quinta-feira, 29 de novembro de 2012

EMOCIONE-SE!


Mariana Filgueiras, em O Globo
RIO – Era uma noite de terça-feira insuspeita em Copacabana. No fim daquele dia, 23 de outubro, um grupo de frequentadores do sebo Baratos da Ribeiro faria exatamente o que faz há cinco anos: se espremeria entre as prateleiras abarrotadas da livraria para mais um encontro do Clube da Leitura, evento quinzenal em que leem trechos de livros e trocam impressões sobre contos próprios. Quando chegou a sua vez na roda, o dono do sebo e fundador do clube, Maurício Gouveia, tirou da gaveta um livro que guardava há dez anos escondido no acervo: um exemplar em italiano de “Nove contos”, do escritor americano J.D. Salinger.
Não tinha coragem de vendê-lo. Com as bordas amareladas e as páginas carcomidas, aquele “Nove racconti” guardava uma dedicatória em português na página de rosto que Maurício considerava mais bonita do que todo o livro do autor do clássico “O apanhador no campo de centeio”. Um homem comum — que poderia ser um médico, um vendedor de sapatos ou um trapezista de circo — declarava seu amor a uma mulher, em Milão, em 26 de dezembro de 1966. Maurício leu a dedicatória enorme, que começava com a frase “De tudo que vem de você, permanece em mim uma vontade de sorrir” e se encerrava com a oração “a vida é um contínuo chegar de esperanças”. Ao final, subiu o tom para ler o nome do santo: Sylvio Massa de Campos.
Foi quando um dos frequentadores do clube soltou um “opa!”. O jornalista George Patiño conhecia a família Massa, da qual Sylvio era o patriarca. Ele não vendia sapatos, trabalhava em circo ou morava em Milão: o matemático e escritor Sylvio Massa de Campos estava vivo, trabalhara a vida toda na Petrobras, tinha 74 anos e morava logo ali, no Leblon.
— Tem certeza? — perguntou Maurício.
— Trago ele aqui no próximo encontro — prometeu George.
Feito. No dia 6 de novembro, um senhor de cabelos brancos, sorriso fácil e porte altivo entrou no sebo acompanhado de duas filhas e três netos. Emocionado, recebeu das mãos de Maurício o livro perdido. Releu a dedicatória em voz alta, com pausas longas entre uma frase e outra, o que só aumentava o suspense na livraria, entrecortado pelo ruído dos netos inquietos. Depois de ser longamente aplaudido, contou aos novos colegas a história por trás daquela mensagem.
Em 1966, ele fazia mestrado em Matemática em Milão com uma bolsa do governo brasileiro. Lá, conheceu uma italianinha de nome Febea, que tinha concluído os estudos em Literatura em Londres, e acabava de retonar à Itália. Quando ela comentou que conhecia José Lins do Rego e João Cabral de Melo Neto, e que adoraria aprender português para ler Guimarães Rosa, Sylvio se apaixonou na hora: apesar de trabalhar com algoritmos, era na literatura que descansava seus teoremas. Prestes a terminar a pós-graduação, no entanto, logo voltaria ao Brasil. O amor foi construído à distância.
— Nosso namoro durou um ano, 136 cartas, nove livros, dois telegramas e um telefonema — contou Sylvio, para suspiro coletivo da plateia, e espanto das filhas, que não conheciam todos aqueles números. — Naquele tempo, dar um telefonema era uma fortuna. Esta dedicatória escrevi no dia do meu aniversário, já doido por ela. Eu nem sei como perdi o livro, acho que foi numa mudança nos anos 80.
Um ano depois, Febea veio morar no Brasil, e Sylvio montou um apartamento no Méier para ela. Tiveram duas filhas, Isabella e Gabriella — que a essa altura se debulhavam em lágrimas na livraria —, e viveram felizes para sempre. Até que um câncer levou Febea aos 41 anos de idade. Sylvio nunca mais se casou.
Quer mais? O texto completo você lê AQUI.

terça-feira, 27 de novembro de 2012

ESSE CARA SOU EU

... que não diz que te ama porque acha que já mostra isso o tempo todo.
Que queima o arroz.
Que derruba colher suja no piso da cozinha.
Que não varre bem a casa.
Que não ajeita as coisas dentro da geladeira como tu queres.
Que sempre estende a roupa do jeito que você não gosta.
Que te acorda na noite porque te cutuca com o pau duro.
Que esquece das datas.
Que esquece o que tu pediu pra comprar no mercado.
Que não dá comida pro cachorro.
Que só conserta alguma coisa quando tem vontade.
Que só aluga filme que tu não gosta.
Que esquece de tomar o próprio remédio.
Que vai pro futebol e fica de papo até bem mais tarde.
Que arrota depois do almoço.
Que não coloca a roupa que tu gosta.
Que bate a porta do armário da cozinha.
Que não tem muita paciência com teus humores.
Que diz palavrão quando erra alguma coisa.
Que suja o fogão e nem sempre limpa.

Esse cara sou eu.

Que adora te beijar, que curte tua bunda, que te abraça com força, que diz que adora o teus peitos, que te dá carinho antes de dormir, que beija teus ombros e teu pescoço, que leva café na cama pra você, que adora ir além na cama contigo, que tolera teus insucessos...

Esse cara sou eu!

Que te ama!

segunda-feira, 26 de novembro de 2012

HOMENS NO BAR - MULHERES NA LOJA

Disse no Facebook que "quando casei entendi porque muitos caras preferem o bar. Agora, aos 46 anos, to sacando porque muitos da minha idade preferem as menininhas..."

Leia as manifestações que se seguiram e depois comento a postagem e os comentários:

Ilca Vasconcelos - pq são calhordas.......
Fatima Lrb - eh
Fatima Lrb - é vam plantando melancia na beira da. estrada...srrs
Marcia Marcelino - oq aconteceu? brigou com a esposa?
Keli De Lima Da Soller - Muitos da tua idade preferem as menininhas pq sao uns idiotas babões. Depois perdem tudo que tem e ficam reclamando. Quanto ao casamento, hoje tive o prazer de encontrar um amigo da época da faculdade de direito, inclusive fui ao casamento dele. E hoje perguntei: "e aih? Como eh a vida de casado?". E ele me respondeu com brilho nos olhos: "eh ótima!". Portanto, o casamento eh o que as pessoas fazem dele. Se o teu foi ruim a ponto de preferir o bar, sinto muito. O problema eh que a maioria das pessoas passa uma vida junto mas nao aprende a conviver, nao aprende a olhar o outro e a respeita-lo.
Sos Bicho Urbano - Explica...
Jaja Tavares - Ele apenas disse que entendeu , não que se arrependeu, entendeu?
André Roldão - Caraca... eu disse que entendi. Não disse que fui pro bar ou que prefiro as menininhas. Detesto bar! Tampouco tenho o que conversar com menininhas.
Fatima Lrb - é verdade muito so. vam .dar.valor quando perde daii tarde demais ...
Fatima Lrb - detesta . fala. serio...
Sos Bicho Urbano - Acredito que minha curiosidade e ansiedade foram responsáveis pela falta de interpretação na frase. Abraços!! Marcia
Marcia Marcelino - nao vem com conversa pra boi dormi. se tu entende uma situaçao é poq tu ta vivendo ela.
André Roldão - Não necessariamente. Pra isso que se pesquisa, se observa...
Sos Bicho - Urbano rsrsrsrsrsr....boa Marcia Marcelino
André Roldão - Como eu disse: Detesto bar! Tampouco tenho o que conversar com menininhas.
André Roldão - Se fosse alguma coisa comigo eu nem tocaria no assunto. Por favor né!!!!!!!!!
Giziele Casagrande - Aiaiai... Agora explica, pq muitos da tua idade preferem as menininhas?
Zurene Manique - Keliki atacando de novo meu super heroi. kkkkkkkkkk
Mari Machado - Sai dessa agora André!
Zurene Manique - Gente querendo desencalhar fica agressiva... kkkkk
João Bartolomeu - putis mimi com a vovò não é facil não.
Leo Cassetari - Que romântico André! Kkkkkk
Geraldine Francisco Medeiros - SÓ QUEM NÃO TEM UMA SUPER COMPANHEIRA EM CASA, ELES PROCURAM MESMO, MENININHA. MENININHO ENFIM COISAS DE HOMENS MAL RESOLVIDOS
Daniela Rocha - pronto...agora vai comprar briga com a patroa..........kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
João Barcelos - NADA DISSO, QUEM AMA DE VERDADE NUNCA SE CANSA DA SUA AMADA.
Sérgio Hammer - O casamento é feito por 2 pessoas. Se algo está errado, ambos devem conversar e ver o que está acontecendo. E tentar resolver da melhor forma possível. Mas se a mulher continuar com a "dor de cabeça", melhor o bar e/ou uma aventurazinha com as menininhas para esvaziar a "pressão".
Deise Savi - Desculpa André Roldão, mas que pareceu que a história é contigo pareceu..rsrsrs
Giseli Reus - mexeu com minha amiga.... mexeu comigo
Jian Luzio - "Minha mulher e eu temos o segredo para fazer um casamento durar:
Duas vezes por semana, vamos a um ótimo restaurante, com uma comida gostosa, uma boa bebida e um bom companheirismo. Ela vai às terças-feiras e eu, às quintas.
Nós também dormimos em camas separadas: a dela é em Fortaleza e a minha, em SP.
Eu levo minha mulher a todos os lugares, mas ela sempre acha o caminho de volta.
Perguntei a ela onde ela gostaria de ir no nosso aniversário de casamento, "em algum lugar que eu não tenha ido há muito tempo!" ela disse. Então, sugeri a cozinha.
Nós sempre andamos de mãos dadas...
Se eu soltar, ela vai às compras!
Ela tem um liquidificador, uma torradeira e uma máquina de fazer pão, tudo elétrico.
Então, ela disse: "nós temos muitos aparelhos, mas não temos lugar pra sentar".
Daí, comprei pra ela uma cadeira elétrica.
Lembrem-se: o casamento é a causa número 1 para o divórcio. Estatisticamente, 100 % dos divórcios começam com o casamento. Eu me casei com a "senhora certa".
Só não sabia que o primeiro nome dela era "sempre".
Já faz 18 meses que não falo com minha esposa. É que não gosto de interrompê-la.
Mas, tenho que admitir: a nossa última briga foi culpa minha.
Ela perguntou: "O que tem na TV?"
E eu disse: "Poeira"."
Luís Fernando Veríssimo
Rita Rostirolla - tu adora dar uma polemizada... rs


Muito bem. Começamos por responder algumas dessas manifestações para, então, considerar sobre minha postagem. A Ilca e Keli fizeram menção aos homens, mas seria de se pensar também em que tipo de mulheres suas companheiras se tornaram. Em geral nenhum homem começa a ir para o bar depois que casou. Ouso dizer que ele apenas continuou indo para o bar. O calhorda casado é o mesmo de antes de casar e elas não souberam escolher, ou não tinham opção tal seu afã por ter um homem.

A Keli falou que os homens são uns idiotas babões porque buscam as menininhas. Ora, as menininhas, que um dia serão mulheres maduras são o quê nessa relação? Inteligentes exploradoras? Quanto ao perderem tudo mostra apenas uma relatividade, tanto que há homens que não perdem sua condição material por causa das mulheres com as quais saem. Se a questão for material: quanto custa uma esposa? Por fim, ela deu um exemplo de sucesso no casamento. Poderíamos dar outros tantos de insucesso. Mas valem os números de Criciúma: Em 2010 o IBGE informou 1.185 casamentos, 152 separações e 462 divórcios. Ou seja, em sendo esse ano, em média, igual aos demais, temos um insucesso de mais de 50%. Ao afirmar "maioria das pessoas passa uma vida junto mas não aprende a conviver, não aprende a olhar o outro e a respeita-lo" supõem-se que essa seja a atitude de algumas mulheres que acabam jogando seus homens para o bar (símbolo do futebol, da canastra e de tantas coisas que o fazem esquecer da razão pela qual se casou).

A pergunta da Giziela é fundamental. Homens que passam dos 40, como eu, entram num momento em que se colocam num paredão. Sobre isso escrevi algo que ajuda a entender e que você lê AQUI. E nesse paredão há o que deixou de experimentar e o que ainda quer experimentar. Olha para a companheira e nem sempre encontra alguém que admira (a recíproca é verdadeira). Enfim, há os que se acomodam, os que têm consciência do bem que possuem e os que alopram, partindo pra bagunça.

A despeito do que seja amor, numa relação passamos por momentos em que queremos abrir a porta, sair e nunca mais voltar. Esse papo de quem ama , ama sempre, é tolo, não corresponde à vida.

De qualquer forma como solteiro convivia mais com solteiros. Depois que casei passei a conviver mais com casados, por isso percebi muita coisa depois de casado - óbvio! Como é sabido que homens têm uma certa dificuldade de falar o que sentem e as mulheres falam até demais, é natural que muitos não conseguem ''discutir relação''. Além disso, o bar é símbolo da fuga. Mulheres fogem para os filhos, para a casa, para as compras ou para a fofoca.

Da mesma forma eu só pude perceber de fato o que é um homem acima dos 40 quando cheguei a essa idade. Poderia ter pesquisado antes, mas o fiz à medida em que vivi. Uma das coisas que percebi é que a maturidade feminina não era o que eu pensava. Ao invés das fantasias que eu tinha, deparei-me com um mundo ainda mais fantasioso e inseguro, muito longe das lobas da minha juventude. Das devoradoras a um punhado de moinhas ao vento. Essa é a parte que mais me chocou, com as exceções que confirmam a regra.

Posso, hoje, discorrer sobre a velhice, mas devo faze-lo quando lá chegar, se chegar.

Obrigado pela oportunidade de pensar sobre isso com vocês.

sexta-feira, 23 de novembro de 2012

Empresas do Shopping a Céu Aberto de Criciúma

Relação das empresas que fazem parte do Shopping a Céu Aberto da rua Coronel Pedro Benedet, com lançamento dia 8 de dezembro:


ACCESS
ALECRIM DOURADO AROMAS
AMORE LINGERIE
ANAREZ
ART FÓRMULAS
ART SPAÇO
ATIVA ESPORTES
BEBÊ CONFORTO
BELADERM
CARÍCIA MODA ÍNTIMA
DE LUCA MÓVEIS
ELLA COSMÉTICOS
FÊ MODAS E LAURA CONFECÇÕES
FIRENZE CALÇADOS
FOTO MASTER
FRETTA HOME CENTER
GALPÃO CRIOULO
GENDAI
GORBY LANCHES
HOMEDIC MATERIAL ORTOPEDICO
HOMEM & CIA


IRREVERÊNCIA ACESSÓRIOS
LABORATÓRIO MULHER
LORD MODA HOMEM
LOTÉRICA ESTRELATOS
METROPOLITAN
MONIKA KEN
NOVA OPÇÃO
NOVO MUNDO VIAGENS E TURISMO
PAIOLÃO BOUTIQUE
PÃO QUENTE
PERNAMBUCANAS
POSTO ROSSO
RAVELON CALÇADOS
SALETE CABELEIREIRA
SEM COMPROMISSO
TALISMÃ CALÇADOS
TECNOCELL
TERÊ CALÇADOS
TOQUE & RETOQUE
VITALIS
VITORETI JOALHERIA E ÓTICA

CAPITAL QUE É TRABALHO

Note essas duas informações na imprensa de hoje.

José Dirceu, o ex-homem forte do governo Lula e agora condenado pela Justiça, será o palestrante da 62ª Plenária Estadual da Federação dos Trabalhadores no Comércio no Estado de Santa Catarina (Fecesc), nesta sexta-feira, no Sesc do Cacupé. Falará sobre "Conjuntura política e econômica". (Visor DC)

A Fecomércio-SC irá sediar na próxima segunda-feira (26), a partir das 19h, o seminário “Questões atuais sobre ICMS”, promovido pela Câmara de Ética Tributária com o objetivo dar início a uma série de debates sobre os principais assuntos das relações tributárias entre o fisco e os empresários contribuintes. (site Fecomércio)

Ou seja, quem está preocupado com Santa Catarina, com os empregos, com a economia? A disparidade de interesses é brutal. Evidente o interesse sindical pelos trabalhadores. Ou melhor, pelos dirigentes do federação dos trabalhadores no comércio.

Se há uma luta capital X trabalho ela se dá no campo da sobrevivência e condições de vida pelos empresários e bestialmente ideológica pelos sindicalistas. Sim, quem é José Dirceu para tratar de "Conjuntura política e econômica"?

quarta-feira, 21 de novembro de 2012

PROTETORES DOS ANIMAIS E A BÍBLIA

Quando Moisés apareceu com os dez mandamentos teria dado início à legalidade na história do povo Hebreu. Outras tantas leis surgiram entre os povos através dos tempos. Nenhuma, até bem pouco tempo, dava qualquer atenção aos animais silvestres para que fossem preservados do ímpeto humano de matar e os domésticos aceitou sem qualquer contestação. Desde sempre os animais fizeram parte do cardápio humano, a exemplo da própria natureza, onde há uma escala alimentar e os carnívoros estão no topo. Contudo há mais a ser considerado.

Nos 10 Mandamentos de Moisés está escrito: "Não matarás." Porém, em seu contexto, limita-se a ação do homem sobre o homem. Um pouco antes disso, vemos Abel matando para prestar culto. E retroagindo ainda mais temos deus matando apenas para cobrir a nudez do primeiro casal, como você pode conferir em Gênesis capítulo três. Por todo o livro sagrado há matança de animais. Na saída do Egito teria havido a morte de um animal por família. Como calcula-se 400 mil pessoas, famílias eram grandes e certamente havia famílias pequenas, podemos dar uma média de 10 pessoas por família. Ou seja, teriam morrido, numa noite, 40 mil animais apenas para salvarem-se da morte, como se Deus precisasse de algum sinal para ver quem era quem. Dizem que seria para demonstrar obediência. Sim, mostraram muita obediência nos anos que se seguiram...

A morte de animais em rituais é coisa antiquíssima. Está em incontáveis culturas ao longo do tempo e ainda persistem em cultos em todos os continentes. Ou seja, parece que os deuses conspiram contra os protetores dos animais. Ou, como prefiro pensar, não tem Deus algum nessas expressões de fé, inclusive na Bíblia.

Se ainda há quem use do argumento de que estamos noutros tempos e o Novo Testamento bíblico tenha abolido o sacrifício de animais, devo dizer que se foi da vontade do deus hebreu, permanece como sendo do deus cristão. Pois aprovou um dia que isso fosse dessa maneira.

Um cristão não teria como ser um protetor de animais, contrário ao uso deles em rituais, pois seu deus instituiu tais atos como sendo de culto, mesmo que num passado distante.

