quinta-feira, 21 de março de 2013

O MIOJO DO ENEM

Os textos foram surgindo conforme fui lendo aqui e acolá. Então, seguem postagens que fiz no Facebook com o viés do ensino, da escolaridade e, enfim, da educação, começando por este do G1: Brasil tem a menor média de anos de estudos da América do Sul, diz Pnud. Adulto estuda em média 7,2 anos; MEC contesta e diz que média é 7,4. ONU divulgou dados do Índice de Desenvolvimento Humano nesta quinta.

Contudo, me chamou a atenção o comentário de Marcelo Rovaris Jorge: "A pergunta é, a quem interessa a desmoralização do ENEM???" Sobre isso comento após as postagens.

  • “Rasoavel”, “enchergar”, “trousse”. Esses são alguns dos erros de grafia encontrados em redações que receberam nota 1.000 no Exame Nacional de Ensino Médio 2012 (Enem). Durante um mês, O GLOBO recebeu mais de 30 textos enviados por candidatos que atingiram a pontuação máxima, com a comprovação das notas pelo Ministério da Educação (MEC) e a confirmação pelas universidades federais em que os estudantes foram aprovados. Além desses absurdos na língua portuguesa, várias redações continham graves problemas de concordância verbal, acentuação e pontuação. (O Globo)
  • E um rapaz coloca uma receita de Miojo em meio a um texto de prova do Enem sobre imigração ilegal, tira 560 de 1.000 pontos, e fica famoso!
  • De Gisele Federizzi Barcellos: "Pois é, pois é, pois é! inseri uma receita de bolo num trabalho de filosofia, de segundo grau. E recebi 10. Mostrei pro Professor e ele falou que o professor lê a introdução e a conclusão e dá a nota, não lê tudo porque tem muitos alunos..."
  • A Câmara dos Deputados analisa o Projeto de Lei 4870/12, que permite a estudantes maiores de 16 anos de idade, aprovados em processo seletivo para universidades públicas, ingressar na graduação, mesmo que não tenham terminado o ensino médio. A condição prevista pelo texto do deputado Gonzaga Patriota (PSB-PE) é a conclusão do segundo ano. (UOL)

Diante do exposto volto ao Marcelo. Se há alguém desmoralizando o ENEM é o próprio governo do PT ao deixar passar coisas absurdas. Contudo, diante do volume de provas o que vem à tona é mínimo. O que se pode supor é que muito mais poderia aparecer. Bem, o fato é que, com ou sem ENEM, o ensino no país é de péssima qualidade. Se quer está a altura do que era no Regime Militar. Perdemos o bonde da História, perdemos respeito pelos professores, perdemos disciplina dentro da sala de aula, perdemos, perdemos, perdemos...

Nenhum comentário:

Postar um comentário