responsabilidade há naqueles que andam tresloucadamente pelas ruas, imundos, catando no lixo, falando coisas sem sentido, sem a menor consciência de nada, que chamamos de loucos? Nada. E vê-los assim me deixa profundamente abatido. Que Deus é capaz de impor essa condição a um ser, sem que ele tenha a menor opção de negociar sua existência? Foi ''determinado'' que viva assim e pronto. Nesse particular não consigo ver nada de bom. Talvez você possa me ajudar.

Limito-me ao protesto inócuo, a um lamento angustiado tal a incoerência entre um tal Deus que ama e o que está diante dos meus olhos. Àqueles que dizem que isso é fruto de vidas passadas: Por favor, mais essa incoerência é demais!

A conclusão a não ser chegada é de que algumas agruras da vida são congênitas. Pessoas com todas as razões para serem felizes se tornaram amargas por razões que nem elas sabem. E alguns desprovidos de benesses sociais exalam alegria. Nossas relações com nosso 'ao lado' sofre todo o tipo de influências, inclusive de cérebros sutilmente arruinados de fábrica. Alguns deles chegaram ao poder...