O BRASIL QUE NÃO ESTÁ NA CARTILHA SOCIOPATA

As coisas mudaram tão rápido que entendo que alguns não tenham percebido. O Brasil é de tal forma outro, de há 30 anos, que não deu tempo de mudarem os discursos e reproduzem a cartilha de uma esquerda que usou essa mesma cartilha como papel higiênico. Ainda falam no domínio das elites como se fosse possível identificar essa elite, ou que ela é mesma desde sempre por aqui. Também falando dos conservadores, sem muita clareza obviamente, como se tudo o que os que querem preservar seu status quo fosse absolutamente mal. Por fim, atestam que seu ''lado'' está com toda a razão sem ao menos perceberem o que de fato os tais alimentadores do discurso estão fazendo no poder. Enfim, vejo tanta incoerência que vou me limitar às tais elites.

Falar em elite escravocrata e conservadora no Brasil de hoje é atestar ignorância. Onde está a tal elite escravocrata do século XIX? Totalmente dissipada e, em partes, extinta. Surgiram novas elites, de novas famílias, cujo poder está na ascensão econômica, não nas terras herdadas ainda no tempo das capitanias hereditárias. Via de regra, em pleno século XXI, que está na elite sabe que seu poder está no avanço da sociedade, não exatamente na manutenção de currais eleitorais ou coisa que o valha. Tampouco podem se alicerçar em dominar seguimentos produtivos porque há interação com o mercado internacional e qualquer um que queira ser rico enfrentará concorrência de empresários de qualquer parte do mundo. Enriquecer brigando apenas no mercado interno é impossível, pois o Brasil está no mercado globalizado, não é uma ilha. A vinda de capital econômico externo, bem como o apelo da Europa para que os daqui invistam lá, é mais que suficiente para deitar por terra esse arrazoado anacrônico de domínio do país por meia dúzia. Pior, achar que a mídia seja tão forte que domine as mentes da Nação.

Chega a ser ridículo, mas parece que dizer o óbvio se faz necessário. Um dos ícones da tão praguejada "imprensa golpista" é a Veja. Entretanto, mesmo que assim o fosse não estaria na condição de inventar quem é ou não milionário ou bilionário no Brasil. Além disso, o periódico faz menção à publicação da revista estadunidense Forbes ao identificar em que mãos está o poder econômico por aqui. Ou seja, a fonte é crível pela distância das disputas tupiniquins em que está. A matéria completa de Veja você lê AQUI.

Logo de início o texto resume bem a condição de mudança ocorrida no país a partir da abertura econômica promovida por Collor de Mello: "Na mais recente lista da tradicional revista americana Forbes, o Brasil atingiu a marca recorde de 30 bilionários. Em relação à listagem anterior, 12 novos brasileiros passaram a integrar o ranking dos mais ricos do mundo. Essa elite empresarial tem seu embrião nos anos 90, quando a mentalidade dos donos do dinheiro no Brasil começou a sofrer uma séria mudança." 

Vale lembrar que Lula passou para este grupo seleto em oito anos como presidente. E qual a ligação que este retirante tem com as tais elites históricas? Absolutamente nenhuma. O ex-torneio mecânico é elite.

VEJA de 4/10/1995: Os novos milionários
"Quando se toma o poder do dinheiro como referência, pensa-se logo no rei da soja Olacyr de Moraes, no capitão de indústrias Antonio Ermírio ou no homem de TV Roberto Marinho. Integram as listas dos pouquíssimos brasileiros com patrimônio pessoal acima de 1 bilhão de dólares. Mas, atenção, há novidades na calçada. Uma nova elite que criou fortuna nos últimos vinte ou trinta anos está aparecendo para fazer companhia à velha. (...) A elite empresarial mais antiga cresceu num ambiente em que as empresas eram altamente subsidiadas pelo governo, com financiamentos ou com contratos, ou então protegidas da competição estrangeira. Isso criou um cacoete. Os empresários podiam impor seus produtos e seus preços aos clientes, e por isso não buscaram eficiência. Pagavam mal os funcionários, mas queriam fidelidade. A nova elite não conta com subsídio, bate de frente com a concorrência externa, briga pelos clientes, paga bem e exige resultados dos funcionários que contrata, e abre o capital na bolsa para ampliar o negócio com o dinheiro de terceiros."

VEJA de 16/3/2011: Bilhão Novo
"Dez anos atrás, havia 538 bilionários no mundo, de acordo com a tradicional lista publicada pela revista de negócios americana Forbes. No mais recente ranking, os afortunados cujo patrimônio pessoal supera 1 bilhão de dólares chegaram a 1 210, o maior número já registrado, impulsionado pelo enriquecimento dos países em desenvolvimento. Dos 214 novatos, 108 são dos Brics (Brasil, Rússia, Índia e China). Hoje, um a cada quatro bilionários vive em algum desses quatro países, enquanto, há cinco anos, a proporção era de um a cada dez. A China possuiu 115 bilionários, número inferior apenas aos 413 dos Estados Unidos. No Brasil, os bilionários passaram de apenas seis, em 2001, para um total de trinta."

domingo, 18 de novembro de 2012

A palavra de Carlos Ayres Britto

Muito bem lembrado pelo ministro e responsável pela presidência do Supremo Tribunal Federal (STF) ao longo da ação penal 470, Carlos Ayres Britto, há muito mais que o Mensalão na história recente do poder judiciário.

"Eu digo que os fatos é que são novos, o imbricamento é que novo, o gigantismo da causa é que é novo, é inédito. O Supremo Tribunal Federal está produzindo decisões afeiçoadas ao ineditismo da causa. No campo científico, liberamos o uso das células tronco embrionárias. No dos costumes, decidimos em prol da homoafetividade, da interrupção da gravidez de feto anencéfalo, no ético cortamos na própria carne proibindo o nepotismo no Judiciário. No campo político, afirmamos a Lei da Ficha Limpa. Isso é um crescendo, o Supremo vem tomando decisões que infletem sobre a cultura do povo brasileiro. E agora chegou o campo penal." (declarações dadas à Folha de S. Paulo.)

Durante décadas o Supremo passou ao longe da memória da população. Sequer era mencionado nas conversas, senão as muito específicas dos advogados e estudantes de Direito. As transmissões ao vivo das sessões nos canais de TV por assinatura e internet foram extremamente úteis nesse processo de aproximação. Contudo, haja vista o baixo conhecimento que predomina na população e seu recorrente desinteresse sobre assuntos que fogem ao seu dia-a-dia e o vernáculo utilizados nas discussões entre os ministros é de se supor que passaremos outras tantas décadas até que esta casa de Justiça seja mais comum e compreendida.

sábado, 17 de novembro de 2012

SÉRIE A? ACHO QUE NÃO!

Sem deméritos por torcer e se empolgar com o Criciúma, calculo que umas 5 mil pessoas deram seis horas de seu tempo para ir (e voltar) ao HH, sendo modesto, em dois jogos nos últimos 30 dias. Viveram momentos de tensão, alegria e tristeza até a classificação para a Série A. Outras incontáveis horas de discussões, lamentos, análises e apostas. Cada um empreendeu alguma energia para entender e até dizer o que o time tinha que fazer em campo. Montaram mentalmente seu time ideal, chutaram o balde com o técnico e disseram o que o Antenor Angeloni tinha que fazer. Sim, supõe-se que torcedor saiba mais do seu time que o técnico e o presidente do clube... Incrível!

Porém, algo corria paralelo a isso. Houve uma vida que seguia silenciosa ou tão ruidosa que não pode ser ouvida com clareza. Sim, pairava sobre suas cabeças uma história que nem sempre é contada. Estava sobre estes torcedores a vida que não era deles. Uma vida quase desconhecida: a de outras tantas pessoas. A cidade tem suas veias, seus suspiros. A cidade pulsa, afoga-se, transpira, ressurge a cada dia.

Eis a pergunta que não quer calar aos meus ouvidos: Quanto tempo deram à cidade de forma voluntária?

Volto a dizer, até para evitar a fúria incontida que parece nortear a conduta de torcedores, que este texto não é uma depreciação à sua paixão pelo Tigre. Mas chama a atenção a desproporção. Convoque uma reunião na ACIC ou CDL para discutir os rumos do município e estarão lá os mesmos 10 ou 20 de sempre. Mas os outros 4.980 seguirão reclamando dos políticos...

Vou ao meu desabafo. Durante quatro anos fui voluntariamente às reuniões do Conselho de Desenvolvimento Econômico de Criciúma, onde discutíamos os pedidos de isenção de impostos ou ajuda do poder público com máquinas, por exemplo. Por dois anos conduzi o núcleo das lavanderias industriais para que desatassem o nó do lodo químico resultante do processo de lavagem do jeans. São apenas dois exemplos pessoais. Era dificílimo contar com um número representativo. Era raro, e tornou-se impossível, mobilizar cidadãos para trabalharem por algo acima de seus umbigos. ONGs que dão assistência a idoso e crianças penam atrás de recursos ou de voluntários para uma limpeza, ou para arrumar uma fechadura, uma tomada ou qualquer coisa simples. Recentemente um asilo estava praticamente sem comida em Criciúma. Houve uma bela mobilização, mas por que chegou nesse ponto? Não precisamos conviver com isso.

Lamento profundamente que coisas bem mais significativas para a vida de todos sejam tão barbaramente neglicenciadas.

Estamos mesmo na Série A?

sexta-feira, 16 de novembro de 2012

DILMA PODERIA DAR PERDÃO PRESIDENCIAL AOS MENSALEIROS

Dora Kramer
O Estado de S. Paulo - 18/10/2012

Quando assumiu a presidência dos Estados Unidos depois da renúncia de Richard Nixon por causa do caso Watergate, Gerald Ford concedeu perdão presidencial ao antecessor e, assim, evitou punições legais para além da perda do cargo.
Entre nós existe a figura do indulto, prerrogativa exclusiva da presidência da República. Se quiser, a presidente Dilma Rousseff poderá livrar os condenados no processo do mensalão do cumprimento ou determinar a redução das penas.
Estará amparada no artigo 84 da Constituição e, portanto, oficialmente não cometeria afronta alguma à decisão do Supremo Tribunal Federal.
O juízo aí deverá ser o da conveniência, oportunidade e utilidade políticas do perdão.
São variantes importantes porque, a despeito do ato legalmente perfeito, há de ser considerada a repercussão do gesto. Na sociedade e no próprio tribunal que já estará sob a presidência do ministro Joaquim Barbosa, cujo temperamento não sugere uma aceitação sem algum tipo de reação.
Mas seria uma resistência meramente simbólica e, caso se concretizasse, a princípio não teria a concordância da maioria do colegiado, pois a Constituição é clara ao dizer que compete privativamente ao presidente da República "conceder indulto e comutar penas, com audiência, se necessário, dos órgãos instituídos em lei".
Uma vez assinado o indulto, a extinção da pena precisa ser declarada pelo "juiz competente". No caso, o relator do processo, Joaquim Barbosa. Uma formalidade, pois legalmente não teria margem para contestar a decisão presidencial.
O outro caminho a ser tentado pelos condenados poderia ser o da anistia que, além de eliminar a pena, extingue a existência do crime. Os réus voltariam a ter ficha criminal limpa. O fundamento da anistia é o esquecimento.
Diferente do indulto, não é um ato discricionário do Poder Executivo, mas um perdão que depende de lei e, portanto, do Poder Legislativo.
O mesmo Legislativo que em 2006 não deixou Dirceu concluir seu discurso de volta à Câmara quando saiu da Casa Civil, e seis meses depois lhe cassou o mandato por quebra de decoro.
Calendário. A previsão de que o julgamento do mensalão termine até o próximo dia 25 é considerada muito otimista por alguns ministros. Uma data tida como mais realista seria a de 9 de novembro, cinco dias antes de o atual presidente Carlos Ayres Britto se aposentar.
Por essa agenda menos acelerada, a fase dos votos poderia ser concluída até a viagem do relator Joaquim Barbosa para a Alemanha, no dia 27, mas as penas só seriam definidas após a volta dele, na semana no dia 4.
A execução das sentenças, no entanto, é impossível de ser prevista porque depende da publicação do acórdão e do exame de todos os embargos, caso defesa ou acusação apontem algum tipo de omissão, obscuridade ou contradição no documento.
No exame dos embargos as partes são ouvidas novamente, mas não há mais sustentação oral. Se forem rejeitados, fica mantido o texto original, mas, se forem aceitos, é elaborado um novo acórdão ao qual outra vez podem ser apresentados embargos.
O caminho até o trânsito em julgado e daí às prisões, como se vê, é longo e vai entrar por 2013 afora.
Talvez mais, a julgar pelo caso do deputado federal Natan Donadon, condenado pelo STF em 2010 a 13 anos de prisão por desvio público e até hoje solto por força de recursos.
Podia ser pior. Condenados por corrupção ativa e ainda a serem julgados por formação de quadrilha, Dirceu e Genoino escaparam da denúncia por peculato.
Em 2006 a Procuradoria-Geral da República enquadrou ambos naquele crime, mas a acusação foi recusada em 2007 no STF por unanimidade.

quinta-feira, 15 de novembro de 2012

DESAFIO: ESPÍRITOS VENHAM!

Comecemos pelas palavras do seguidor do espiritismo, Dilson Grassi, amigo de Facebook: "Estude a doutrina como todos alguns anos, passando pelo estudo público. Depois pelo estudo mediúnico por uns dois anos, no mínimo, e aí você poderá participar das comunicações mediúnicas. Não é questão de privilégios meu amigo. Mas de organização, disciplina, prática da humildade, e de outros sentimentos nobres. Entretanto, isto não quer dizer que você não possa ter uma experiência destas fora da casa espírita. Muitos o tem as pampas..."

O espiritismo tem como sustentação a fragilidade humana. Assim como qualquer religião é preciso que o sujeito esteja caindo pelas tabelas emocionais para procurá-los. Ou vir na onda da família e amigos que o façam aceitar por tradição. Suponho que uns raros o façam por mera curiosidade. Nesse sentido o embate de ideias se segue exprimido pelas tais experiências mediúnicas. Nisso, assim como nas demais religiões, há algo claro, que falo em seguida.

No mesmo diálogo na rede social Fabre Cassivio disse: "Assim como a maioria das religiões, em especial o cristianismo, que como o próprio mestre parece ter dito, é para os pobres de espírito, os que choram, os perseguidos, etc etc. Mas seria muito interessante falar com os mortos. Por exemplo: muitos esconderam tesouros que se perderam, morreram e deixaram contas secretas levando consigo para o túmulo as senhas etc e tal. Sem falar de todos os saberes perdidos com aqueles que se foram."

O caso em comum com todas as religiões e crendices a respeito de mundos espirituais, metafísicos e o nome que queiram dar, é que há a figura do intermediário: médium, pastor, padre, xamã etc. O conhecimento e o acesso ao conhecimento são de uns poucos ''escolhidos''. Ou seja, é a legítima detenção do poder. Coisa do ego inflado. Somente nesse item vê-se a picaretagem sórdida que une esses exploradores da imbecilidade. Está clara a palavra de Grassi, pois o processo que ele apresenta faz parte do domínio, da condução das pessoas a pensarem de um jeito. É a legítima lavagem cerebral. Quanto à sua afirmação de que "não quer dizer que você não possa ter uma experiência destas fora da casa espírita. Muitos o tem as pampas..." faz parte da flexibilidade recorrente nesses mesmos seguimentos em que você, indivíduo, tem as portas abertas para o mundo imaterial, divino, ectoplasmático, transcendente. Coisa que serve para os seguidores ficarem na expectativa de que um dia conseguirão. E são ''forçados'' por seus próprios delírios a experimentarem as produções de suas próprias mentes. Imaginem que sociedade teríamos se fosse verdade! Nada estaria encoberto.

Para não ficarmos na guerra das opiniões, como se a verdade disso dependesse, vamos ao tira-teima.

Está lançado o desafio!

Venham espíritos desencarnados (evoluídos, brincalhões e demais) aqui em casa. Podem puxar meu pé, bater portas, quebrar pratos e arrastar cadeiras. Venham! Mas principalmente falem comigo. Vamos tirar a limpo esse negócio. Sem intermediários, sem médiuns, sem obstáculos. A coisa é comigo!

Você acha que esse desafio é ridículo ou descabido? Então assista um vídeo AQUI.

D. DINA E UM POUCO DA HISTÓRIA DE CRICIÚMA

Por conta de minha postagem no Facebook Agilmar Machado, jornalista, fala de um episódio em meio à deflagração do Regime Militar em março de 1964, "que ocorreu naquela etapa, quando operários, insuflados por pseudo-líder sindical, prometiam explodir o depósito de dinamite das minas (que ficava no porão do edifício da rua Rui Barbosa, 149)."

Liderados por Parente, o grupo levado pelas palavras vibrantes do pretenso "líder" vinha disposto a perpetrar o plano. O que desconheciam é que iria haver uma dura resposta armada para defender o patrimônio e, também, evitar que muitos inocentes viessem a perecer numa explosão daquele porte. Assim, em cada janela do prédio havia pelo menos três pessoas prontas a rechaçar, à bala, qualquer investida. Eles deixaram a sede do sindicato e já se encontravam na rua Rui Barbosa, a menos de cem metros, enquanto, no prédio, todos estavam atentos a ordem de disparar.

Dona Dina, arriscando sua própria vida, surpreendeu a ambos os lados ao deixar o prédio e, sozinha, enfrentar o líder e desafiá-lo publicamente. Dirigindo-se aos operários, advertiu do perigo que os aguardava, bem como que poderia causar uma explosão no depósito de dinamite. Convenceu os "liderados" a recuar. O "líder" ainda recebeu um monte de desaforos pela cara, desafiado para medir forças com ela ali mesmo, de "mano a mano". Ambos acabaram sós no meio da rua com o afastamento dos operários. Sem responder nada, ele também se afastou.

Antes desse desfecho já se tinha conhecimento da ameaça e havia rodízio de guarda em pontos estratégicos do edifício e de locais circunvizinhos, o que durou quase uma semana indormida.
No diálogo Darci Antonio Althoff fez sua manifestação: "Lembro do exército, ficávamos conversando com eles sobre o motivo que estavam aqui, mas faziam que não sabiam." Da mesma forma Patricia Nardini: "Nossa... tanta informação!"

Agilmar Machado complementa.

Na ocorrência que culminou com a presença do Exército, em Criciúma, há que se discernir entre o fato da tentativa de invasão do prédio da rua Rui Barbosa, o que se deu em 1962 (se não me engano) e a tropa do Terceiro Exército do tempo da "legalidade", movimento liderado por Leonel de Moura Brizolla destinado a garantir a posse constitucional de João Goulart, como presidente (com a renúncia de Jânio Quadros). Os militares ficaram acantonados ao longo das margens da então sub-base da estrada entre Criciúma e Içara (distrito), na zona norte da cidade.

Era uma tropa de recrutas que não tinha muita experiência de sobrevivência em circunstâncias adversas de tempo. Chovia muito e as nuvens eram bastante escuras e de baixa altitude, tendo perdurado por muitos dias. Os víveres foram acabando e faltava combustível. Não havia nenhum sinal de hostilidade contra ninguém. Tinham o destino de Cabeçuda (Laguna) onde se propalava que poderia haver um choque com forças contrárias, vindas do norte.

O Dite Freitas e eu íamos até lá, quase que diariamente, para levar cigarros e muitos gêneros não perecíveis  Conversávamos bastante com a tropa. Nada tinha a ver com Criciúma; eles estavam apenas de passagem e foram obstados pela chuva incessante por muitos dias. Tão logo a tropa se deslocou, requisitou combustível num posto de gasolina, já em Tubarão (na entrada antiga, já que a BR-101 somente seria concluída em 1970).

quarta-feira, 14 de novembro de 2012

ÚLTIMAS TENTATIVAS DE SALVARO

A defesa do prefeito reeleito em Criciúma, Clésio Salvaro, já encaminhou mais um recurso ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), dessa vez por embargos de declaração sobre a decisão do próprio TSE, através do ministro relator Arnaldo Versiani, que, há exatos sete dias, colocou o caso em pauta e manteve o indeferimento da candidatura de Salvaro.

O pedido de embargos de declaração tem como objetivo a revisão do processo ou de alguma parte dele. Isso acontece quando a defesa acredita que é preciso "clarear" a decisão, alegando que existem pontos omissos ou contraditórios. As informações são do advogado Giovani Dagostim, que compõe a defesa responsável pelo caso de Salvaro.

"O mandato do juiz relator (Arnaldo Versiani) foi encerrado, então haverá redistribuição dos processos para o novo relator. Ele estudará o caso e deve colocá-lo novamente na pauta do TSE quando tiver tomado uma decisão. Portanto, não há previsão para ele proferir a nova decisão", afirma Dagostim.

Caso seja mantido o indeferimento, a defesa pretende encaminhar recurso extraordinário ao Supremo Tribunal Federal (STF). Esta será, portanto, a última tentativa possível aos advogados de Clésio Salvaro para reverter o caso a favor dele.

Portal Engeplus.

BOATARIA ESPORTE CLUBE

Após os atentados da noite passada, foi a vez de boatos serem enfrentados pelas autoridades. Nesta quarta-feira, via redes sociais, disseminaram-se informações inverídicas sobre assaltos, homicídios e tentativas de homicídios na área central, arrastões e tiroteios. A central de operações da Polícia Militar também atendeu a centenas de ligações de cidadãos preocupados com fatos que foram inventados como consequência dos crimes cometidos (os disparos contra o presídio Santa Augusta e os ônibus incendiados). 

Conforme o comandante de área da Polícia Militar, Major Dimitri, a situação nesta tarde está tranquila e nenhum dos incidentes criminosos citados ocorreu na cidade. O tenente-coronel Márcio Cabral, do 9º Batalhão da Polícia Militar de Criciúma, orienta que esse tipo de informação falsa difundida atrapalha o trabalho investigativo da Polícia Civil e de ação da Polícia Militar e pode contribuir para espalhar medo e o pânico na população, o que não é apropriado. “Estamos à disposição da comunidade para ajudar e para ouvir as denúncias, mas elas precisam ser verdadeiras. A população pode ajudar ao ligar para o 190 e o disque-denúncia da Polícia Civil 197. As informações repassadas devem levar aos autores, e não atrapalhar”, esclarece Dimitri.

Desde cedo, equipes da PM e o próprio major estão nas ruas da cidade. Ele afirma que a situação é tranquila. Estão em execução as operações saturação nos bairros considerados de criminalidade crítica, as viaturas estão espalhadas em pontos estratégicos de modo a serem vistas pela população e operações noturnas de varredura (blitze e abordagens) estão programadas. “Tivemos os incidentes da noite, e às 11h30min foram disparados tiros na região dos trilhos. Após isso, não houve nenhum episódio criminoso na cidade”, finaliza Dimitri. E Cabral reforça a escolta dos ônibus que farão as linhas pela madrugada.

Sobre o momento delicado que vive a cidade, a coordenadora da Defesa Civil, Angela Mello, em seu Facebook, pede que as redes sociais sejam usadas com responsabilidade

Do Portal Engeplus.

PM REFORÇA PATRULHAMENTO


Fotos: Ana Paula Cardoso, Douglas Saviato e Amanda Garcia Ludwig
34
Cerca de 12 horas após os atos de violência registrados em Criciúma na noite dessa terça-feira, o comandante da Polícia Militar, tenente-coronel Márcio Cabral, em entrevista aos jornalistas na manhã desta quarta-feira narrou os momentos de tensão da noite passada e antecipou medidas preventivas quanto á atuação da polícia na cidade nas próximas horas. Desde a madrugada a polícia se mantém nas ruas. Na área Central de Criciúma e nos bairros próximos onde ocorreram os atentados, a presença de policiais é ostensiva.

O coronel alertou a população para que auxilie na identificação de quem tenha cometido os atos criminosos e também antecipou que no fim da tarde desta quarta-feira os policiais estarão atuando com atenção máxima. “Os trabalhos serão intensificados no fim da tarde, bem como nesta noite. Não está descartada a possibilidade que estes atos se repitam. A PM está atuando com reforço no efetivo para garantir a segurança da população. Trinta policiais a mais estão na atividade em Criciúma".

Nesta madrugada, o efetivo já havia sido reforçado; profissionais que estavam de folga integaram-se às equipes e atuaram nos bairros mais críticos na região do Pinheirinho. “Os números de abordagens serão maiores nas próximas horas, quem estiver em ato suspeito será revistado. Mas isso deve ser encarado de forma natural”, pontua Cabral.

Em relação aos autores dos atos criminosos, o comandante não descarta nenhuma hipótese, nem a de que uma facção criminosa, como o Primeiro Grupo Catarinense (PGC) teria comandado os atos. Conforme Márcio Cabral, acredita-se que a violência tenha partido de imitações, ou seja, por forma de contágio pelas inúmeras matérias negativas de violência vinculadas através da mídia nacional e estadual, e que acabou influenciando atos semelhantes em cidades como Criciúma.

Os órgãos de segurança como a Polícia Civil trabalham na identificação dos autores destes atos criminosos. Especula-se que os crimes tenham ligação (dos disparos contra o Presídio Santa Augusta e o incêndio dos ônibus) e cerca de oito pessoas estejam envolvidas, inclusive menores de idade. Sobre as linhas investigatórias, segundo Cabral, nada está sendo revelado para não atrapalhar os trabalhos. “A cidade já teve problemas maiores em termos de impactos de pessoas, como os casos de latrocínios, mas este caso, por suas características, acabou chamando mais atenção da população”, explica.

O coronel acrescenta que na madrugada passada não teve toque de recolher, o que houve foi a orientação de algumas empresas de ônibus retirassem suas linhas da rua para evitar maiores problemas. Para o jogo do Criciúma e para o feriadão que começa nesta quinta-feira, o efetivo reforçado será mantido, e por tempo indeterminado.

Atos criminosos – “Tivemos uma noite complicada, começando no presídio Santa Augusta, onde disparos foram desferidos contra a guarita. Depois estes atos se expandiram para os bairros da região do Pinheirinho”, avaliou o comandante. Homens pararam um ônibus no bairro Paraíso e atearam fogo. A Polícia Militar que estava nas proximidades por conta de rondas habituais  e percebeu a movimentação através de gritos de passageiros. A partir daí, houve troca de tiros entre policiais e criminosos.

Na operação, nenhum morador e nenhum policial ficou ferido. Logo depois, outro ônibus foi incendiado no bairro Nova Esperança. Também foi confirmado um ônibus apedrejado no bairro Renascer. Seis vidros do veículo foram quebrados.  Segundo o Coronel foi uma surpresa a ocorrência no bairro Nova Esperança. “Não se tem notícias crimes no bairro, houve apenas um caso de homicídio nos últimos dois anos. Já no bairro Paraíso e Tereza Cristina, o número de marginais é maior, além de ser um local difícil de trabalhar, pois alguns pontos veículo não tem acesso, apenas motocicletas”, salientou.

População – Cabral lembra que a maioria dos moradores da região do Pinheirinho, local mais crítico, são pessoas de bem e podem colaborar nas investigações através do 190 telefone da Polícia Militar e do 181 da Polícia Civil. “Se as pessoas tiverem informações, que elas nos repassem. Esta iniciativa nos ajuda bastante”, solicita.

A Polícia Civil de Criciúma também trabalha nas investigações sobre os ônibus incendiados. De acordo com o delegado regional Jorge Koch, esse é o foco da equipe. "Vamos trabalhar dia e noite. Todos os nossos guardas estão em campo para identificar os autores dos incêndios".

Colaboração Amanda Garcia Ludwig

Publicado no Portal Engeplus.

Troca de tiros e dois ônibus incendiados em Criciúma


Noite violenta: Troca de tiros e dois ônibus incendiados nesta noite em Criciúma

13 de Novembro de 2012 23h48
Ana Paula Cardoso - anacardoso@engeplus.com.br

Matéria atualizada às 0h48min/ Os protestos dos detentos em Santa Catarina repercutem em Criciúma. Nesta noite, tiros foram disparados contra o Presídio Santa Augusta em atentado, ninguém ficou ferido conforme informações preliminares da Polícia Militar.  De acordo com um funcionário do Presídio Santa Augusta, dois disparos foram desferidos contra o portão da instituição. A ocorrência aconteceu por volta das 21h30min. Seis viaturas foram acionadas e se deslocaram para o presídio. Neste momento, uma viatura está no local para atuar na segurança da instituição que está em alerta para novas ocorrências.

Ainda hoje, dois ônibus foram incendiados, um na região do bairro Paraíso e outro no Nova Esperança. Além disso, há troca de tiros entre polícia e criminosos nessa região dos trilhos. O Corpo de Bombeiros controlou os incêndios com a ajuda de populares. Conforme informações via Facebook, os ônibus de Criciúma foram tirados de circulação. As últimas linhas circularam até as 23h10min.

A Polícia Militar de Criciúma pediu reforço para fechar o cerco nesses bairros. A orientação é para que moradores das regiões em conflito não saiam de casa. Nessa terça-feira, mais cedo, em entrevista ao PortalSatc.com, o delegado regional Jorge Koch disse acreditar que a movimentação em Criciúma não teve nenhuma ligação com os demais movimentos do estado: ônibus incendiados em Blumenau e Canasvieiras e greve de fome em pelo menos três presídios de Santa Catarina. Em Criciúma, 31 detentos do presídio Santa Augusta foram transferidos na última segunda-feira, após uma confusão no café da manhã e a declaração de greve de fome.

Foi decretado na cidade toque de recolher. O primeiro toque de recolher é no bairro Próspera. Quem for visto na rua será encaminhado para casa. Ninguém foi preso até o momento.

Algumas ruas do Centro de Criciúma estão sem energia desde à 0h40min. Foi registrado um apagão na rua Cassimiro Milioli, próximo ao Corpo de Bombeiros.

Em breve, mais informações.

Com colaboração de Amanda Garcia Ludwig e Douglas Saviato.

Publicado no Portal Engeplus.

terça-feira, 13 de novembro de 2012

LOUCURA

Disse Tertuliano, um dos ícones do cristianismo, há mais ou menos 1.800 anos: "creio porque é absurdo". Os cristãos, eivados contra o pensamento humano, como se a Bíblia não o fosse, apoiam-se em textos como: "Porque a sabedoria deste mundo é loucura diante de Deus; pois está escrito: Ele apanha os sábios na sua própria astúcia." (1 Coríntios 3:19) Com isso jogam na vala comum do desprezo qualquer questionamento às suas concepções de verdade. E como seria o mais absurdo para nele crer? Se o critério é a loucura, o absurdo, o não humano, como descobrir além do raciocínio (humano) o que seja pura ilusão ou discurso de quem não quer oposição?

Daí me ocorre que sou descrente pela impossibilidade de saber qual crença, das tantas pelo mundo, é a mais absurda. Eis uns pequenos exemplos: animais divinizados no hinduísmo (vaca, macaco, cobra etc). Está em Shiva, um deus azul e com quatro braços, algo que podemos classificar com ainda mais absurdo, portanto, ainda mais crível: "Na tradição hindu, Shiva é o destruidor, que destrói para construir algo novo, motivo pelo qual muitos o chamam de "renovador" ou "transformador". As primeiras representações surgiram no período Neolítico (em torno de 4.000 a.C.) na forma de Pashupati, o "Senhor dos Animais". A criação do yôga, prática que produz transformação física, mental e emocional, portanto, intimamente ligada à transformação, é atribuída a ele. Shiva é o deus supremo (Mahadeva), o meditante (Shankara) e o benevolente, onde reside toda a alegria (Shambo ou Shambhu)." (WIKI)

Porém, os absurdos não param por aí. Incas, Mais e Astecas endeusados como cultura das mais superiores e que os terríveis espanhóis destruíram em sua virulenta tomada de poder na América, criam que apaziguavam deuses com sacrifícios humanos. A arqueologia vem descobrindo corpos e mais corpos de crianças mumificadas nos Andes fruto dessa crença absurda. Elas eram dopadas e colocadas no mais alto das montanhas e ali morriam de frio. Além disso, as narrativas das mortes de virgens, com suas vísceras esparramadas pelas pirâmides astecas são ou não uma loucura? Por que essa não seria a loucura de deus?

Colocar a nossa relação com deus no nível do texto bíblico citado remete à impossibilidade de qualquer argumento. Ora, tudo o que dissermos é louco! Permanece intocável como se o fosse. Basta transitar pela história descrita nesse mesmo livro que se vê o que é loucura. Um livro tido como "A Palavra de Deus", que manda matar filhos rebeldes, coloca a mulher absolutamente inferior aos homens, que manda a mulher calar-se nas reuniões e aprender exclusivamente com o marido em casa não me parece lúcido. É louco mesmo!

Em 1954, cerca de um ano antes de sua morte, Einstein escreve a um amigo e diz: "a palavra de Deus é, para mim, nada mais do que expressão e produto da fraqueza humana. (...) Uma coleção de lendas honoráveis, ainda que primitivas. Para mim, a religião judaica, como todas as outras religiões, é uma encarnação das superstições mais infantis. E o povo judeu, a quem pertenço alegremente e que tenho profunda afinidade, não tem qualidade superior em relação a todas as outras pessoas."

PROFESSORES DA AFASC FAZEM PROTESTO

Os professores da Afasc lotaram a sessão desta segunda-feira da Câmara de Vereadores para pedir apoio do legislativo de Criciúma a respeito do reajuste salarial e das cláusulas sociais que estão reivindicando junto. As reivindicações dos professores da Afasc são o piso nacional do magistério, fixado em R$ 1.450, regência de classe de 30%, número de crianças por classe conforme o estabelecido pela lei, plano de carreira, hora/atividade e salubridade. Hoje, o professor que trabalha 20 horas por semana nos Centros de Educação Infantil da associação recebem R$ 620, enquanto os educadores contratados pelo município ganham R$ 1,2 mil. 

“A gente veio pedir ajuda porque estamos no limite. Nós pedimos que vocês lutem por nós, que se comprometam. Eu trabalho há 12 anos na Afasc e essa é a primeira vez que vejo essa mobilização”, declarou Eliziane Machado, que representou a categoria na sessão. 

Na última quinta-feira, o Sindicato dos Empregados em Entidades Culturais, Recreativas e de Assistência Social, de Orientação e Formação Profissional do Estado de Santa Catarina (Senalba), que representa os funcionários da Afasc, reuniu-se com representantes da associação e da prefeitura e negociou o futuro da categoria. De acordo com o comunicado emitido pelo próprio sindicato, foi solicitado 6,58% de aumento salarial, contados a partir de outubro de 2012, e que algumas cláusulas já existentes no acordo coletivo de 2011/2012 sejam mantidas. 

Da reunião, ficou decidido que Governo Municipal e Afasc iriam estudar as reivindicações e apresentar uma contraproposta. Uma nova reunião ficou marcada para esta quarta-feira, com o objetivo de definir a situação. Após as manifestações na Câmara, os educadores se reuniram e marcaram uma assembleia também para quarta, às 19h30min, na sede do Sindicato dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal de Criciúma e Região (Siserp) para saber o que ficou definido à tarde pelo Senalba e pela prefeitura.

Votação do Plano Diretor é adiada
A votação do Plano Diretor, que deveria ter sido reiniciada nesta segunda-feira, foi adiada por falta de quórum. No início da sessão, apenas o vereador João Fabris estava ausente, mas, após a manifestação da Afasc, os vereadores Ivan Westphal (Camisa), Izio Inácio (Hulk), Douglas Mattos e Tati Teixeira foram acompanhar a reunião dos professores e não ficaram para a votação. 

Como o mínimo exigido para a votação é de oito vereadores, o presidente da Câmara, Antônio Manoel, o Toninho da Imbralit, declarou encerrada a sessão. Nesta terça-feira, o legislativo se reúne mais uma vez e voltam a votar o Plano Diretor. Das 146 emendas, 71 já foram votadas na semana passada.

Publicado no portal Cilc A Tribuna

segunda-feira, 12 de novembro de 2012

20 milhões de livros no lixo


Publicado originalmente no Terra
Um juiz auxiliar do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) fez as contas de quanto se gasta com a propaganda eleitoral impressa, e chegou a uma conclusão: a propaganda eleitoral é cara e agride o meio ambiente. Só com combustível, até o primeiro turno das eleições, foram gastos 54 milhões de litros, o que significa quase 40 toneladas de gás carbônico a mais na atmosfera.
Nos quase três meses de propaganda eleitoral nas cidades, partidos e candidatos investiram alto em propaganda eleitoral impressa. Até a segunda parcial de contas apresentada ao TSE, mais de R$ 300 milhões haviam sido gastos só com papel e publicidade em jornais e revistas. O juiz auxiliar da presidência do TSE, Paulo de Tarso Tamburini, explica que isso equivale a mais de 20 milhões de livros ou cadernos que poderiam ser feitos, ou a mais de 20 bilhões de folhas tamanho A4. Ou, ainda, a 417 mil árvores cortadas.

SHOPPING A CÉU ABERTO NA PEDRO BENEDET

Na última sexta-feira foi apresentado um novo modelo para a rua Coronel Pedro Benedet, na área central de Criciúma. Há três meses os lojistas foram procurados pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) para implantação de um shopping a céu aberto ao longo da via. O projeto exposto pelo Sebrae, que é chamado de revitalização de espaços comerciais, têm âmbito nacional. Conforme o presidente do comitê gestor Osmar Rocha Júnior, o novo visual da via vai dar mais comodidade e segurança tanto pra comerciantes como para os consumidores. 

“Com construções de novos shoppings, as áreas centrais das cidades acabam ficando de lado. Os consumidores têm a tendência de procurar lugares onde eles encontrem tudo, ou seja, os shoppings. Então a realização de um shopping a céu aberto trás um diferencial para a cidade. Se nós não pegássemos essa proposta do Sebrae, o recurso iria para a cidade de Itapema”, explica Osmar, mais conhecido como Mazinho.

