segunda-feira, 21 de outubro de 2013

Abertas inscrições para Agentes Temporários de Serviço Administrativo da PM

Conforme publicado no site da PMSC (Concursos), edital 087/CESIEP/2013, estão abertas as inscrições para Agentes Temporários de Serviço Administrativo. As inscrições deverão ser feitas pelo interessado pessoalmente nas OPM da cidade onde deseja trabalhar, abaixo encaminho extrato do Edital que trata dos requisitos para a inscrição e informações complementares.

As OPM que não receberam as senhas e link de acesso para a inscrição, fazer contato por e_mail 6rpmop@pm.sc.gov.br ou telefone 3431-7413.

Na cidade de Criciúma, as inscrições serão feitas na sede da 6ª RPM com o Sd Backes (3431-7413)


DOS REQUISITOS EXIGIDOS PARA ADMISSÃO AO SERVIÇO AUXILIAR TEMPORÁRIO

1 Ser brasileiro (a);
2 Estar comprovadamente desempregado (a) no ato da assinatura do contrato;
3 Ter no mínimo 18 (dezoito) e máximo de 23 (vinte e três) anos incompletos até o último dia de inscrição;
4 Se homem, estar dentre aqueles que excederem às necessidades de incorporação das Forças Armadas ou que delas já tenham sido desincorporados;
5 Estar em dia com as obrigações eleitorais;
6 Não ter antecedentes criminais, situação comprovada mediante a apresentação de certidão negativa de antecedentes Criminais Estadual e Federal;
7 Ter boa saúde avaliada em exame específico;
8 Estar aprovado na prova teórica e classificado entre o número de vagas oferecidas, tudo em conformidade com o item 2.1.1 deste edital;
9 Ter parecer favorável no Questionário de Investigação Social (QIS), que visa comprovar que mantêm conduta social ilibada, com adequação à carreira de Agente temporário do Serviço Administrativo; e
10 Ter concluído o Ensino Médio.

INFORMAÇÕES PRELIMINARES

1 Taxa de inscrição: valor de R$ 40,00 (quarenta reais).
2 Haverá isenção de taxa de inscrição mediante documento comprobatório dos candidatos doadores de sangue e hipossuficientes.
3 Período de inscrição: conforme Anexo I deste edital.
4 Início: dia 18 de Outubro de 2013; e Término: dia 16 de Novembro de 2013
5 Horário das 13h00minh às 19h00minh.
6 Local: conforme Anexo II deste Edital.
7 Ao candidato será permitida uma só inscrição.
8 A inscrição deverá ser realizada exclusivamente na Sede da Unidade PM da cidade em que o candidato pretende prestar o serviço temporário.

Informações de Sd Gisele Delfino
Seção de Comunicação Social
9º Batalhão de Polícia Militar
Fone (48) 3431-7406
Rua Vereador Ricardo Matias Paz, s/n, Jardim Maristela.
Criciúma - SC. CEP 88.815-205

domingo, 13 de outubro de 2013

ANGELONI PODERÁ SER MULTADO EM MEIO MILHÃO DE REAIS

Conforme publicado AQUI, o grupo Angeloni cometeu crime ambiental com a tentativa de suprimir nascentes em sua propriedade no bairro Nossa Senhora da Salete e construir um shopping em parceria com a Partage, de São Paulo. Uma fonte consultada por mim, conhecedora de casos como este, a empresa deverá receber multa mínima de R$200 mil, podendo chegar a R$500 mil. O caso não se limita à multa. Um PRAD - Plano de Recuperação de Área Degradada, dentro de um TAC - Termo de Ajustamento de Conduta, a ser emitido pela Ministério Público deverá ser executado. A liberação da obra, bem como seu Habite-se, estará vinculado à execução da recuperação das nascentes degradadas.

Caso recorra da multa o tempo de início da obra estender-se-á por tempo indefinido, sendo mais adequado o pagamento imediato.

EMPREENDIMENTO PARTAGE/ANGELONI CORRE RISCO

Está devidamente comprovado, em farto material encaminhado a mim, o crime ambiental que o Supermercado Angeloni vinha cometendo desde 2009 em área de sua propriedade no bairro Nossa Senhora da Salete, com vistas à supressão de nascentes. O objetivo da ação era a construção de um shopping, no qual detém 20%, sendo o restante da holding Partage, de São Paulo.

Como fiz os devidos contatos com as empresas sócias e não obtive qualquer retorno esta postagem limita-se aos documentos em minha posse e fontes ligadas ao poder público municipal. Essas fontes serão mantidas em sigilo.

Conforme fotos de satélite e levantamentos in loco feitos pela Fundação do Meio Ambiente de Criciúma (Famcri), houve retirada de mata ciliar e colocação de aterro no local das nascentes. Por conta disso a empresa criciumense deverá realizar um PRAD - Plano de Recuperação de Área Degradada, dentro de um TAC - Termo de Ajustamento de Conduta, a ser emitido pela Ministério Público. O MP vem acompanhando este caso tão logo houve denúncia, em 2012. Além disso, haverá uma multa.

