segunda-feira, 2 de fevereiro de 2015

DESCONTROLE DIVINO

Há quem diga, e são muitos, que Deus está no controle de tudo e que fez tudo perfeito. Normal, também achei que fosse assim nos tempos em que me dedicava à fé em Jesus. Durante 33 anos minha vida era entre os que também criam. Portanto, nos alimentávamos uns aos outros com as mesmas ideias. Não havia o contraditório. Passada a dedicação quase que absoluta, esquecendo-me de mim mesmo, eis que o óbvio passou a ser vislumbrado por esta mente inquieta. Algumas leituras, bons papos com pessoas fora do meio cristão e muita meditação ajudaram.

No momento em que decidi romper com isso, dada a frustração pela distância entre o crido e o vivido, entre o lido e o presenciado, entre um Deus presente e o ausente, a mente viu-se livre para questionar. As questões se avolumaram e acabaram por concretizarem-se em convicções. Uma delas divido com os leitores, que contrapõe-se ao dito controle divino de tudo.

A natureza impôs à mulher ovular uma vez a cada 28 dias, mais ou menos. Passada a gestação ovula novamente. Isso começa, em geral aos 12 anos e termina aos 50 com a menopausa. Minha avó paterna teve seu caçula aos 52 anos. Bem, esse Deus que controla tudo determinou à mulher que fosse mãe aos 12 ou 13 anos e passasse a vida parindo um filho por ano. Em média seria, segundo a Natureza, 38 filhos, pelo menos.

Ao homem essa mesma natureza impôs a produção de milhões de espermatozoides diariamente. O homem pode fecundar duas ou três mulheres por dia. Isso mesmo! Além disso, são milhões dessas células para um fecundar.

Onde está a perfeição e o controle? Ora, não te parece óbvio que se Ele estivesse no controle o homem ejacularia apenas um espermatozoide à mesma época da fertilidade da mulher? Da mesma forma a mulher estaria fértil algumas vezes na vida. Sim, seria exatamente assim. O restante do tempo seria o prazer, digamos.

O que vemos é o absurdo descontrole. Tanto que homens e mulheres totalmente despreparados geram sua prole e a deixam abandonadas por aí. Houvesse um Deus sábio, cuidadoso e amoroso seres humanos viriam ao mundo em contextos muitíssimos diferentes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário