sexta-feira, 29 de junho de 2012

VIVA A INTOLERÂNCIA!

A intolerância é absolutamente normal. Todas as concepções, da religião à política, surgiram dela. Tolerar é aceitar, é ser passivo. Desejar o novo ou diferente é ser intolerante. Daí o lado que seria positivo. Não fosse a intolerância o cristianismo não teria surgido, por exemplo. Mas esse papo poderia ser apenas retórica...

Escrevo sobre isso porque me tornei um intolerante quanto ao mal uso das palavras, certo de que, por vezes, delas me utilizo em desconformidade com sua semântica. Mas vá lá... estamos na roda viva do aprendizado.

O caso em questão são os chamados clichês que nos impedem de vislumbrar algo um pouco além do óbvio. Por vezes tropeço na condenação à intolerância, sendo isso absolutamente contraditório, haja vista ser essa condenação uma intolerância. Há um exército de intolerantes à intolerância sem que se apercebam do que dizem. Ademais, suponho, sejam intolerantes com tantas coisas como é natural que sejamos. Ora, como posso desejar uma educação escolar de nível mais elevado do que o corrente sem ser intolerante? É obvio que devo ser intolerante para com o status quo das escolas, por exemplo.

Outra exemplo mais em evidência. Quando nos deparamos com grupos que rejeitam a homossexualidade também vemos os intolerantes para com esses mesmos grupos. Em se tratando de intolerância podem morrer abraçados pelo mesmo mal. Ao menos poderiam adequar seus discursos. Outro caso que volta e meia aparece na mídia é o caso das cotas. Da mesma forma são intolerantes versus intolerantes.

Em sendo assim me parece o caminho escolher quais intolerâncias vamos seguir e o que faremos com elas.

Por fim, fica o apelo para que sejamos intolerantes com os tais clichês que nos remetem à escuridão verborrágica, para dizer o mínimo. Sejamos intolerantes para com a insistência de alguns em querer calar a voz do outro, por mais contrário que seja. Não aceitar isso é o caminho para conflitos mais intensos que o falatório.

"RODAS" PARA BEBES ABANDONADOS


Rodas de bebês rejeitados ressurgem na Europa
Por Stephen Evans, na BBC

Placa em alemão aponta para local onde mães podem abandonar filhos indesejados. 
Um sistema comum na Idade Média para abandonar filhos indesejados ressurgiu com força na Europa nos últimos dez anos, mas com nova roupagem.

Diferente das rodas de bebês rejeitados de outros séculos, o equipamento moderno difere dos cilindros de madeira instalados em paredes de conventos ou igrejas medievais.

Nos equipamentos antigos os bebês indesejados eram depositados pela parte de fora e depois girados para dentro dos estabelecimentos.

Embora tenha a mesma finalidade, o novo sistema consiste em uma espécie de berço aquecido, monitorado por enfermeiras e disposto em locais próximos a hospitais com fácil acesso da população.

A prática, entretanto, continua sendo duramente criticada pela ONU, uma vez que violaria os direitos das crianças.

Em Berlim, por exemplo, uma placa localizada ao final de uma rua de um bairro tranquilo chama atenção de moradores e visitantes, apontando para um caminho entre as árvores.

Na placa, lê-se a seguinte mensagem “Babywiege” (berço).

No final deste caminho, há uma escotilha de aço com uma alça. Dentro dela, uma espécie de berço, com cobertores para acomodar o recém-nascido, possivelmente indesejado pela família.

O local é seguro e a temperatura ideal para um bebê. Há também uma carta deixada pelos responsáveis pela instalação do berço, caso o depositante se arrependa de sua decisão e queira a criança de volta.

Duas vezes por ano, alguém – possivelmente uma mulher – percorre tal trajeto até os fundos do Hospital Walfriede.

Para fontes ligadas ao tema, trata-se, normalmente, de um caminho sem volta. A criança indesejada crescerá sem nunca conhecer a mãe.

O processo é anônimo, ou seja, não se conhece a identidade do depositante, por mais que tal prática seja mais comum entre as mães.

Mas é justamente este argumento – o de confidencialidade – que é criticado por quem condena a iniciativa.
Funcionamento da “roda” moderna é similar à medieval; bebê é depositado dentro da escotilha.

Crítica

Críticos afirmam que a roda pode ser usada por pais inescrupulosos ou até cafetões para pressionar as mães a abandonar seus bebês.

“Estudos na Hungria mostram que não são necessariamente as mães que depositam seus filhos nessas caixas, mas, por outro lado, parentes, cafetões, padrastos e até mesmo os pais biológicos”, disse em entrevista à BBC Kevin Browne, da Universidade de Nottingham.

“Como o processo é realizado no anonimato e não inclui qualquer aconselhamento psicológico à mãe, cria um precedente perigoso tanto para a mulher como para a criança”, acrescentou.

Para o estudioso, ao facilitar o processo de abandono de um bebê, as mães ficam menos suscetíveis a receber a ajuda necessária em uma situação de grande trauma emocional e, até mesmo, de risco para sua saúde.

Não há consenso, contudo, sobre o argumento levantado por Browne. Partidários da medida afirmam que estão oferecendo a mães desesperadas uma maneira segura de abandonar filhos indesejados.

Recentemente, uma mãe alemã foi condenada por atirar seu filho recém-nascido da janela do quinto andar de um edifício.
Crescimento

Situações como essa impulsionaram a prática da “roda” moderna na Europa Central e Oriental, desde os países bálticos, passando por Alemanha, Áustria, Polônia, Hungria, República Tcheca até a Romênia.

A lei de alguns desses países encoraja o sistema. Na Hungria, por exemplo, a legislação foi alterada para permitir que a iniciativa fosse considerada legal, nos mesmos padrões da adoção, enquanto que o abandono de um recém-nascido continua sendo considerado crime.

Kevin Browne, da Universidade de Nothingham, acredita que a tendência de crescimento é maior em países com passado comunista ou majoritariamente católicos, onde o estigma da mãe solteira ainda é muito forte.

Para Gabriele Stangl, do Hospital Waldfriede em Berlim, que recebe dezenas de recém-nascidos por ano, a prática moderna da “roda” salva vidas, e, diferentemente do que pensa Browne, também aumenta os direitos das crianças.

Segundo ela, o sistema conta com todas as facilidades de uma maternidade comum. Uma vez que o bebê é depositado no berço improvisado, um alarme soa e uma equipe de médicos chega para checar o estado de saúde do recém-nascido.

A criança, então, é tratada no hospital e nutrida até ser encaminhada ao sistema legal de adoção. Neste período inicial, as mães têm o direito de buscarem de volta seus filhos caso se arrependam. Porém, uma vez feita a adoção, não há mais recurso.
Arrependimento

Não são raros os casos das mães que decidem voltar atrás em sua decisão. Uma delas contou à BBC que, como engravidou muito jovem e não tinha o apoio do pai da criança, ficou em estado de choque após o nascimento e decidiu colocar o filho na “roda”. Ela, entretanto, se arrependeu uma semana depois.

Em uma única “roda” em Hamburgo, no norte da Alemanha, 42 bebês foram abandonados na última década. Desse montante, 17 mães contataram os organizadores e 14 buscaram de volta seus filhos.

“Em 1999, cinco bebês foram abandonados na cidade e três deles morreram”, disse Steffanie Wolpert, uma das fundadoras do sistema de Hamburgo. “Então, nós pensamos em um jeito de contornar essa situação e permitir a sobrevivência dessas crianças”, acrescentou.

Mas os críticos, como o Comitê das Nações Unidas para os Direitos das Crianças, não estão convencidos dos benefícios do sistema. Eles alegam que a iniciativa é um retrocesso às práticas medievais.

Segundo Maria Herczog, uma psicóloga infantil que integra o comitê, uma alternativa mais eficiente à “roda” moderna seria entender e ajudar as mães em circunstâncias difíceis.

“Essa prática envia uma mensagem errada às mulheres de que têm o direito de continuar escondendo a gravidez, dando a luz em circunstâncias pouco conhecidas e abandonando seus bebês”, disse Herczog.

BOMBA: Oncologia pediátrica pode parar em Criciúma!

Oncologia pediátrica prestes a fechar as portas em Criciúma, onde são atendidas, em quimioterapia, em torno de 25 crianças e adolescentes de várias regiões. O município é o único centro que ainda se propõe a descentralizar o atendimento em oncologia pediátrica no Estado.  Criciúma tem todas as condições de se tornar um centro de referência, no mínimo regional, no tratamento de câncer infanto-juvenil. Contudo, as informações que me chegaram são assustadoras, como passo aos amigos.

A estrutura do HSJ está aquém das condições necessárias aos tratamentos da especialidade, necessitando de investimentos vultuosos. A ausência de uma estrutura exclusiva para oncologia pediátrica com técnicos, enfermeira especializada e cuidados específicos para com a criança com câncer traz uma série de incertezas para os profissionais ligados à especialidade. Os dois médicos que atuam hoje já pensam em deixar a cidade. Não somente porque desejam trabalhar com mais dignidade, mas também porque receberam propostas. Um terceiro profissional, absolutamente necessário, poderia vir em 2013 caso a estrutura viesse a ser melhorada. Demanda tem!

Com relação à remuneração, os médicos não têm contrato com valor fixo com o hospital e recebem um percentual das sobras dos repasses para as quimioterapias de seus pacientes. Entretanto, há um atraso de, no mínimo, dois meses no pagamento destes repasses. Pior, o governo do Estado estaria repassando entre 10% e 15% do total devido, sendo o restante retido até uma data nunca sabida, chegando a seis meses de atraso. Isso rendeu aos médicos no primeiro semestre algo em torno de R$600,00 por mês. Em troca oferecem atendimento médico ao menos seis horas por dia, com duas avaliações por dia, avaliações nos finais de semana e feriados e mais sobre-aviso de 24 horas, todos os dias da semana, com ida ao hospital em madrugadas para atendimento de urgências, por exemplo.

O repasse, proporcionalmente, teve uma redução de 30% de 2011 para 2012, até o momento, conforme dados do quadro baixo.



A obstinação dos médicos tem limite.

Há cerca de duas semanas, em reunião com a direção do HSJ, os médicos tiverem uma surpresa ao receberem a resposta sobre o que a instituição hospitalar poderia fazer para melhorar: "Vocês podem ir atrás dos recursos necessários que nós apoiamos", teriam ouvido da direção. Ou seja, além de não serem pagos adequadamente, não terem as condições necessárias para trabalho, os únicos tecnicamente capacitados, são vistos como os "chatos", pois não aceitam as conformidades atuais. Querer que os médicos militem politicamente e mobilizem a comunidade chega a ser hilário.

Em última tentativa, os médicos estão mobilizando Secretaria de Estado de Saúde, Secretaria Municipal de Saúde, Comissão de Saúde da Assembleia Legislativa, Câmara de Vereadores e agora a população a assumir a responsabilidade da escolha de que tipo de atendimento a região Sul de Santa Catarina e Planalto Serrano querem dar aos pacientes infanto-juvenis com diagnóstico de câncer.

O Secretário Adjunto da Saúde do Estado, Acélio Casagrande, disse não ter qualquer informação sobre atraso no repasse ou problemas que envolvam a especialidade.

Nesta quarta-feira (04/07) vereadores de Criciúma, mobilizando outros legislativos da região, porque isso diz respeito, inclusive, à região de Lages, devem ter encontro com a direção do HSJ.

quinta-feira, 28 de junho de 2012

REVITALIZAÇÃO NA POLÍCIA MILITAR (fotos)

9º BPM inicia Instrução de Revitalização de 2012

Com o objetivo de treinar e exercitar o conhecimento, todo o efetivo do 9º Batalhão de Polícia Militar (BPM) está participando do programa de Revitalização 2012, que iniciou na segunda-feira, dia 18, tendo como referências:
  • Diretrizes do Comando Geral;
  • Norma Geral de Ensino, NGE 2012;
  • Plano Geral de Ensino, PGE 2012;
  • Plano de Revitalização do Efetivo do 9º BPM/2012.
Divididos em equipes, os policiais militares têm a oportunidade de atualizar seus conhecimentos, tão necessários aos assuntos referentes à atividade policial militar, afim de melhorar a qualidade nos serviços prestados à comunidade.

No Quadro de Trabalho Semanal (QTS) constam atividades que juntas somam 28 horas/aula semanais, de segunda a sexta, assim distribuídas:
  • Ações de Polícia Ostensiva Preventiva
  • Procedimento Operacional Padrão
  • Noções de Direito Penal na atividade Policial Militar
  • Direitos Humanos
  • Policiamento Ostensivo de Trânsito
  • Tiro Policial Defensivo
  • Filosofia de Polícia Comunitária
  • Atividade Prática (Operação PM)
Sd Gisele
seção de Comunicação Social do 9º BPM



ÓBITOS EM CRICIÚMA 2011/2012

O número de mortes está ligado diretamente às condições de saúde da população. Não há como dissociar um do outro, mesmo quando se trata de idosos. Portanto, ao verificar os dados abaixo não há como não ficarmos preocupados, em especial, com as crianças e parturientes. Nas idades a partir de 15 anos tandem a manterem-se nos mesmos patamares, mesmo que, em se tratando de morte, nenhum número é bom. De 5 a 14 anos a projeção de redução anima. Os dados são Ministério da Saúde, são oficiais e correspondem ao ano de 2011 e de janeiro a meados de junho deste ano, ou seja, no comparativo tende a dobra os números de 2012.


Idade                                        2011    2012 (até meados de junho)

Menor 1 Ano                           33         25
1-4 Anos                                 6           3
5-14 Anos                               6           1
15-49 Anos                             218       91
50-64 Anos                             271       121
Maiores de 65 Anos               580       230

Óbito fetal                              21         15

Total                                      1137      486

NÚMEROS DE FILIADOS A PARTIDOS EM CRICIÚMA

Os filiados em partidos políticos em Criciúma chegam a 23 mil, cerca de 11% da população. Isso é significativo e merece atenção, pois explica muito sobre as coligações. Não tanto quanto tempo de TV, obviamente. Porém, no quesito militância diz quase tudo o que precisa ser dito.

Notem a posição do PSD e PSTU. O primeiro tem espaço privilegiado na mídia e tem sido alvo da atenção dos demais partidos e o segundo faz muito barulho, quando o assunto é Unesc e passagem de ônibus. O PSDB, por sua vez, reflete a condição de governo, não sendo tão consolidado quanto PMDB, PP e PT, e teve seu boom na filiação de Clésio Salvaro em 2003. O PDT teve sua vez de crescimento em 2006/2007, quando era vice-prefeito Gelson Fernandes e de lá para cá estabilizou. Por fim, o DEM não sofreu a debandada prevista por alguns, não desfruta de poder local e assim mostra-se também consolidado. Evidente que isso é uma foto do momento, mas como tal aponta para esta eleição, pois o momento das mudanças para este pleito, em tese, já passou.

Vamos aos números:

PSDB 5.687
PMDB 4.432
PDT 2.854
DEM 2.726
PP 2.263
PT 1.547

PRB 596 
PR 593
PTB 554
PPS 408
PC DO B 407

PSC 232
PTC 125
PSB 121
PSD 90
PV 72
PRP 60
PSOL 49
PTN 40
PMN 36
PRTB 26
PSL 23
PSTU 18
PCB 16
PSDC 10
PT DO B 9
PHS 9 

TOTAL 23.003

NÚMEROS DE FILIADOS A PARTIDOS EM IÇARA


Filiação partidária mostra robustez de um partido. Na hora da campanha a militância, o número de pessoas nas ruas defendendo uma candidatura faz diferença. Pode não ser o fator que defina a vitória, mas sempre fará parte das contas políticas. Se não for tão importante quanto imagino, serve como curiosidade.

Diante disso resolvi coloco os números dos maiores colégios eleitorais da Amrec, começando por Içara.

PP 2.520
PMDB 1.087
DEM 859
PSD 805
PSDB 721
PT 397
PDT 325
PRB 269
PR 172
PPS 167
PC DO B 166

PHS 13
PMN 1
PRP 2
PSB 60
PSC 13
PSDC 6
PSL 11
PSOL 1
PT DO B 6
PTB 120
PTC 6
PV 13

GOOGLE GANHA DISPUTA COM XUXA (fotos)


O Superior Tribunal de Justiça deu ganho de causa ao Google numa ação movida contra o site por Xuxa Meneghel. A apresentadora pedia que fossem removidos dos resultados de pesquisa qualquer imagem ou vídeo em que ela aparecesse nua ou encenando atos sexuais.

A batalha judicial de Xuxa iniciou em 2010, quando ela entrou com pedido para que o Google não ligasse a ela qualquer link com as palavras "pornografia" ou "pedofilia". Segundo a ação, quando pesquisados em conjunto, os termos levavam a sites com informações sobre o filme "Amor Estranho Amor", que a apresentadora filmou em 1979. No longa, ela aparece tendo relações com um garoto de 12 anos.

Os advogados de Xuxa ainda podem recorrer da decisão do STJ.

Precedente histórico

A decisão do Superior Tribunal de Justiça abriu um precedente para outros casos semelhantes. Foi a primeira vez que o tribunal determinou que um site de pesquisa não pode ser responsabilizado pelo conteúdo publicado por terceiros.

Texto publicado em Zero Hora

O caso vem ao encontro dos que defendem que ela vai ter que amargar seus erros (ou acertos) do passado. Ela escolheu colocar-se nua em dezenas de publicações ao longo de sua insistência pela ascensão profissional e financeira. Dessa forma tornou-se uma das mulheres mais ricas do país. Houve ônus e bônus e não ficará apenas com a parte boa da corrida que empreendeu. Quanto a isso o Google não poderia ser responsabilizado de forma alguma, sob qualquer ótica.

PP DE IÇARA COM DISPUTA INTERNA

A disputa interna no Partido Progressista de Içara está apenas começando. Como publicado no Içara News hoje (leia aqui)

Uma fonte do PP me disse que a manobra de Dalvania Cardoso, pedindo afastamento da presidencia do partido, seria para dar uma rasteira no Valmor Rosso, um nome forte dentro e fora do meio progressista. Essas movimentações fazem parte da democracia e é bom que aconteçam. É na competição que as pessoas buscam renovação. O fato é que o PP de Içara pode estar rachado ao extremo. Além disso, recebo a informação de que deputados estariam pressionando pela saída de Rosso da disputa com vistas a facilitar apoio, inclusive financeiro, para daqui há dois anos. E Valmor Rosso não cederia na busca frenética por dinheiro. É uma possibilidade.

A convenção do partido vai revelar mais do que quem será o vice de Zé Zanoli.

MÁGOA, RAIVA E INVEJA

Seriam a mágoa, raiva, inveja, dentre outros, sentimentos negativos? Quem os vive traz sobre si coisas ainda piores? Eles devem ser banidos de nossa vida? Não. Nada disso!

A vida é feita, dentre outras tantas coisas, de causas e efeitos, e de mecanismos de proteção que desenvolvemos ao longo de milhares de anos de existência da espécie. A mágoa reflete a ação de outros sobre alguém ou sobre si mesmos. A raiva vem dessas mesmas origens mas envolve um sentimento mais profundo ou diferente, pois enseja o desejo de vingança, de provocar dano a outo, de sentir-se reparado. Por sua vez a inveja remete ao desejo de ter, ser ou sentir o mesmo do outro. Nada disso é ruim em si mesmo.

Quem pode dizer que estar magoado é ruim? Ora, a mágoa reflete a interação com o meio, o reconhecimento dos próprios sentimentos. Nos magoamos porque sentimos. Quem não sente, não passa de um boneco. Um paralelo se dá com os autistas que não demonstram afeto. E como tal são especiais, são pessoas reconhecidamente anormais, dignas de uma atenção que os demais não têm. Abstrair a mágoa seria não reconhecer os próprios erros como quem não pediria perdão porque simplesmente não percebe a necessidade e, assim, não desejaria a própria adaptação ao meio. Por fim, não seria capaz de cobrar do outro, como num casamento, a mudança do cônjuge a bem de uma convivência minimamente satisfatória. Ora, se não me magoo com minha esposa ela continuará cometendo agressões sem aperceber-se que causa dano. Da mesma forma quando ela reclama de minhas atitudes que lhe parece ruins. A mágoa é um bem inerente e indispensável ao ser humano.

Tudo que ocorre em nossa vida e o que fazemos dela ou através dela pode gerar coisas boas e ruins. É assim com a raiva. Graças à raiva tomamos ações contra as injustiças por exemplo. A raiva é uma mola propulsora, motivação e força para ações contra danos, contra o mal. Quando trocamos o voto porque queremos alguém melhor no poder, quando nos negamos a conviver com pessoas que nos fazem mal ou procuramos outras experiências, podem ser fruto da raiva. Advogados vivem da raiva alheia. Como sentimento ela toma as mais variadas proporções e intensidades. Portanto, não é a raiva, mas sua motivação e como se refletirá em nossas ações que faz a diferença.

Por sua vez é a inveja que nos faz querer além do que temos. Ela é uma das bases de nossa economia, quando um vê o que outro tem e quer o mesmo. Assim a Volkswagen tornou-se campeã em vendas no Brasil, da mesma forma a catarinense Consul tornou-se referência em refrigeradores, além das marcas de roupas etc. Quando invejamos elogiamos o que o outro tem ou é. É uma forma tácita de dizer: você é feliz ou você é melhor que eu! As profissões mais desejadas são fruto da inveja. Os locais mais frequentados, mais visitados e tal, subsistem da inveja.

Está claríssimo que cada um desses sentimentos mudam de pessoa a pessoa, mas não podem deixar de existir. Uns se magoam mais facilmente, outros têm na raiva uma marca registrada e outros se deixam levar pela inveja a tal ponto de perderem a própria identidade. Usamo-las para nos proteger das agressões do meio e isso envolve, não somente evitá-las, bem como agir contra. A cada um cabe olhar-se e ponderar sobre cada ação sofrida ou executada, suas motivações e omissões, reações, covardias e ações intempestivas para buscar o que é melhor para si e para as pessoas à sua volta.

Abração do Roldão!

ANGELONI LANÇA SHOPPING EM CRICIÚMA

O Grupo Angeloni, maior rede de supermercados do Estado, vai lançar, nos próximos dias, o Parque Criciúma Shopping, um grande centro comercial para atender o Sul catarinense. Segundo a empresa, empreendimento será em sociedade com dois grupos de São Paulo, o Portage e Paulo Carneiro Associados. O presidente do Angeloni, José Augusto Fretta, não revelou mais detalhes sobre o shopping. Com esse projeto, o varejo da maior cidade do Sul do Estado viverá uma efervescência porque já estão em andamento as obras do novo Shopping das Nações, do ex-presidente da Bunge Alimentos, o blumenauense Sérgio Waldrich. (Informação de Estela BenettiDiário Catarinense)

Ao contrário do que diz a Estela, as obras do Shopping das Nações estão absolutamente paradas. Nem a terraplanagem iniciou.

Além disso, fica a questão: o mercado da região tem espaço para mais este empreendimento? O que se pode dizer é que esses empresários só tomam decisões diante de muitas pesquisas.

quarta-feira, 27 de junho de 2012

FUNCIONÁRIOS DA CECRISA RECEBEM R$ 1,7 MI ATRASADOS

Um acordo mediado pela 1ª Vara do Trabalho de Criciúma resultou no pagamento de horas extras devidas em feriados, no valor de R$ 1,7 milhão, a quase mil trabalhadores – entre atuais e ex-empregados – da Cerâmica Portinari, uma das unidades da Cecrisa Revestimentos Cerâmicos.

Firmada em uma ação coletiva proposta em dezembro de 2010 pelo sindicato da categoria, a conciliação deverá ser estendida para as 12 empresas do setor, todas localizadas no Sul do Estado, beneficiando mais de seis mil trabalhadores. “As negociações estão bem avançadas neste sentido”, informa o advogado Arlindo Rocha, que representa o sindicato dos trabalhadores.

O advogado afirma que o personagem principal da negociação foi o juiz do trabalho Elton Antônio de Salles Filho. “Vínhamos tentando há anos fechar esse acordo, mas nunca conseguimos. Se não fosse a insistência e perseverança desse magistrado, dificilmente essa composição aconteceria”, garante. Ele diz ter enviado, inclusive, uma carta à administração do TRT-SC elogiando a atuação do juiz.

O acordo vai colocar um ponto final numa série de ações individuais já propostas sobre o tema e deverá evitar, ainda, o início de outras quatro mil, de acordo com o advogado. Um desafogo para o Foro de Criciúma, que somente nos primeiros cinco meses deste ano já recebeu mais de 1,6 mil processos – considerando as quatro varas do trabalho.

COMPENSAÇÃO DE HORAS EXTRAS

O acordo começará a ser pago em setembro, em 18 parcelas de R$ 94,2 mil, o que corresponde a 80% do total devido. O restante poderá ser compensado no prazo de dois anos, até 15 de junho de 2014. Caso isso não aconteça, ao final desse período a empresa deverá pagar o valor relativo às horas não compensadas. Em caso de atraso no pagamento, haverá multa de 20% sobre o valor da parcela.

A dívida do setor cerâmico relacionada a não pagamento de horas extras em feriados surgiu há aproximadamente 12 anos. Na época, explica o advogado, houve uma alteração na jornada de trabalho dos empregados: do regime 5 x 1 (cinco dias trabalhados e um de folga), passou-se para o 6 x 2.

“O problema é que as empresas passaram a considerar que, em razão desse segundo dia de folga, não precisariam pagar hora extra realizada nos feriados, o que, em nosso entendimento, era completamente equivocado”, esclarece Rocha. De acordo com ele, por conta desse entendimento, a dívida total de cada empresa do setor cerâmico com seus trabalhadores alcança em torno de 3,5 folhas de pagamento.

terça-feira, 26 de junho de 2012

O QUE DISSE LUIZ DAL FARRA NASPOLINI (II)

O caso envolvendo a administração do Hospital Materno Infantil Santa Catarina, assumido pelo Hospital São José, em Junho de 2009, recebeu atenção de Luiz Dal Farra Naspolini em comentários enfáticos. E por considerar sua opinião uma referência entendo que sua abordagem, que não só merece atenção como respeito, deve ser alvo de análise. Mas antes devo registrar algo mais recente.

No dia 13/01/2012 o articulista de A Tribuna disse: "Prefeito Salvaro. É de uma simpatia contagiante. Razões do sucesso: simpatia, extraordinária motivação e entusiasmo, aliado a sua forte capacidade e disposição para o trabalho. Perto do Salvaro cigarra não se cria. Hoje é o "cara". Verdade insofismável. Não há como negar. Pseudoamigos não admitem esta realidade e até já nem me cumprimentam mais. Mas não abrirei mão da minha opinião. Na altura da minha vida, embora possa quase tudo, não tenho direito à falsidade e muito menos de errar. Eleição será um massacre."

Vejamos as considerações anteriores.

19/06/2009

Salvaro comete o maior erro político e administrativo ao entregar a administração do Hospital Santa Catarina ao Hospital São José. São José já tem atribuições demais. É falta de visão jogar tanta responsabilidade a um hospital que já não suporta excessivas atribuições. Gente, o São José está sobrecarregado! Por que sobrecarregá-lo mais ainda? É injusto!
Não tenho nada contra o São José. Ao contrário. Tenho profundo respeito e consideração pelo trabalho que desenvolve. É o único que atende pelo SUS em Criciúma. Já faz milagres. Não tem como ampliar sua administração e atendimento. É uma estrutura grandiosa e pesada. Precisamos criar alternativas para melhorar a nossa saúde. Médicos, enfermeiros e administrativos precisam de um ambiente tranquilo e confortável para um bom desempenho.Vejam o que ouvi nos corredores do Hospital S. José nesta semana, de um funcionário já não suportando as pressões de uma estrutura incapaz de administrar a contento tantos problemas e pressões para atender ao excessivo número dos que buscam atendimento: "Isto aqui implodirá em menos de dois anos. Agora imaginam o que será com a inclusão do Santa Catarina".

EPÍLOGO: Salvaro está mal assessorado. Parece dominante ala conservadora, direitista, arrogante e de tendência fascista. Se o prefeito mudar de atitude. Descer do pedestal. Abdicar da arrogância e dos arrogantes. Assumir sua característica de humilde e trabalhador, respeitando o clamor das ruas, reeleger-se-á prefeito e chegará ao senado ou ao governo. Alternativa é o abismo.

05/06/2009 

Cadê a oposição em Criciúma? Baseado em que o Paço espera ter 11 votos dos 12 vereadores para transferir HISC para o São José? Conclusão da audiência pública de que vereadores intermediariam diálogo para um consenso, morreu? Espero que nossos vereadores cumpram seu papel com dignidade. Chega de discursos de que Salvaro tem que respeitar seus 53 mil votos. Ele é o prefeito de todos os criciumenses. Oposição está com medo de quê? Criciúma tem 133 mil eleitores, logo, 80 mil não votaram no Salvaro. Oposição faz parte da democracia.

29/05/2009

Depois de uma segunda-feira triste, onde a administração municipal, mais uma vez, mostrou falta de diálogo, espírito público e respeito aos movimentos sociais no trato dos destinos do HISC, na audiência pública de quarta-feira surgiu uma luz no fim do túnel. Imagino que depois de muita truculência, a prefeitura mudou de atitude. A audiência foi um sucesso. Importante a participação do vice Márcio Búrigo e do secretário de Saúde, Paulo Conti. Ficou claro que a diferença entre as duas partes é mínima. Basicamente os movimentos sociais querem atendimento 100% pelo SUS e a prefeitura quer um percentual para convênios e particulares. Quem sabe 80% SUS e 20% particulares? Ficou definido que os vereadores intermediarão o diálogo entre as duas partes. Tenho certeza que tudo se encaminha para o entendimento. Tudo estaria resolvido se tivessem começado dialogando.

Parabéns à Câmara de Vereadores e em especial à Romanna. Cumpriu seu papel. Destaques da noite: procurador da República, Darlan Dias; promotor Miguel Gnigler, vereador Douglas Mattos, e a Roseane, representante dos movimentos sociais. Mas o maior destaque da noite foi o comportamento da plateia. Nota dez. Não é o doutor que qualifica as pessoas, mas o seu caráter.

segunda-feira, 25 de junho de 2012

AS PRISÕES NA PREFEITURA DE IÇARA (fotos)

Promotor Medina (centro) disse que o esquema envolve muita gente

Ação deflagrada pela Força-Tarefa do Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (GAECO), composto pelo Ministério Público de Santa Catarina, Polícia Civil e Polícia Militar, na manhã de hoje, prendeu sete pessoas em Içara em cumprimento de oito mandatos de prisão. Um oitavo suspeito não foi localizado. Todas ligadas à prefeitura e ao Samae, sejam servidores ou empresários que participariam de um esquema de desvio de dinheiro da ordem de 10 a 15% dos recursos de obras públicas. O montante ainda será apurado. Para tanto documentos foram apreendidos no Paço e Samae de 2009 para cá, por conta de desvios detectados a partir de Maio deste ano.

Entretanto, nomes não foram revelados, nem de pessoas, nem de empresas envolvidas, inclusive de funcionário de uma agência bancária do município (sem o envolvimento do Banco, propriamente dito). Segundo o promotor público Maurício Medina, que coordena o Grupo, o esquema é muito grande e bem maior do que o encontrado em Criciúma no caso das lajotas. Como as ações dos fraudadores de documentos e licitações estavam em curso as prisões se fizeram necessárias. Diferentemente de Criciúma cuja ação dos indiciados havia cessado com as investigações da CPI do Esgoto. Portanto, muito mais esperam apurar e novas prisões poderão ser feitas. O Gaeco optou por pedidos de prisão para estancar a sangria do erário público identificada pela investigação presidida pelo delegado Airton Ferreira.

O Gaeco usou de escutas e campanas, além de documentos analisados (notas fiscais falsas e superfaturamento) ao longo de seis meses. Também foi observado "nível de vida incompatível com rendimentos", disse Medina, sobre alguns dos envolvidas até o momento.

A iniciativa da investigação não partiu de denúncias objetivas, mas do monitoramento que o Gaeco vem fazendo sobre órgãos públicos, segundo relatou o delegado Ferreira. Suspeita-se que novas prefeituras sejam alvo de investigação do Grupo que atua contra o crime organizado.

Sala do Gaeco ficou pequena para a imprensa

domingo, 24 de junho de 2012

SABEDORIA DE FACEBOOK

Rola faz anos, pelas redes sociais, um provérbio chinês (suponho que não seja chinês, mas vá lá, que seja) onde diz: "O medíocre discute pessoas. O comum discute fatos. O sábio discute ideias". E a cada vez que ele aparece, notadamente no Facebook, chovem comentários em concordância. Exatamente isso que ocorre: concordam porque não são sábios. Eu discordo porque gosto mesmo de discordar de coisas limitadas e até imbecis como esta.

Ora, sabedoria me parece ser a boa relação com todo tipo de assunto, além de uma postura equilibrada dentro da cultura que o sujeito está. Um sábio no Tibet não é exatamente um sábio na Mooca, em São Paulo. Sabedoria está ligada a entender o mundo que está à sua volta, com o estabelecimento de ações que o livrem das encrencas dos relacionamentos e que, principalmente, o leve à paz.

Contudo, o texto estabelece três pilares e nisso entendi como inteligente a frase: pessoas, fatos e ideias. O erro da frase é fazer distinção ou separá-las. Como se isso possível. Quando se discute pessoas, discutimos suas motivações (ideias ou ideais) e o resultado disso (fatos). Quando discutimos ideias não nos é possível dissociá-las de seus proponentes, do tipo de vida que tiveram e as pessoas que o influenciaram e que a propagam. Além, de verificar as possibilidades que a encerram. Quando discutimos fatos passamos por seus autores, atores ou analistas, sem que possamos ignorar as ideias que estejam envolvidas. É um pacote completo.

E o que seria essa discussão? Isso sim é complexo. Em geral, sobretudo nas redes sociais, as discussões são de uma mediocridade impressionante. Profundas como um pires e com o alcance de um coice de porco. Nesse sentido tenho que reconhecer que o esforço para não ser influenciado pelo padrão é enorme e por vezes caio em tentação.

O que me parece necessário é um olhar sobre o todo. Daí ficamos à mercê das poucas informações e de acompanhar pessoas, fatos e ideias por um longo tempo ou consultar quem as acompanha. Sim, sim, sim... Ter opinião dá trabalho e é para poucos. Tão poucos que o mundo passa a ser conduzido por uma fração de auto-iluminados. O restante vai conforme é levado.

sábado, 23 de junho de 2012

SENTI VERGONHA DE SER BRASILEIRO

Durante a XIII Caminhada das Estações Anjo, nesse sábado, dia 23, tive o prazer de conversar com o Tomás, um angolano de 24 anos, há três anos estudando psicologia na Unesc. Evidentemente quis saber sobre as diferenças culturais apesar de falarmos, em tese, o mesmo Português. Para minha surpresa a língua não foi o problema para este imigrante. O choque cultural, que o impressionou sobremaneira, ficou por conta de dois aspectos comportamentais, os quais me causaram grande constrangimento.

Primeiro, ele foi enfático: "Não peitamos nossos pais!" Disse o Tomás que enquanto o pai está falando ele e seus 11 irmãos não saem de sua presença. Da mesma maneira os de sua comunidade, com as exceções de sempre. Caso um erga a voz ou algo semelhante que seja desrespeitoso é feita uma reunião de família. Sequer viram as costas para um pai enquanto esse chama à atenção. É um aspecto da cultura desse país que, deveras, é muitíssimo superior à do Brasil.

Segundo, para eles é escandaloso que um aluno de faculdade saia da sala sem a permissão do professor, sem consultá-lo para isso. Não há conversas paralelas e é inimaginável que um aluno atenda o celular ou acesse o Facebook em sala de aula, enquanto o professor ministra. Preciso dizer como é aqui?

Estes dois aspectos me fizeram sentir vergonha de ser brasileiro. Transformamos nossa cultura em lixo social e familiar em nome de uma liberdade perniciosa e absolutamente maléfica. E o que fazer? A possibilidade remota é uma geração, que não será a dos nossos filhos, erguer-se contra essa postura e chamar para si a responsabilidade de uma nova sociedade, na qual pai e mãe tenham autoridade.

sexta-feira, 22 de junho de 2012

O QUE DISSE LUIZ DAL FARRA NASPOLINI (I)

Quem vem a público dar sua opinião corre riscos. Sei bem como é. E o maior risco é cair em contradição, que também sei como é. Com o tempo amadurecemos. Porém, há casos e casos. Uma coisa é um deslize aqui ou acolá, outra coisa é a mudança de pensamento ao longo do tempo sem que haja uma explicação ou uma explanações do porquê. Vai mudando, mudando... mudou e nem percebeu. Ou se percebeu fez vistas grossas.

Eis o caso de Luiz Dal Farra Naspolini ao escrever em A Tribuna. Pessoa pública, petista de carteirinha, voltou-se contra seu partido por discordar da aliança com o PMDB em Criciúma. Que explicações haveria se em nível federal a coisa tá amarrada desde há 10 anos? Por que questões puramente locais tornaram-se mais importantes que a noção de que PT e PMDB vieram do mesmo MDB? Por que de crítico passou a apoiador de Clésio Salvaro? Por que Romanna Remor não é mais a guerreira que foi nos textos do articulista? José Paulo Serafim mudou ou mudou o Luiz Dal Farra? Mas vamos as textos assinados pelo Dal Farra. Faço essa análise porque considero a opinião de Naspolini digna de respeito.

04/09/2009
Sábado, no bairro Santa Luzia, discurso de vereador enaltecia prefeito Salvaro afirmando que transformou Criciúma num canteiro de obras como nunca visto. Daí tantos buracos. Não mente vereador! Obras nas ruas de Criciúma referem-se ao sistema de esgoto e saneamento realizado pela Casan, sendo que R$ 50 milhões são recursos federais. Iniciaram ainda com Antonelli. "Dai a César o que é de César". Salvaro recebeu R$ 28 milhões para recompor ruas danificadas.

28/08/2009
Romanna Remor é meu destaque da semana. Guerreira e maior revelação da Câmara de Vereadores de Criciúma nos últimos anos. Atuante. Não se intimida. Tem posições firmes. Age com segurança e determinação na defesa dos interesses de nossa gente e o desenvolvimento de Criciúma.

14/08/2009
Zé Paulo Serafim. Dois meses como deputado. Mobilizou e sacudiu. Cumpriu seu papel como representante dos trabalhadores. Bela revista com resumo de sua participação. Vale a leitura. Dez para Salvaro nas iniciativas relacionadas à gripe A. Plano Diretor: Salvaro zero, promotor Luciano Naschenweng dez.

31/072009
Vou afirmar o óbvio. Mas não dá mais para aguentar o trânsito em Criciúma. Está o caos. Complicou-se e explodiu de vez nas últimas semanas. O que era ruim ficou péssimo. Insuportável. Não há adjetivos para qualificação. Não podemos admitir que com menos de 200 mil habitantes seja o fim de mundo transitar de carro em Criciúma. Antes das obras em andamento já era o caos. Agora virou um inferno. Socorro.

10/07/2009
Mal contada a saída de Moreira da Celesc. Moreira é estorvo às pretensões de Luiz Henrique. Para reeditar tríplice aliança, este é o plano do governador: ele próprio e um tucano para o Senado e Raimundo Colombo com Dário Berger de vice. Desafio é convencer Pavan. Moreira sabe disso e antecipou estouro da boiada. Certo Moreira. PMDB, maior partido, não tem dono, não está à venda e está com Moreira. Enrola-se o governador.

Vem mais por aí!

segunda-feira, 18 de junho de 2012

O VEREADOR E AS CAMISETAS DO TIME

Vi essa imagem distribuída no Facebook e sobre ela comentei como verás na sequência.