No mês de setembro deste ano o Angeloni desmembrou a área, isolando o futuro empreendimento do espaço onde estão as nascentes, transferindo a área sem nascentes à Partage. Contudo, teve que alterar o projeto inicial para adequar-se ao novo terreno, menor que o original. Em reunião essa semana na Famcri, técnicos da Partage apresentaram a mudança de projeto do Parque Shopping Criciúma. Em sendo assim devem receber a LAP - Licença Ambiental Prévia. Esse documento abre as portas para um novo processo que incluirá nova documentação para que seja liberado o início da obra, que deveria ter ocorrido no semestre passado, que inclui Estudo de Impacto Ambiental (EIA) e Estudo de Impacto de Vizinhança (EIVI) e seu respectivo Relatório de Impacto de Vizinhança (RIVI).

Há muito mais por trás disso. A holding Almeida Jr., que está prestes a adquirir o controle acionário do Criciúma Shopping, quer investir algo em torno de R$45 milhões. Corre contra o tempo, já que iniciando antes da Partage poderá arrefecer as intenções de um novo empreendimento do gênero. Uma das fontes por mim consultadas trabalha a hipótese de não haver um segundo shopping em Criciúma, tal o porte que a Almeida Amaral deverá imprimir em área muito bem localizada e consolidada com um centro de compras e lazer há 16 anos.

O grupo que lançou o Shopping das Nações não tinha conhecimento das intenções da AJ, tampouco o Angeloni. Trabalhavam com um concorrente quase moribundo. A revitalização do Criciúma muda completamente o quadro. É uma corrida contra o tempo em que tudo está a favor do grupo que passará a controlar o primeiro grande shopping do município, em detrimento dos novos. Ano passado, com o lançamento feito pelo Angeloni e identificados os problemas ambientais, a rede foi procurada por representantes do das Nações, já que encontra-se com todas as liberações para ser construído. Possibilidade negada.

A briga, meus caros, é de milhões de reais e que trará a Criciúma um aporte significativo de recursos a curto, médio e longo prazo, com geração de emprego e renda. Resta a dúvida se a cidade manter-se-á com um ou dois deles, sendo completamente descartado um terceiro.

sexta-feira, 11 de outubro de 2013

CÂMARA DE CRICIÚMA JOGA-SE NA LAMA

Também publicado no Criciúma News

O arquivamento do caso Moacir Dajori, aprovado pela Câmara de Vereadores de Criciúma, sem que seja levado ao plenário ou a uma CPI, revela falta de sintonia com o que poderíamos chamar de Justiça, por parte dessa instituição. Sim, a Justiça pressupõe julgamento. Isso não quer dizer condenação, pura e simples. No momento em que o Ministério Público apresenta uma acusação, tendo em vista o peso da instituição, seria natural que todo o material levantado fosse analisado. Isso parece ser elementar.

O relatório apresentado pelo vereador Toninho da Imbralit, também alvo de investigação pelo Gaeco, pedindo o arquivamento, partiu do princípio de não condenar um não-condenado. Ou seja, decidiram esperar por uma decisão da Justiça. Ora, julgar não é o mesmo que condenar, pois poderia ter sido absolvido. Lembremos aos nobres edis que lhes é imputado o direito de julgar vários situações, como no caso da venda do complexo educacional. É seu dever cuidar do decoro. Neste caso não dependem em nada da Justiça. Julgar decoro é prerrogativa exclusiva do legislativo.

O que vemos neste caso é um grupo, com a exceção do vereador José Carlos Mello (PT), que ainda busca colocar o caso em julgamento político, fugindo de suas responsabilidades. Cabe lembrar que julgamento político é Legal e absolutamente legítimo numa democracia. O julgamento político, neste caso, limitar-se-ía ao mandato, não podendo imputar multa ou privação de liberdade.

Seria exagero classificar esse ato como covarde ou de um protecionismo absurdo? Teriam outros vereadores algum tipo de dívida para com Dajori? Abrem-se as portas para todo o tipo de especulação.

terça-feira, 1 de outubro de 2013

AS MULHERES E SEU ROUPEIRO

Publicado em TERRA.

Se você reclama do seu guarda-roupa, saiba que não é a única. Uma pesquisa realizada pela Sharps Bedrooms, no Reino Unido, constatou que as mulheres possuem, em média, 107 peças de roupa, mas, pelo menos uma  vez por semana, dizem que não têm o que vestir. Um dos motivos são as fotos postadas nas redes sociais, que fazem com que achem que os modelitos já estão ultrapassados. Os dados são do jornal Daily Mail.
As roupas também são consideradas inadequadas por estarem apertadas demais, grandes, não-lavadas ou amassadas. As entrevistadas consideraram que 36% dos itens de vestuário que possuem não são usáveis e declararam que ainda não estrearam 15% deles.
A pesquisa também descobriu que 67% delas acham traumático ter que encontrar algo para vestir para um evento especial e 64% sempre acabam comprando algo novo. Além disso, 36% adquirem roupas e, em seguida, as escondem dos parceiros.