sexta-feira, 23 de janeiro de 2015

BURRICE REPRODUZIDA IN VITRO

Religiosos ridicularizam-me diante de algumas coisas que digo. Fazem-no em nome da defesa de sua fé, obviamente. Alguns dizem rir. Ou seja, mentem. Mas vamos aos fatos. Numa das minhas postagens no Facebook mencionei a fertilização in vitro, ainda mais no caso de sêxtuplos, como exemplo de que as pessoas não estão neste mundo por providência divina. Em seu argumento o sujeito disse que "Deus dá sabedoria aos homens para realizarem" coisas como a fertilização in vitro.

Bem, às vezes é preciso o escárnio, já que o dono da tolice chega ao ponto de não merecer respeito.

Se Ele deu a sabedoria (melhor seria a palavra 'conhecimento'), deu também a burrice. Ou, pior, sendo a burrice um estado natural escolheu dar conhecimento só para alguns. O fato é que se dá é porque não tem. Ora, Ele não dá estômago porque está em nossa constituição ter um! Ainda mais aterrador, escolheu poucos para usufruírem do conhecimento que teria dado para uns poucos, fazendo a vasta maioria das pessoas não terem conhecimento e nem acesso a essa tal vantagem.

O argumento do sujeito é tão forte quanto bejú na chuva... Esquece, por óbvio, que nenhuma descoberta científica acontece por mero acaso. Mesmo aquelas tidas por acaso o cientista estava em pesquisa, estava atrás de alguma coisa e, portanto, detinha um certo grau de conhecimento. Todas se dão a partir de conhecimentos prévios, passados de geração em geração, acumulados ao longo do tempo pelas sociedades, guardadas em livros nas escolas e bibliotecas. Por exemplo, a partir da energia elétrica e do uso do vapor em máquinas houve uma explosão de conhecimentos. Crescemos mais cientificamente em 100 anos que em mais de um milhão de anos desde nossos antepassados hominídeos.

Esse Deus, de que fala o sujeito, é um ser bem seletivo em se tratando de dar benefícios. E, ao invés de simplesmente propiciar a fecundação, por exemplo, gera um esforço enorme, com alto custo financeiro e emocional para os pais. Doloroso ver pais apegando-se à fé e crenças para terem o que só a ciência pode dar, quando dá.

O fato irretocável é da perversão de coisas evidentes pela necessidade de acreditar em alguma coisa além de si e desta vida. Essas limitações são mantidas por mentes medrosas ao extremo e que ousam fazer defesa em assuntos para os quais não têm a menor condição.

Na boa, fiquem com Ele. A mim não me serve um ser que age dessa forma!

Nenhum comentário:

Postar um comentário