Dos 60 comerciantes, 43 aderiram ao projeto, destes, um deles é dona Marli Piccinini. “Vai ser muito boa essa mudança. Nossa rua já ganhou outra cara com a reforma, agora a construção deste shopping a céu aberto vai trazer um torno muito bom para nós”, pontua a comerciante inserida há 2 anos no local. 

Outra comerciante que comemora é Tânia Botelho. “Essa rua é próxima da Praça Nereu Ramos, mas às vezes é um pouco esquecida pelos consumidores, a mudança vai atrair mais consumidores”, ressalta. De acordo com Rocha, os carros vão continuar passando pela rua. “Isso ajuda a manter a rua viva. Também será colocado bancos ao longo da estrada, bem como totens com a história da rua, e placas padronizadas para todos os estabelecimentos”, destaca. 

A primeira rua a receber este novo estilo foi no Estado de São Paulo. Em 2003, a João Cachoeira recebeu um shopping a céu aberto. “Além do novo visual, os comerciantes através do Sebrae vão ganhar cursos, o que vai também melhorar o atendimento para os consumidores”, conta Rocha. No dia 8 de dezembro o novo shopping será lançado oficialmente, com várias atrações culturais. “O evento vai acontecer no Sábado Mais e a rua será interditada somente neste dia, onde a população vai conhecer a Coronel Pedro Benedet Open Shopping”, antecipa.

A expectativa é que até o primeiro trimestre do próximo ano a rua esteja totalmente pronta. “Tudo isso é para melhorar a vida dos comerciantes e dos consumidores, bem como o atendimento”, finaliza. Para o consumidor Helvio Benetton, tudo o que vem para agregar e melhorar a vida da população é bem-vinda. “Avalio como bem positivo esse novo empreendimento, acho que a população só tem a ganhar”, opina. 

Portal Engeplus.

quinta-feira, 8 de novembro de 2012

DESCUBRA SE VOCÊ É UM 'CORRUPTO'


10 ‘práticas de corrupção’ do dia a dia do brasileiro

Mariana Della Barba, em BBC Brasil

Título original: Lista aponta 10 ‘práticas de corrupção’ do dia a dia do brasileiro
Quase um em cada quatro brasileiros (23%) afirma que dar dinheiro a um guarda para evitar uma multa não chega a ser um ato corrupto, de acordo com uma pesquisa realizada pela Universidade Federal de Minas Gerais e o Instituto Vox Populi.
Os números refletem o quanto atitudes ilícitas, como essa, de tão enraizados em parte da sociedade brasileira, acabam sendo encarados como parte do cotidiano.
“Muitas pessoas não enxergam o desvio privado como corrupção, só levam em conta a corrupção no ambiente público”, diz o promotor de Justiça Jairo Cruz Moreira.
Ele é coordenador nacional da campanha do Ministério Público “O que você tem a ver com a corrupção”, que pretende mostrar como atitudes que muitos consideram normal são, na verdade, um desvirtuamento ético.
Como lida diariamente com o assunto, Moreira ajudou a BBC Brasil a elaborar uma lista de dez atitudes que os brasileiros costumam tomar e que, por vezes, nem percebem que se trata de corrupção.
  • Não dar nota fiscal
  • Não declarar Imposto de Renda
  • Tentar subornar o guarda para evitar multas
  • Falsificar carteirinha de estudante
  • Dar/aceitar troco errado
  • Roubar TV a cabo
  • Furar fila
  • Comprar produtos falsificados
  • No trabalho, bater ponto pelo colega

  • Falsificar assinaturas
“Aceitar essas pequenas corrupções legitima aceitar grandes corrupções”, afirma o promotor. “Seguindo esse raciocínio, seria algo como um menino que hoje não vê problema em colar na prova ser mais propenso a, mais pra frente, subornar um guarda sem achar que isso é corrupção.”
Segundo a pesquisa da UFMG, 35% dos entrevistados dizem que algumas coisas podem ser um pouco erradas, mas não corruptas, como sonegar impostos quando a taxa é cara demais.

Otimismo

Mas a sondagem também mostra dados positivos, como o fato de 84% dos ouvidos afirmar que, em qualquer situação, existe sempre a chance de a pessoa ser honesta.
A psicóloga Lizete Verillo, diretora da ONG Amarribo (representante no Brasil da Transparência Internacional), afirma que em 12 anos trabalhando com ações anti-corrupção ela nunca esteve tão otimista – e justamente por causa dos jovens.
“Quando começamos, havia um distanciamento do jovem em relação à política”, diz Lizete. “Aliás, havia pouco engajamento em relação a tudo, queriam saber mais é de festas. A corrupção não dizia respeito a eles.”
No Rio, manifestantes defendem “limpeza” no governo
“Há dois anos, venho percebendo uma grande mudança entre os jovens. Estão mais envolvidos, cobrando mais, em diversas áreas, não só da política.”
Para Lizete, esse cenário animador foi criado por diversos fatores, especialmente pela explosão das redes sociais, que são extremamente populares entre os jovens e uma ótima maneira de promover a fiscalização e a mobilização.
Mas se a internet está ajudando os jovens, na opinião da psicóloga, as escolas estão deixando a desejar na hora de incentivar o engajamento e conscientizá-los sobre a corrupção
“Em geral, a escola é muito omissa. Estão apenas começando nesse assunto, com iniciativas isoladas. O que é uma pena, porque agora, com o mensalão, temos um enorme passo para a conscientização, mas que pouco avança se a educação não seguir junto”, diz a diretora. “É preciso ensinar esses jovens a ter ética, transparência e também a exercer cidadania.”

Políticos x cidadão comum

Os especialistas concordam que a corrupção do cotidiano acaba sendo alimentada pela corrupção política.
Se há impunidade no alto escalão, cria-se, segundo Lizete, um clima para que isso se replique no cotidiano do cidadão comum, com consequências graves. Isso porque a corrupção prejudica vários níveis da sociedade e cria um ciclo vicioso, caso de uma empresa que não consegue nota fiscal e, assim, não presta contas honestamente.
De acordo com o Ministério Público, a corrupção corrói vários níveis da sociedade, da prestação dos serviços públicos ao desenvolvimento social e econômico do país, e compromete a vida das gerações atuais e futuras.

JESUS SERIA UM PLÁGIO COM INTERESSES POLÍTICOS?

Seria Jesus um plágio? A fé dos cristãos, nem de longe, aceitaria que seu ícone seja destituído do pedestal que foi posto. Mesmo que para tanto seja preciso fechar os olhos para evidências mais consistentes que as razões de terem-no posto lá.

Transitando pela História já consolidada, indo além de meras suposições advindas da descrença pela descrença, ou da crença pela crença, temos alguns casos que reforçam a tese do mito chamado Jesus. O texto a seguir, que você confere na íntegra AQUI, dá uma luz à questão:

O deus egípcio Hórus, por exemplo: nasceu a 3000 a.C., é um messias solar que luta contra o messias das trevas, Set, rei na noite. Hórus nasceu a 25 de dezembro, é filho de Isis-Meri, uma virgem. Quando nasceu, três reis seguiram as pegadas de sua aurora. Como Cristo, começou a pregar aos 12 anos de idade e foi batizado também aos 30 anos. Tifão (como Judas a Cristo) o traiu. Hórus foi crucificado e ressuscitou três dias depois.

Na Frígia, temos outro caso: o messias Attis nasce a 25 de dezembro, da virgem Nana, e passa por martírio, traição e calvário como Cristo. Na Índia, em 900 a.C., Krishna nasceu da virgem Devaki, no mesmo dia de Cristo. Tudo igual, também, (...) Dionísio, na Grécia de 500 a.C., o mesmo também para Mittra, na Pérsia, renascido, depois de uma traição, a 25 de dezembro, só que em 1200 a.C. O que nivela os destinos de tantos avatares, tão iguais em culturas tão díspares e tão distantes em seus tempos e latitudes?

As bases históricas para a existência de Jesus, como descrita na Bíblia, são incrivelmente frágeis. Os registros existentes são TODOS posteriores e NADA há do momento em que estaria em atividade. Além disso, são claros os textos do Novo Testamento que atestam a passividade diante do Império Romano. Jesus teria vivido sob o domínio romano e não há uma linha, sequer, em que se insurja contra isso. Pelo contrário, como um verdadeiro aliado ele teria dito "Dai a César o que é de César..." - impostos. Da mesma forma os demais escritos do NT. Por exemplo, Paulo diz em Efésios 6.12: "Porque não temos que lutar contra a carne e o sangue, mas, sim, contra os principados, contra as potestades, contra os príncipes das trevas deste século, contra as hostes espirituais da maldade, nos lugares celestiais." De forma mais acintosa, esse mesmo apóstolo afirma em Tito 3.1: "Adverte-lhes que estejam sujeitos aos governadores e autoridades, que sejam obedientes, e estejam preparados para toda boa obra.". Isso aponta para a tese de que havia um interesse de criar, entre o povo, a ideia de que não importava que estivessem dominados, militar e politicamente. A disseminação dessa postura, com ares de verdade divina, é totalmente favorável a quem domina pela força.