Minha postagem:
Ora, ora, ora... Não é função mas pode fazer. Por que não? Vereador deixa de ser cidadão? Deixa de querer ajudar? Vamos parar com essa coisa idiota de faz-de-conta, com essa hipocrisia. O cara precisa de votos e não vejo o menor problema dar um jogo de camisas pro time do bairro e pedir voto. Ruim é o cara não dar nada e ainda pedir voto. Corrupção é coisa muito diferente... Todo mundo quer alguma coisa em troca pelo que faz. Todo mundo, inclusive o autor desta porcaria que estou compartilhando!

Muito bem, dada a incompreensão ou minha falta de clareza me senti compelido a ir um pouco além no que escrevi. Mas primeiro devo dizer que minha conduta pessoal ao longo dos anos diz alguma coisa. Estranho é a análise pontual sem olhar para o todo para conceituar-me. Ao menos, julgo, poderiam dizer: "Peraí, não está batendo. Podes explicar?" Então repondo à pergunta que não foi feita.

As funções legislativas do vereador estão claras e muito bem colocadas na imagem distribuídas no Facebook. Porém, a segunda parte engessam o dito cujo e ele deixa de ser um cidadão como eu e você. É mais ou menos como se disse: "Só pode ser bom para a comunidade quem não tem cargo eletivo". Isso mesmo. Como um político não poderá mais fazer uma doação, se assim o desejar? Sobre isso também escrevi dia 17 de julho de 2011, que você lê aqui.

Creio firmemente que candidaturas são feitas através de uma construção que leva tempo. O sujeito começa com atividades públicas numa associação de moradores, por exemplo, e vai ampliando essa relação até ser candidato. Experimentei fortemente essa relação por militar desde meus 15 ou 16 anos no meio em que vivo. Vivi seis meses dentro de uma favela em Mauá (SP), ajudando da forma que pude, aos 19 anos, quando a vasta maioria dos guris queria e ainda querem festas. Aqui na região ainda me envolvo com trabalhos voluntários. Por conta disso e de outros fatores sobraram convites para ser candidato a vereador. Isso mesmo: fui convidado. Nunca me ofereci para tal. E é assim que muito são introduzidos na vida pública, sendo convidados dada sua atuação. Por tanto, dar um jogo de camisetas pode ser uma cooptação se o time quiser e, principalmente, são os jogadores que pedem. Duvido o time de bairro que não tenha pedido isso, seja a um empresário, seja a um político.

O jogo de camisetas pode ser uma metáfora. Significa o envolvimento do sujeito na vida de sua comunidade. Se fazia antes de ser eleito, por que não poderá continuar? Além disso, é um estímulo à prática do esporte: camiseta, o calção e a chuteira, assim como outras tantas coisas. Isso dá votos? Talvez. Muitos deram camisetas sem elegerem-se. O fato é que é preciso se envolver, é preciso atuar na comunidade, ser visto por ela por quatro anos, tempo do mandato, e por toda a sua vida pregressa.

Contudo, faz anos defendo outro formato para nossas casas legislativas como escrevi no dia 23 de abril de 2011 que você lê aqui. As discussões como estão postas a nada levam e não alteram o sistema. Em sendo assim ficaremos a discutir indefinidamente.

Voto deve ser vendido, trocado, negociado ou o que for. É preciso que algo seja dado em troca. O próprio povo cobra isso. Se um vereador debruçar-se estritamente sobre suas prerrogativas legislativas não sairá do gabinete e não receberia um voto sequer noutro pleito. Mais que imaginarmos o que seria o certo ou o errado é preciso pensar pragmaticamente. E nisso é que insisto.


Além disso, que sujeito não pensaria em si? Ora, é assim que atendemos bem nossos clientes, para vê-los comprar mais, contratar mais, nos dar mais dinheiro. Fazemos trocas, vendemos sorrisos, negociamos gentileza e considero absolutamente hipócrita, imbecil mesmo, o discurso que faz do político um ser diferente, que deixa de ser uma pessoa para tornar-se algo que ninguém consegue ser. O que ele quer e precisa é voto.


Parar de exigir o impossível ajudará muito. E lembre-se: ninguém compra o que não está à venda!


Abraço do Roldão.

sábado, 16 de junho de 2012

PT ARRECADOU 51 MILHÕES EM 2011

Vitaminada após a eleição da presidente Dilma Rousseff, a arrecadação do PT com doações cresceu no ano passado 353% em comparação a 2009, ano não eleitoral. Em 2011, a receita do partido com contribuições chegou a R$ 50,7 milhões. Dois anos antes, foi de R$ 11,2 milhões, segundo prestações de contas à Justiça Eleitoral. Em 2007, o PT havia arrecadado apenas R$ 4,2 milhões. A Folhanão comparou os dados com os de anos eleitorais pois neles as doações e gastos vão além da manutenção da máquina partidária.

A lista de doadores de 2011 apresentada pelo PT inclui diversas empresas com interesses no governo federal. Principal empresa da holding J&F, a alimentícia JBS destinou R$ 2,9 milhões à sigla, a quarta no ranking de doadoras. A JBS tem como sócio o banco público BNDES e sua holding tem parcerias com fundos de pensão públicos na área de celulose. Hoje, a J&F é gestora das ações e potencial compradora da empreiteira Delta, alvo da CPI do Cachoeira.

Procurada, a empresa disse que, apesar de registrado no dia 3 de março do ano passado, R$ 2 milhões do total correspondem à colaboração para a campanha eleitoral de 2010, encerrada em outubro. O grupo também doou cerca de R$ 1 milhão ao PMDB, que, segundo a prestação, arrecadou R$ 2,8 milhões. Segundo o TSE, a Andrade Gutierrez foi a maior doadora do PT, com R$ 4,7 milhões. Também doaram ao menos R$ 1 mi cada o grupo WTorre, a Estre Ambiental e a Minerva SA. Todos dizem que as doações são legais.

O PSDB recebeu doação de seis empresas, de R$ 2,4 milhões.

Por Catia Seabra e Breno Costa, na Folha

sexta-feira, 15 de junho de 2012

PM APREENDE ADOLESCENTES DO TRÁFICO (foto)

Polícia Militar prende mulher e apreende adolescentes envolvidas com o tráfico

Na manhã de hoje, dia 15, policiais militares do 9º Batalhão de Polícia Militar (BPM) prenderam uma mulher e apreenderam quatro adolescentes envolvidas com o tráfico na cidade de Criciúma.

Por volta das 9 horas, uma guarnição em rondas pelo bairro Mina do Mato, avistou duas adolescentes em atitude suspeita em frente uma residência abandonada na rua Jardim Bela Vista. Os policiais militares entraram na casa e se depararam com as suspeitas e mais duas adolescentes e uma mulher. No local também encontraram 500 gramas de maconha, 50 gramas de crack e R$ 374,95.

Todas  as envolvidas foram conduzidas à Delegacia 
Sd Gisele Delfino

IDOSOS, DESPREZO E INGRATIDÃO - por Pâmela Fritzen, 14 anos

Invisíveis? Talvez, muitas pessoas parecem não notar a sua presença, muitos os desrespeitam muitos os abandonam em asilos e até mesmo nas ruas.

A presença de um idoso incomoda muita gente, talvez por estarem ultrapassados ou por não estarem atualizados, por não compartilharem nossas idéias.

Nas vagas em transportes públicos, em estacionamentos, AS VAGAS NA SOCIEDADE praticamente não se encaixa alguém que esteja um pouco acima dos 50 anos. Os assuntos, as brincadeiras, as confusões, talvez sejam estes os principais problemas.

Por viverem em épocas diferentes, por terem um ponto de vista único, ou antiquado, muitos estão sendo excluídos do mundo atual.

A tecnologia vai tornando inútil a opinião de uma pessoa "vivida", de alguém que já suportou, ou superou, os problemas vivenciados durante quase todos os dias de uma longa vida as vezes, muito sofrida.

A cabeça de um senhor ou de uma senhora de idade, pode conter muito mais informações do que se possam imaginar, histórias alucinantes e nem um pouco "Clichês", assuntos que podem sim entrar ou estar em destaque ultimamente, mas que ninguém quer prestar atenção.

A algumas décadas, a opinião e a autoridade de um idoso, valia muito mais do que a de um pai ou de mãe; hoje a opinião deles, não mais é respeitada, todos os mais jovens,fazem o que bem entendem, mesmo as vezes, sabendo-se errados, tornando-se assim uma sociedade cada vez mais hipócrita e desumana.

Eles possuem direitos, que fatalmente não são respeitados, possuem de direito, um espaço na sociedade. Para reconquistá-los basta olhar para o lado, eles estão ali, sempre prontos para lhe ouvir. Pedir as mais sinceras desculpas, por um dia, te-lo ignorado, deixado-o de lado, abandonado.

Enfim, se você é filho ou filha, respeite sempre, não importando a situação, pois um dia você estará ali, podendo ser desprezado por quem mais você amava, por quem você deu a vida, criou, deu a educação e o alimento produzido por suas mãos e pelo seu trabalho!

Talvez após o desaparecimento deste ser amado, venhamos a ter um pouco mais de compreensão por cada palavra não ouvida, por cada segundo de sua companhia desperdiçado, pelo amor que um dia recebemos dele e não soubemos dar o devido valor.

Talvez, quando lembrarmos dos sorrisos, das gargalhadas, dos abraços, do cheiro,das festas, dos momentos em família quando éramos pequenos ou jovens, retomaremos ou entenderemos completamente, todo o amor que um dia foi vivido.

Ao sentir ainda a presença de nossos idosos, talvez venha a nos despertar um pouco de remorso por não te-los escutado, por não te-los realmente amado e ai... pode ser tarde! Ame e respeite-os hoje!

Por Pâmela Fritzen, 14 anos – Colégio Lapagesse 

quinta-feira, 14 de junho de 2012

OS EXEMPLOS DA ASTC

Exemplo é uma coisa complicada e todos nós damos, seja lá qual for o jeito. Se por palavras, se por atos o fato é que somos observados. Neste sentido o entes públicos são ainda mais observados e o cidadão fica de mãos amarradas diante dos erros conscientes. Ou seja, um tropeço no calor do momento é relativizado, mas algo pensado é inaceitável. Seguem um pouco do que falo:

Os agentes devem zelar pela Lei e pela ordem


Acentuação errada é inaceitável

VENDIDA 70% DA CECRISA


Vinci Partners anuncia compra de 70% da catarinense Cecrisa. Grupo investiu R$ 250 milhões no negócio

Divulgação
Empresa catarinense registrou no ano passado um faturamento de R$ 750 milhões

O grupo Vinci Partners é a nova controladora da catarinense Cecrisa, de Criciúma, uma das maiores empresas de revestimentos cerâmicos do país. A gestora de investimentos informou na última semana, em comunicado oficial, a compra de 70% da Cecrisa, por R$ 250 milhões. Do valor total investido, R$ 200 milhões serão destinados à quitação de dívidas que há tempos comprometiam o nível de investimento da empresa.

Os R$ 50 milhões restantes devem ficar com a família Freitas, fundadora da companhia, que deve continuar ocupando lugar no conselho de administração. A maioria dos assentos, no entanto, será reservada a membros indicados pela Vinci Partners. A diretoria da empresa deve ser mantida, mas não sem receber, também, gestores da nova controladora.
O aporte traz um alento ao mercado que já havia sido sacudido pela tentativa de fusão entra as também catarinenses Eliane e Portobello, no mês passado. Na ocasião, houve o receio de que as unidades fabris fossem fechadas no Sul do Estado.

Com cinco unidades industriais e 2,5 mil funcionários, a Cecrisa exporta atualmente para mais de 50 países, em cinco continentes. Em 2011, a empresa registrou um faturamento de R$ 750 milhões.

CHAPÃO, PIADA PRA CHORAR

Você já ouviu falar do Partido da Mobilização Nacional em Criciúma? E do Partido Humanista da Solidariedade? Pois estes compõem, com outros 10, o ''chapão'' montado para apoiar a candidatura de Clésio Salvaro à reeleição. Caso você tenha dúvidas do que isso representa vamos a alguns números. Porque os números falam, e falam muito.

PMN (fundado em 25.10.1990) - 36 filiados
PHS (fundado em 20.3.1997) - 09
PT do B (fundado em 11.10.1994) - 09

Muito bem. Que votos teriam esses partidos com nove ou 36 filiados com uma nominata básica? No máximo de seus próprios membros e com muita força de vontade. Ou seja, o Chapão de apoio ao Salvaro resume-se em tempo de televisão (7 minutos), cuja contrapartida não é por conta da boa vontade de vê-lo no Paço por mais tempo.

Caso tenhas dúvida a densidade eleitoral de um partido está diretamente ligada à sua militância. Isso não é o caso de garantir eleição, mas de ter muito mais chances na majoritária. Na proporcional essa ligação é ainda mais clara, haja vista a composição das casas legislativas.

Como disse noutra oportunidade, o que se vê é muita insegurança dos agentes políticos do prefeito diante de uma pesquisa que lhe daria ampla vantagem.

quarta-feira, 13 de junho de 2012

DOZE PROVAS CONTRA JOSÉ DIRCEU

O relator da CPI dos Correios (2005-2006), deputado federal Osmar Serraglio (PMDB-PR), foi à tribuna da Câmara nesta quarta-feira (13) para enumerar o que chamou de "a dúzia de provas" da participação do ex-ministro da Casa Civil, José Dirceu (PT-SP), no esquema do mensalão.

A CPI relatada por Serraglio investigou o esquema entre 2005 e 2006 e sugeriu o indiciamento de Dirceu, dentre outros parlamentares.

Serraglio disse estar "farto da alegação de que o mensalão é fantasia". A gota d'água, segundo ele, foi um artigo assinado pelo produtor de cinema Luiz Carlos Barreto, publicado ontem na *Folha", sob o "Por qué no lo matan?", que faz a defesa de Dirceu.

"Certamente me amofina essa cantilena repetida de que o 'mensalão' fora uma farsa, como se a investigação não se realizou por parlamentares dos mais diversos matizes político-partidários", discursou o deputado.

"Ainda agora assistimos José Dirceu concitando os jovens a se manifestarem diante de sua inocência", discursou o deputado.

O deputado listou os seguintes indícios coletados tanto pela CPI quanto pelo processo do mensalão, que poderá ser levado a julgamento no STF (Supremo Tribunal Federal) no segundo semestre deste ano:

1) à época em que Dirceu era ministro, "nada ocorria sem o beneplácito do super-ministro, como era chamado na imprensa e nos corredores do poder";

2) Roberto Jefferson, líder do PTB, "confessa que tratou por mais de dez vezes do mensalão com Dirceu";

3) o publicitário mineiro Marcos Valério Fernandes de Souza "afirmou que ouviu de Delúbio [Soares, ex-tesoureiro nacional do PT e da campanha presidencial de Lula em 2010], que Dirceu deu 'aval' aos empréstimos bancários que alimentaram o mensalão;

4) a mulher de Valério "assentou que Dirceu se reuniu com o presidente do Banco Rural no Hotel Ouro Minas para acertar os empréstimos do banco";

5) Valério "arrumou emprego para a ex-mulher de Dirceu no [banco] BMG em São Paulo";

6) um sócio do publicitário se "tornou 'comprador' do apartamento da ex-mulher de Dirceu em São Paulo";

7) Valério "afirma que foi quem ajustou a audiência havida entre os diretores do BMG e o ministro Dirceu";

8) segundo Valério, "Silvio Pereira [ex-secretário nacional do PT] lhe disse que José Dirceu sabia dos empréstimos junto aos bancos";

9) a presidente do Banco Rural "declarou que Valério era um 'facilitador' das tratativas com o governo" e "disse mais, que 'Dirceu foi a única pessoa do governo com quem ela falou" sobre o interesse do Rural relativo à aquisição de parte do Banco Mercantil de Pernambuco;

10) o ex-deputado Jefferson "afirmou que, por orientação de Dirceu, houve encontro no Banco Espírito Santo, em Portugal, à busca de R$ 24 milhões";

11) o ex-tesoureiro do PTB, "Emerson Palmieri relata que todas as tratativas eram ratificadas, ao final, por Dirceu;

12) a ex-secretária de Valério na agência de publicada em Belo Horizonte (MG), Karina Somaggio, "testemunhou que Valério mantinha contatos diretos com José Dirceu".

Serraglio disse que a CPI ajudou a "abrir o caminho" para a eleição de Dilma Rousseff, em 2010, como sucessora de Lula, ao enfraquecer Dirceu, nome natural dentro do PT, antes do escândalo, para uma eventual candidatura à Presidência.

"De fato, na época, parecia que estávamos sob sistema parlamentarista. José Dirceu, ambiciosa super-ministro, capitão do time, primeiro-ministro, inteligente e mefistofelicamente, confinava o migrante de Garanhuns [Lula] à sua dimensão sindical, tutelando-o, como se lho devesse ser o sucessor mais do que natural, inexorável, razão por que já atapetava a caminhada, fazendo-se onipresente e onisciente nas grandes decisões nacionais".

O ex-relator disse que a "CPI dos Correios não se converterá em pizza. Nosso Judiciário não tem vocação para isso".

Durante o discurso de Serraglio, os deputados da base aliada não apareceram para apartes --apenas dois parlamentares se manifestarem, em apoio a Serraglio.

A reportagem entrou em contato com a assessoria de Dirceu e aguarda um retorno.

RUBENS VALENTE da Folha Online
DE BRASÍLIA
Atualizado às 17h48.

COMUNIDADE PROTESTA NA AV. CHILE (fotos)

Representantes das associações de moradores e populares dos bairros Ceará (loteamentos Zomer e Casagrande) e São Cristóvão fizeram manifestação no final da tarde de hoje reivindicando a rotatória da avenida Chile, esquina com as ruas Otávio Antonio Vicente e Cardeal Arco Verde. O projeto está pronto desde 2009 e a secretaria de Infra-Estrutura e Mobilidade Urbana assegurou o início da obra para janeiro deste ano. Ou seja, a população esperou seis meses para realizar este ato.

O compromisso havia sido assumido pelo então secretário Abrahão de Souza. O atual secretário, José Sérgio Búrigo, não deu quaisquer garantias até o momento. De janeiro para cá várias reuniões foram feitas e nenhuma manifestação oficial do porque do atraso. Sequer houve a informação de ter sido feita a licitação.
A manifestação foi ordeira e o trânsito foi contido por agentes da ASTC e Polícia Militar 

As lideranças do movimento afirmaram que darão mais 15 dias para a prefeitura se manifestar. Em não havendo, outro fechamento da avenida Chile, ou mesmo da Centenário será realizada.

A ação contou com o apoio do Conselho de Comunitário de Segurança (Conseg Centro) e da União das Associações de Bairros de Criciúma (UABC)






segunda-feira, 11 de junho de 2012

ATÉ TU BB?

Custo pode não compensar a redução das taxas de empréstimos.

Os bancos privados criaram novos pacotes e subiram algumas das tarifas de serviços mais usados pelos consumidores após anunciar as reduções nas taxas de juros para empréstimos. A diferença de tarifa mensal no empréstimo pode dar um valor expressivo, em alguns casos até tornar o empréstimo mais caro do que nas condições anteriores.

Para se beneficiar de financiamento a taxas menores o consumidor tem que arcar com tarifas mais altas do que pagava anteriormente. A avaliação da PROTESTE Associação de Consumidores é que a economia obtida com a redução dos juros pode até ser anulada pelo aumento das tarifas praticadas nas instituições.

Por exemplo, um consumidor interessado em emprestar 800 reais com a nova taxa oferecida pelo Banco do Brasil, (3,94%) pagaria 35 reais a mais pela contratação do empréstimo. Isto porque ao aderir ao pacote “Bom Pra Todos Especial” teria uma economia de 89 reais de juros, em relação à taxa antiga (5,79%), mas teria que arcar com uma tarifa maior.

Os consumidores devem acompanhar, por meio de extratos, os valores que estão sendo cobrados pelos serviços utilizados e acima de tudo, saber se realmente os utilizam. A PROTESTE orienta a negociar com o banco a contratação de um pacote adequado ao perfil de uso para que a alta das tarifas pese menos no orçamento.

