quarta-feira, 21 de outubro de 2015

PAIXÃO AGORA

Quando jovem observava os mais velhos, inclusive nos filmes e novelas (afinal retratam algo da vida), em suas paixões. Achava estranho que pessoas com muitos fios de cabelos brancos pudessem se apaixonar e brigar por isso. Sim, cheguei a pensar o quão ridículos pareciam ao quererem viver algo da juventude. Bem, continuo achando estranho. Mas agora sou eu o ridículo.

Ao chegar a quase meio século de vida, faço 50 anos em junho de 2016, me vejo laçado pela paixão por uma mulher, ou melhor, deslaçado por ela, solto, numa liberdade que não queria mais. "Maduro", cria que essas coisas não me pegariam. Seguia no alto da minha sapiência, sabedor do quanto não me deixaria abater. Olhava-a como se jamais deixasse de me querer. Quão tolo fui ao supor que o coração de uma mulher se deixasse dominar, quando o dominado era eu. Pois não somente me abati, quanto despenquei. Senti-me aos 15 anos, perdido...

Ah, estou vivo!

Puxa, por um lado a decadência de ainda não saber lidar com um pé na bunda, por outro, vivo para sentir essas coisas maravilhosas.

Sentir a dor da rejeição é tão ruim quanto é bom vislumbrar a possibilidade de, mais uma vez, apaixonar-me e saber o quanto é delicioso. Eis que, num misto muito louco de sentimentos a porta de outra loucura se abre, mesmo que ainda não saiba, sequer, onde esteja. Em segundos vou e volto de uma paixão, de ódio, de raiva, de saudade, da falta... para as possibilidades.

Novamente meus olhos veem um outro olhar que me fitava sem que eu me dedicasse a ele. Puxa, é tudo tão rápido. Mas porque demorar numa vida que pode desfazer-se agora?

Bem, reconheço ter amado, como é mesmo que dizem?, "perdidamente". E exatamente por isso minha cabeça, aquela que pulsa no peito, está doendo por demais. Uma dor ardida, uma dor que sufoca, uma dor de ter vivido um caso com uma mulher maravilhosa. Uma dor que transmuta-se em novos momentos avidamente desejados e de muito tesão.

A despeito de tudo, apaixonar-me foi bom demais. Por que haveria de não repetir? Voltar-me-ei para um novo amor - sei que posso. Sim, vou amar de novo, vou sentir o coração disparar de novo, vou enlouquecer na ansiedade da primeira transa e me encantar de novo, feito um adolescente bobo.

Que vida é essa que posso viver mais uma vez? Sim, vive-la-ei o quanto puder.

Aos 15 anos novamente!!!

terça-feira, 20 de outubro de 2015

TESTEMUNHO DE MÃE VÍTIMA DE ESTUPRO

O texto que segue recebi por mensagem no Facebook de uma amiga. Conheço-a pessoalmente e é uma dessas mulheres fascinantes, pela qual tenho e nutro profunda admiração.

Eu podia ter abortado. O médico me falou isso. Mas eu não fiquei pensando no que aconteceu. Tinha dentro de mim uma criança e aquilo anulou o ato. A possibilidade do aborto, não era uma possibilidade para mim.
Esse é o meu jeito, o meu sentimento.
Não posso sair me livrando das coisas que acontecem comigo como se o aborto fosse eliminar da minha história o estupro. Porque não ía. Para mim esta não era a forma de resolver o problema.
Hoje o meu filho (11 anos) é a razão pela qual eu vivo. Nem consigo lembrar de como aconteceu porque foram tantos momentos preciosos com ele.
Hoje o meu filho (11 anos) é a razão pela qual eu vivo. Nem consigo lembrar de como aconteceu porque foram tantos momentos preciosos com ele.
Escolhi amar do que odiar... Foi uma escolha minha e outras mulheres não escolhem isso. Sabe, se for para elas nao abortarem e terem essa criança e jogar na cara dela o que aconteceu, criar uma criança frustrada, se não ama-la, que abortem. Que essas mães nunca tenham filhos, nem por estupro ou por relacionamento algum porque mãe ama seu filho mediante qualquer situação.

sábado, 10 de outubro de 2015

IÇARA FINANCIA PUXA-SACOS

Há no serviço público todo o tipo de falcatruas como o leitor está bem informado com a Operação Lava-Jato, por exemplo. Mas vê-se as mais sutis e igualmente reflexo do mau-caratismo recorrente na política partidária. Vamos ao caso içarense.

Diante do aperto financeiro a prefeitura de Içara, sob o comando do petista Murialdo Canto Gastaldon, a quem, por enquanto, atribuo boa índole, teve que cortar gastos e evitar demissões. Demissões que atingiriam os Cargos Comissionados e, portanto, sua base de sustentação política e de aliança com o malfadado e vergonhoso PMDB daquele município.

Assim, dentre os muitos motoristas dos veículos da Secretaria Municipal da Saúde, para dar um exemplo, há concursados e CCs. Como são muitas as viagens com pacientes a Florianópolis, esses trabalhadores ganham diárias e horas extras, como em qualquer empresa. Coisa que é justa!

Contudo, o secretário Lauro Nogueira, o qual não deve ter tomado essa iniciativa por decisão pessoal, cortou esse adendo nos rendimentos dos trabalhadores, mas só dos concursados. Assim, seguem os apadrinhados gozando das benesses financeiras que só puxa-sacos partidários podem usufruir.

*Vale lembrar que foi feito concurso para motoristas no ano passado e, para manter os apadrinhados partidários antes que o Ministério Público meta a colher, ainda não foram chamados os que passaram. Tudo dentro do prazo, pra lá de elástico, informado no Edital.

quinta-feira, 8 de outubro de 2015

DILMA RENUNCIA OU SERÁ DERRUBADA?

Impossível confiar que o Congresso Nacional (Câmara e Senado numa mesma sessão) rejeite as contas de Dilma referente a 2014, conforme indicado pelo Tribunal de Contas da União (TCU). Sim, pois foi a Câmara que aceitou a tal da "pedalada fiscal", que é um ajuste nas contas do governo para na cair na Lei de Responsabilidade Fiscal. Ora, isso é óbvio.

Mas eis que as ruas berraram. E nada mais agrada político que aplauso de eleitor, com exceção de propina. Contudo, cambaleante como está a atual gestão, é evidente que não tem o "agrado" de que necessitam os tais parlamentares. Não haveria cargos suficientes para esta façanha.

Em sendo assim, vê-se metade dos deputados do PMDB, maior partido da base aliada, caindo fora. Não fariam isso se não vislumbrassem com ampla certeza a derrocada da governanta. Esse partido não larga teta assim, de forma tão fácil.

O jogo está claro e não precisam de TCU para faze-la sair. Será mera desculpa para agradarem as ruas e reassumirem o poder numa "ampla coligação pela governabilidade". Eles adoram dar nomes errados às suas falcatruas.

Assim, pouca coisa mudará do ponto de vista da acomodação politiqueira de sempre nos ministérios etc. A despeito de um evidente pessimismo, devo dizer que o próximo governante terá claro uma coisa: NÃO TERÁ SOSSEGO. Porque iremos para as ruas novamente caso não mostre serviço.

Ah, a Bolsa de Valores de São Paulo já deu sinais de reação... E o improvável pode acontecer: A RENÚNCIA!