Nos meus estudos do NT esse fato saltou aos olhos mesmo quando eu ainda era um cristão devoto. Em 1992(3), numa das edições do programa Canal 5-7-0, da rádio Eldorado, apresentado pelo jornalista Nei Manique, quando o assunto era o envolvimento político dos evangélicos, eu entrei ao vivo, como ouvinte, e dei este parecer, do não envolvimento de Jesus na situação de seu povo. Portanto, Jesus era um ser apolítico, ou um alienado como diríamos hoje. Faz todo o sentido porque ele teria dito: "O meu reino não é deste mundo". Ora, um povo cordeirinho é tudo que um governo estrangeiro, ou uma ditadura, quer.

O fato é que Jesus reúne todas as características do mito: fraqueza histórica, aparecimento não natural, fatos miraculosos, sincretismo com crenças à volta, comportamento não-humano ao mesmo tempo como se o fosse, vitória sobre a morte e por aí vai.

Um cristão, querendo ser zeloso, sequer ergueria a mão em um questionamento sobre os ditames de qualquer administração pública. Além disso, a relação com crenças anteriores mostra mais um sincretismo do que uma Revelação. Ora, uma revelação, vinda diretamente de Deus, não poderia, me parece, conter tais similaridades. Soma-se a isso a dificuldade, exposta como uma fratura, de um arcabouço doutrinário claro. Os textos do NT foram se somando com o tempo até a formatação do Canon como temos hoje. Foram cerca de 250 anos para tal. Ora, em sendo a Bíblia uma revelação divina não poderia ter passado por um arranjo dessa natureza ao mesmo tempo que valida a tese da construção política fomentada por dominadores usando textos aqui e acolá. Para a época, assim como hoje para muitos, divinizar uma informação dá toda a credibilidade para virar ''lei''.

Note que o Egito havia sido invadido por Roma cerca de 100 anos dos primeiros textos cristãos e a igreja cristã Kopta é contemporânea à católica. Fazendo todo o sentido haver uma relação entre as crenças dos remanescentes egípcios e uma nova religião. Da mesma forma os ensinos de Jesus apontam para o Cinismo grego. "O cinismo foi uma corrente filosófica fundada por um discípulo de Sócrates, chamado Antístenes, e cujo maior nome foi Diógenes de Sínope, por volta de 400 a.C., que pregava essencialmente o desapego aos bens materiais e externos." (Wiki) Ou seja, não há uma novidade. Ou há uma novidade para quem desconhece outras fontes.

A evolução dessas coisas jamais estará sob o controle total de quem quer quer seja. Neste caso suponho tenha sido uma das formas do Império. Por certo não fazia parte do objetivo inicial que o próprio Império se curvasse à crença. Contudo, se curvou, sem antes formatar um novo arranjo, um novo sincretismo, fazendo surgir os santos católicos como arremedos dos deuses romanos, que por sua vez foram arremedos dos gregos, seguindo o norte da antiguidade de ter um deus para cada atividade/necessidade humana. No caso dos católicos: santos. Note que a sequência dos arranjos tem uma lógica sórdida. Ao converter-se ao cristianismo, o imperador Constantino, tratou de ficar de bem com o máximo de líderes religiosos da época, cristãos e não-cristãos. Em sendo assim buscou uniformidade de pensamento conclamando o primeiro Concílio, de Nicéia (325 dC). Com isso o controle fica facilitado por eliminar a diversidade. Em sua origem o distanciamento do Império é óbvio para o sucesso do empreendimento, daí não haver qualquer registro sobre Jesus e muito menos que houvesse tal determinação. Contudo, podemos ligar os fatos.

Flavio Josefo, historiado judeu-romano, usado como referência para embasar o Jesus histórico, viveu exatamente o momento do surgimento do cristianismo e sua ruptura com o judaísmo, reforça a tese. Relata a revolta dos judeus que culminou na destruição de Jerusalém no ano 70 dC, fala de Jesus como líder e de seus seguidores. Contudo, sua biografia deixa claro o jogo duplo que fazia. Sendo fariseu andou de braços dados com o Império Romano até sua morte, 30 anos depois da queda da cidade-estado. Os relatos sobre mártires que Josefo deixou apontam na direção da criação de heróis, principalmente quando esses são vítimas do judaísmo, o qual decididamente queria destruir. As peças se encaixam. Era preciso dar uma religião à diáspora.

Ao contrário do que alguns poderiam argumentar os imperadores foram, em sua vasta maioria, bons para os cristãos e estes viveram muito bem em todo o território dominado por Roma, como demais crenças. Evidencia-se Nero e Domiciano, um para desviar a atenção e arranjar algum culpado pelos infortúnios enfrentados e o outro vitimado por seus próprios delírios de poder. É preciso ter claro que um esquema desses não seria de domínio de todos os líderes romanos, sendo razoável que houvesse quem entendesse os cristãos como uma ameaça ou um problema, outros como aliados. Mas esta visão era comum em relação a outros tantos povos sob o domínio do Império.

Enfim, tem todo o quadro de uma manipulação. Muitíssimo bem feita, por sinal. Imagino que alguns, senão a maioria, estejam pensando que este texto é uma viagem delirante. Pode ser, confesso. As evidências apontam na direção exposta. Ainda mais que em se tratando de poder as estratégias perpassam pelas mais incríveis insanidades e propaganda.

Mas a fé... bem, essa tanto remove quanto faz surgir outras tantas montanhas. A história está aí para ser lida, analisada e confrontada.

terça-feira, 6 de novembro de 2012

PARÁFRASE À DRUMMOND

Parafraseando Carlos Drummond de Andrade:

No meio do caminho tinha um chato
tinha um chato no meio do caminho
tinha um chato
no meio do caminho tinha um chato.

Nunca me esquecerei desse acontecimento
na vida de minhas retinas tão fatigadas.
Nunca me esquecerei que no meio do caminho
tinha um chato
tinha um chato no meio do caminho
no meio do caminho tinha um chato.

O caminho era chato...

domingo, 4 de novembro de 2012

OAB E SEU MAU EXEMPLO

Texto publicado no CONJUR.

IGUALDADE ELEITORAL

Juiz derruba censura prévia nas eleições da OAB-SC

Por Rodrigo Haidar

Sob o pretexto de regulamentar o envio de mensagens para advogados durante o período que antecede as eleições para o comando da Ordem dos Advogados do Brasil, a seccional catarinense da OAB criou uma espécie de censura prévia que privilegia a chapa apoiada pela situação naquele estado.

Foi o que entendeu o juiz Hildo Nicolau Peron, da 2ª Vara Federal de Santa Catarina, ao conceder liminar em ação ajuizada pela chapa Todos Pela Ordem. A decisão impede que as mensagens elaboradas pela chapa de oposição passem pelo crivo da comissão eleitoral da OAB antes de serem enviadas, por e-mail, para os advogados catarinenses.

Duas chapas disputam as eleições da OAB-SC. A chapa Cidadania, apoiada pela situação, é encabeçada pelo advogado Márcio Vicari. Na chapa Todos Pela Ordem, de oposição, o candidato a presidente é o advogado Tullo Cavallazzi Filho. As eleições serão feitas no dia 19 de novembro.

Em todos os estados, o acesso das chapas de oposição ao cadastro de advogados administrado pela situação costuma ser foco de embates. Em Santa Catarina, a administração da OAB editou a Resolução 5/2012 para regulamentar o envio de mensagens por e-mail.

Entre as regras, a Ordem catarinense fixou que as mensagens podem conter apenas texto, sem áudio ou vídeo. E estabeleceu que o conteúdo das mensagens fosse analisado previamente pela comissão eleitoral, em prazo de até três dias — essa comissão, com poder de vetar mensagem que “não possua conteúdo informativo e nos padrões estabelecidos pela norma eleitoral vigente”.

Na liminar, o juiz Hildo Peron ressalta que o envio de mensagens eletrônicas é previsto como forma de propaganda eleitoral autorizada. Por isso, a OAB-SC tem a obrigação “de não somente permitir, mas, também, de facilitar o seu uso por todos os candidatos/chapas que assim o desejarem, em igualdade de condições”.

De acordo com a decisão, para que haja igualdade de condições na disputa, não se pode deixar “ao alvedrio da comissão eleitoral a análise e censura prévia dos conteúdos das mensagens a serem enviadas, bem como o poder de indeferir o próprio envio dos e-mails na hipótese de extrapolarem o conceito fluido e inequivocamente subjetivo ou indeterminado de 'conteúdo informativo'”.

O juiz ainda afirma que as regras para envios de mensagens criadas pela OAB catarinense negam aos eleitores o “direito de acesso a informação que possa ser veiculada por representantes da chapa de oposição, conferindo sutilmente privilégio à chapa apoiada pela atual administração”.

A liminar concedida à chapa de oposição determina, entre outras coisas, que a OAB-SC se abstenha de fazer qualquer censura prévia nas mensagens de seus adversários políticos, que as mensagens sejam enviadas em prazo nunca superior a 24 horas e que em caso de problemas técnicos que impeçam o envio dos e-mails, seja fornecida à oposição cópia da lista de advogados aptos a votar. Cabe recurso da decisão.

Essa é a segunda liminar obtida pela chapa de oposição em Santa Catarina em um espaço de dez dias. No dia 23 de outubro, o juiz Diógenes Tarcísio Marcelino Teixeira, da 3ª Vara Federal de Florianópolis, determinou que a OAB catarinense entregasse à oposição, em 24 horas, a lista dos advogados inscritos da seccional habilitados a participar das eleições, para que pudessem enviar correspondências.

Na decisão, o juiz afirmou que a lista fornecida pela OAB-SC à chapa de oposição estava claramente desatualizada, já que constavam da lista, por exemplo, "nomes de juízes federais em atuação nesta Seção Judiciária, os quais, logicamente, não participarão das próximas eleições da OAB-SC".