No Banco do Brasil e Itaú, por exemplo, foram criados alguns novos pacotes de serviços e, para que o cliente tenha acesso às novas taxas, é preciso aderir a um deles para conta corrente. Tais pacotes de serviços têm serviços muito parecidos com os que já eram oferecidos pelos bancos, mas com um preço maior.

No “Bom pra Todos” do Banco do Brasil para ter acesso a taxas como 3,94% ao mês para cheque especial e crédito pessoal é preciso aderir ao pacote de serviços do programa. Os novos pacotes chegam a ser 52% mais caros do que os antigos como no caso do “Bom Pra Todos Especial” em que o custo mensal passou a ser de 30 reais, enquanto um pacote bastante semelhante tinha o custo de 19,70 reais mensais anteriormente. Em um ano o consumidor pagará 124 reais a mais com as tarifas. A justificativa do banco para os preços superiores é que no novo pacote os clientes contam com assessoria financeira.

No Itaú também foi criada uma nova modalidade de pacotes de serviços é o Maxi Conta Portabilidade do Salário. Nesse caso para poder utilizar as taxas de juros mais baixas, além de transferir o recebimento do salário para o banco é preciso estar disposto a pagar taxas até 56,5% maiores.

É o caso da “Maxi Conta Portabilidade do Salário Simples” em que a tarifa mensal é de 28,00 reais, enquanto a tarifa tradicional para o mesmo pacote de serviços é de 17,90 reais. A diferença entre as duas tarifas em um ano é de 122 reais. Outro banco em que o aumento da tarifa foi bastante significativo foi o Bradesco, com acréscimo de 19% no custo mensal dos pacotes de Serviços.

Os aumentos nas tarifas cobradas podem diminuir muito o benefício com a redução das taxas de juros praticadas. Os bancos condicionam a oferta dos juros menores no crédito à adesão a um pacote com tarifas mais elevadas.

Levantamento feito pela Folha de S. Paulo, com dados do Banco Central comparando dados de 2 de abril e de 14 deste mês, após os cortes nos juros, mostra que as tarifas cobradas para saques de conta-corrente e poupança (feitos no guichê além do mínimo permitido gratuitamente) subiram 11,88%.

Os extratos mensais feitos no caixa ou por outras formas de atendimento pessoal tiveram alta de 14,21%, na média.

A tarifa que mais aumentou foi a cobrada para venda de cheque de viagem ou emissão de cartão pré-pago em moeda estrangeira. O valor dobrou: passou de R$ 21,2 para R$ 42,67.

Site PROTESTE

17.05.2012

SALVARO E O CHAPÃO

Seria a mais pura infantilidade achar que os partidos nanicos de Criciúma estariam ao lado de Clésio Salvaro sem alguma coisa em troca. O chapão fechado neste final de semana tem custo. E esse custo sai do erário público na forma de Cargos em Comissão. Coisa ''natural'' em todas as campanhas. Se Márcio e Eu não fizessem isso o outro lado faria. Neste momento o único resultado é o tempo de TV durante a campanha.

Minha dúvida está na necessidade de tal acordo que lá na frente pode trazer enormes problemas administrativos, haja vista que torna o número de agentes políticos a serem acomodados no Poder maior que hoje, se as pesquisas garantem larga vantagem para Salvaro. Ora, é medo? Salvaro não se sente confortável? Estariam as pesquisas até o momento escondendo alguma coisa que olhos de reles mortais como nós não estariam vendo?

Enfim, o chapão ficou assim composto: PSDB e PP (partidos do prefeito e vice respectivamente) e PSB, PDT, PPS, PR, PSC, PMN, PHS, PV e PTdoB. São sete minutos a mais que se ficassem apenas os dois atuais.


Pode ser apenas uma prevenção diante de um pequeno, mas desconfortável, avanço da oposição. Talvez! O fato é que há caroço nesse angu.

DÚVIDAS NA ADOLESCÊNCIA, por Pâmela Fritzen, 14 anos

Para alguns jovens a confiança é o principal fornecedor de boas amizades, ter um “alguém” em quem confiar poder contar os segredos, ou ao menos chorar por amores perdidos, fazer bobagens, se divertir e interagir com todos e em todos os momentos são sim essenciais a um adolescente, a alguém que está começando a conhecer o mundo um pouco melhor.

Todos cometemos erros, e é com eles que aprendemos a viver, afinal, se não errarmos, nunca vamos acertar. Para ser um profissional de sucesso, ou de destaque, precisamos nos dedicar, dar o Maximo de si, e nos basear no que aprendemos ao longo da vida.

As boas companhias são essenciais, não se meter em confusões, ter a "ficha limpa" com a família e uma relação aberta com os pais, torna o adolescente uma pessoa honesta, e menos corrupta. 

O debate sobre diversos assuntos na vida de um jovem, em fase de amadurecimento, a liberdade e as ordens impostas pelos pais o tornam uma pessoa com a mente aberta e sujeita a novas emoções. O conhecimento sobre drogas ou sexo previne que o pior venha por ventura a acontecer. Sabendo sobre as conseqüências, ele poderá se prevenir e evitar alguns danos irreversíveis, como a gravidez ou a dependência química. Educar outra vida, sem ao menos saber o que quer para si, é difícil. Ter de ensinar o que sabe não é complicado, mas se é jovem, como ensinar o que ainda vai aprender? Ser mãe ou pai sem ser maior de idade é sim uma missão diferente de todas as outras que já viveu. 

Virar dependente é como pular de um precipício, é estar a um passo do fim da vida. Esquecer dos valores, da família, dos amigos, é simplesmente deixar de ter uma base, uma estrutura, é jogar todas as conquistas, todos os sonhos e todas as metas para o alto, esquecer da vida e viver em "paraísos artificiais".

Se você é diferente, prove. Se você acha que merece, corra atrás. Se não quer isso para a sua vida, torne-a diferente, mostre os seus valores, as suas qualidades, e principalmente os seus defeitos. 

Pâmela Fritzen – 14 anos – Colégio Lapagesse – Criciuma.

UM DETALHE NOS EVANGELHOS

Note esses dois textos:

"Fiz o primeiro tratado, ó Teófilo, acerca de tudo que Jesus começou, não só a fazer, mas a ensinar, Até ao dia em que foi recebido em cima, depois de ter dado mandamentos, pelo Espírito Santo, aos apóstolos que escolhera." Atos 1.1-2

"Há, porém, ainda muitas outras coisas que Jesus fez; e se cada uma das quais fosse escrita, cuido que nem ainda o mundo todo poderia conter os livros que se escrevessem." João 21:25

Algumas consideração preliminares. Nenhum desses textos sabe-se o autor. Há quem diga que Lucas, o do evangelho, escreveu o livro dos Atos dos Apóstolos, mas não dá pra ter certeza absoluta da autoria de nenhum dos livros exceto as epístolas e ainda com a exceção de Hebreus. Sobre o livro de João a autoria é baseada numa tradição extra-bíblica. Nenhum dos evangelhos foi assinado pelo autor ou isso tenha se perdido nas transcrições.

Os trechos são contraditórios se olharmos pela ótica da inspiração. O ''autor'', que seria o Espírito Santo, não contradizer-se-ia. Mas o texto sugere. Evidente que uma expressão como "acerca de tudo que Jesus..." pode ser tida como força de expressão. Mas isso nos coloca num vazia, sem saber que parte dos textos são literais, que partes não são.

Afinal, podemos confiar nesses textos. Evidente que não. Por isso que a fé é o divisor de águas. Não há fundamentos irrefutáveis para nada que está na Bíblia. Quando a ciência, em especial a arqueologia, demonstra alguma veracidade é comemorada pelos cristãos. Evidente, que a ciência só serve quando confirma a Bíblia...

Se o homem foi capaz de alterar, por sua própria conta, uma vírgula do texto, é porque o Autor a ele está submetido e o todo está absolutamente comprometido com a insegurança.

Ah, o Teófilo... Ninguém sabe qualquer coisa sobre ele. Pior, tornar um texto universal quando é dirigido a uma pessoa fica muito estranho. Por outro lado, há quem diga que seja uma expressão grega, pois Téo vem de Δέος (théos = Deus) mais φίλος (filos = amigo). Ou seja, seria uma carta aos "amigos de Deus". Pode ser. Aliás, pode ser qualquer coisa.

CENTENÁRIO, UMA VIELA (fotos)

Criciúma começa e termina na avenida Centenário. O povo passa por ela. Ninguém que more na região pode afirmar que nunca esteve na principal via do município. Todo o sistema viário da cidade é coordenado a partir dela, da necessidade de torná-la melhor para os seus usuários.

Diariamente seu canteiro central é usado para caminhadas. O sistema de ônibus com os terminais foi pensado e construído a partir da Centenário. Parte importante do comércio está nela. As principais concessionárias de carros estão ali, por exemplo.

Porém, o que é sua calçada? "Lixo" define bem. O poder público tem as ferramentas para tornar seu passeio público absolutamente condizente com a importância da via. Os proprietários dos terrenos estão dando um recado absolutamente claro para toda a Criciúma: fodam-se!

Início do recuo para acessar o Parque das Nações.

A ''cara'' de abandono é uma constante na avenida.

domingo, 10 de junho de 2012

6 MILHÕES BLOQUEADOS

Em Junho do ano passado a vereadora Romanna Remor, á época no DEM, teve aprovado requerimento no qual pedia investigação do Ministério Público de Santa Catarina sobre as obras de revitalização da rodovia Luis Rosso, que liga a avenida São Luiz à BR-101. Pois isso resultou em bloqueio da ordem de 4,8 milhões de reais que viriam do governo do Estado.

Essa obra teve início no governo Anderlei Antonelli, mas mal chegou à ponte sobre a ferrovia na altura do Renascer ou Recanto Verde. Cerca de 80% da obra ficou sob responsabilidade da atual gestão. Segundo o atual secretário de Infra-Estrutura, José Sérgio Búrigo, a prefeitura fez a defesa das acusações e ainda não obteve uma decisão, permanecendo os recursos bloqueados pelo Tribunal de Contas.

Duas observações: na condição de vereadora Romanna cumpriu com seu papel de pedir a investigação; e, feita a investigação pelo MP foram detectados indícios de irregularidades da obra a tal ponto da decisão de bloqueio de recursos junto ao governo.

Caso igual se deu na reforma da rodovia Alexandre Beloli, onde 1,6 milhão de reais foram bloqueados.

Por muitas vezes se ouve que não há oposição aos governos e que os vereadores não trabalham. Pois é, em havendo quem trabalhe os resultados aparecem. O que não dá é a prefeitura, seja lá qual for, ficar solta, fazendo do jeito que quer.

MENTIRA SEM PERNA

Há histórias que nascem mortas, ou ao menor aperto se desmancham como beiju no leite quente. É o caso das afirmações do vereador  Itamar da Silva (PSDB), líder de governo de Clésio Salvaro. Diz o edil aos quatro ventos que Romanna Remor (PMDB) e José Paulo Serafim (PT) teriam ido em todos os ministérios para bloquear projetos da prefeitura de Criciúma da ordem de 68 milhões de reais. E acrescentou: "Ela pensa que não monitoramos. Monitoramos tudo!"

Quando ouvi isso da primeira vez não dei muita atenção. Porém, da segunda vez, dada a insistência de Itamar, repliquei: "Desde quando ela tem poder pra isso? Você está dando um poder que uma vereadora jamais teria." Por sua vez ele arrendou dizendo que ela não, mas influenciaria a Ideli Savatti, por exemplo.

E onde estaria e inexistência de pernas nessa história, quiçá pernas curtas? Ora, se Ideli quisesse bloquear um projeto da prefeitura de Criciúma quem desbloquearia? Entre Romanna, virtual candidata pelo PMDB à prefeitura, e Clésio Salvaro, quem Michel Temer ouviria? Só se o Itamar pedisse pessoalmente para Dilma Roussef. Convenhamos, nessa época em que se avizinha a eleição histórias sejam inventadas de um lado e outro, essa foi bem mal traçada.

sábado, 9 de junho de 2012

HMISC COM ALA NOVA PARADA (fotos)

Situação complicada do Hospital Materno Infantil Santa Catarina. Três meses de nova ala inaugurada e nada de funcionar. Segundo o vice-prefeito, Márcio Búrigo, a prefeitura tem investido em torno de 450 mil reais por mês, mas seria insuficiente para a nova ala.

Adelor Lessa publicou em sua coluna de hoje que o governo do Estado estaria atrasado com o repasse. Palavras que obteve da direção do hospital, conforme me assegurou. Porém, segundo o secretário adjunto de Estado, Acélio Casagrande, o dinheiro não foi liberado porque o próprio Hospital São José não fez a prestação de contas dos recursos recebidos para obras no centro cirúrgico. Ou seja, com uma conta em aberto não é liberado o dinheiro de outra. O que está absolutamente certo.

O acordado com o Estado é de 250 mil reais por mês, de abril a dezembro. A dúvida é se o custo da nova ala é de 250 mil mês.

Ou seja, está nas mãos do próprio São José a liberação dos recursos. Enquanto isso você vê como estão as novas salas e a utilidade que estão tendo. Fotos desta semana.







sexta-feira, 8 de junho de 2012

SOBRE O ANIVERSÁRIO

Pelo que pude observar estamos, faz tempo, com costumes sobre os quais não se tem ideia do que sejam. Um deles é o aniversário. Mas antes um registro. As festas de casamento começaram para comemorar a perpetuação da espécie, a formação de uma família e a vida em sociedade. De tal forma tomou conta a necessidade de não passar pela vergonha de "ficar pra titia", o que é uma lástima, que a festa ficou como quem comemora o livramento de um estigma, de um peso e como disse, de uma vergonha. Hoje virou um evento social sem conteúdo ou de conteúdo tão disperso que não se sabe mais o que é, apenas que tem que ser. Afinal, comemora-se o quê num casamento? Mas este é outro assunto e volto ao aniversário.

Disse o Rei Davi na Bíblia (ou mesmo que não tenha dito, o texto é singular): "Ensina-nos a contar os nossos dias, de tal maneira que alcancemos corações sábios." (Salmos 90.12) Sem medo de errar o autor da frase aponta em duas direções: clama para que o ensinamento venha do alto e liga o tempo de vida com a sabedoria. E sobre esses dois aspectos quero meditar.

Vindo de alguém absolutamente ligado à religião é natural que se apegue à sua deidade em busca de toda a provisão, inclusive para dar à sabedoria o aspecto divino. Ou seja, não foi a vida e sua capacidade de observar que lhe deu receitas de boa condução, mas Deus. Porém, fica evidente a necessidade de aliar o tempo com a sabedoria. Não é garantida uma vida sábia com o tempo, mas com certeza pouca ou nenhuma sabedoria há na juventude. Isso porque simplesmente o jovem ainda não viveu as experiências que a maturidade conhece.

Contudo, o que faz de alguém sábio? Ora, o desejo de ser. Esse é o grande ensinamento do texto: querer, desejar, almejar a sabedoria. Quem não a deseja, não a terá.

E por que fazemos festa de aniversário? Como fruto da existência do calendário? Precisamos contar o tempo como a um ciclo? Não sei. Comemorar o fato de estar vivo remete a todos os dias e não a uma data. Comemoro a cada manhã! Talvez você possa nos dizer porque comemoramos o tempo passado sem garantia alguma de tempo futuro.

O incrível é que fico alegre com o aniversário. Reivindico o direito da maturidade, de envelhecer, de olhar para a vida com o respeito que merece. É muito bom saber que sobrevivi, que lutei, que conheci pessoas e lugares. Dá orgulho contar histórias, dizer o que fiz e até fantasiar um pouco. É tão bom receber os parabéns, ser lembrado, ser alvo do afeto e da admiração de pessoas que nem mesmo conhecemos pessoalmente, como se vê pelas redes sociais. Não é momento das coisas perdidas, mas da sabedoria achada, conquistada, construída.

Sim, adorei completar 46 anos e deles me orgulhar.

Abraço aos aniversariantes.

quinta-feira, 7 de junho de 2012

ALA DO HMISC HÁ 3 MESES VAZIA (foto)

Recebi mensagem de um médico que atende no Hospital Materno Infantil Santa Catarina, que obviamente não vou identificar, sobre a ala inaugurada no dia 2 de março e que permanece sem uso. Isso mesmo, são três meses desde a inauguração. Onde eram quartos com macas novinhas há materiais amontoados. Segue o testemunho:

"Não está funcionando ainda. Já assinaram contrato parece que é de 2,2 milhões, para tocar todo hospital. Acho que estão esperando $ cair na conta. Os leitos que eram de observação agora estão sempre cheios de pacientes internados, porque diminuíram pela metade as vagas no São José, de 26 agora são só 12 ou 13 leitos para internar clínica e cirurgia pediátrica. Está muito difícil de trabalhar. Com frio está cada dia pior."

Foto tirada 30 dias após a inauguração da nova ala do HMISC

A diminuição de leitos no HSJ se deu para a ampliação do atendimento oncológico, que dá mais dinheiro que problemas respiratórios por causa do frio - o SUS paga melhor por procedimentos de tratamento de câncer. Com isso o Santa Catarina recebe mais crianças. Por seu lado a direção do São José, que administra o Materno Infantil, entende que se houve aumento das instalações deveria aumentar o repasse da prefeitura. Quando de 30 dias sem usar o espaço a Secretaria do Sistema da Saúde me informou que entendia que essa ala estava no pacote de pagamentos acertados. Pelo tempo que passou fica claro que as freiras estão com a razão.

Com frentes frias intensas, como nos últimos dias, a coisa fica muitíssimo complicada para esses profissionais. Se não conseguem atender com a estrutura devida é razoável pensar que há dificuldades para que as crianças recebam o tratamento adequado e as mães não têm condições de acompanhar seus filhos como gostariam.

Enquanto prefeitura e HSJ não se acertam as crianças penam.

47,5% CONCORDAM COM TORTURA

Caiu nos últimos dez anos o número de pessoas que são totalmente contrárias a aceitação de provas obtidas com tortura nos tribunais, segundo pesquisa do NEV (Núcleo de Estudos da Violência) da USP divulgada hoje. Ao todo, foram ouvidos moradores de 11 capitais brasileiras.

Segundo os dados de 2010, 52,5% dos ouvidos discordam totalmente com o uso de tortura para obter provas e 47,5% concordam totalmente, em parte ou discordam apenas em parte com a prática. Em 1999, a mesma pesquisa apontava 71,2% dos brasileiros totalmente contrários à tortura e 28,8% concordavam totalmente, em parte ou discordavam em partes.

Na análise por cidades, Goiânia é o que tem maior percentual de moradores que discordam totalmente com a tortura, seguido por Belo Horizonte e São Paulo. Já entre os que concordam totalmente, em parte ou discordavam em partes com a prática, o destaque é de Porto Velho, com 75,3% das pessoas com essa opinião.

Sobre a ação policial, caiu o percentual de pessoas que desaprovam o uso da força. Apesar disso, a maioria ainda é contrária. O número de pessoas que discordam totalmente com a invasão de residência caiu de 78,4% para 63,8%, com o ato de atirar em suspeito caiu de 87,9% para 68,6%, e quanto a agressão de suspeito caiu de 88,7% para 67,9%.

ESTUPRO

A pesquisa apontou ainda que a maioria da população defende a pena de morte ou a prisão perpétua para estupradores. Conforme os dados, 73,8% dos entrevistados são a favor de penas mais duras para os condenados por estupro.

Ao mesmo tempo, 51,8% dos entrevistados dizem ser contrários à pena de morte. Atualmente, estupradores podem ficar no máximo 12 anos presos, segundo o Código Penal.

"O estupro é um dos crimes que mais provocam ódio. Quanto mais raiva a pessoa sente, maior é a propensão de ela aceitar uma pena dura para o criminoso", afirma a psicóloga Nancy Cardia, coordenadora do trabalho.

Na pesquisa, foram feitas 4.025 entrevistas com maiores de 16 anos nas cidades de São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Porto Alegre, Salvador, Recife, Fortaleza, Belém, Manaus, Porto Velho e Goiânia.