quinta-feira, 5 de janeiro de 2017

PERGUNTAS SEM FÉ PARA RESPONDE-LAS

Te agradeço imensamente a disposição de ler tão mal traçadas linhas.

Para começar uma observação.

Na criação do homem (Gênesis) Deus o fez sem aparelho reprodutor. Talvez sem o próprio pênis. Sim, Ele o fez para viver só. Então não havia necessidade de testículos e próstata, por exemplo. Eis que, de forma surpreendente, o Soberano percebeu que tinha errado. Ele percebe que os animais em pares estavam melhores que o homem só. A mulher é, assim, criada a partir da necessidade do homem: “Não é bom que o homem esteja só”. Enfim, Deus não tinha pensado na mulher quando planejou este mundo. E também não tinha planejado que houvesse humanidade, civilização, povos e todo e qualquer ajuntamento de pessoas. As religiões são, portanto, resultado de um remendo divino, não de Seu plano original. Por fim, ‘’conhecer o bem e o mal’’ é uma punição à desobediência do casal, quando deveria ser a virtude. Mais uma do plano original, sermos como bestas, sem capacidade de análise e sem livre arbítrio. Sem contar que não houve chance do arrependimento. A hereditariedade da punição é algo espantoso, não achas?

Sigamos, pois!

Interessante que na Lei se o marido morresse sem filhos seu irmão deveria transar com a cunhada até que gerasse um descendente para o falecido. Em a mulher morrendo nada em relação a perpetuar-se. O Deus judaico/cristão teve essa maravilhosa ideia para depois decidir que temos alma e não precisamos de filhos para nos perpetuarmos. Ou seja, mudou o método e o quê salvar, incluindo a mulher (subentende-se, ao menos).
- Como você entende o fato de na Torah (Pentateuco na tradução Vulgata) não haver Céu, nem Inferno, e a perpetuação do fiel se dá tendo filhos?
- Notaste que as mulheres não tinham esse privilégio?

Há coisas interessantes a serem observadas. Por exemplo, em 2 Timóteo 3:16 diz "Toda a Escritura é divinamente inspirada, e proveitosa para ensinar, para redarguir, para corrigir, para instruir em justiça". E, mais, este verso refere-se ao VT o qual classifica a mulher como impura por 33 dias se der à luz homem e 66 dias impura se mulher. Ora, você contaminou sua mãe o dobro que eu à minha. Na mesma linha o rei Davi fala “Lâmpada para os meus pés...”, referindo-se ao que dispunha: somente a Lei mosaica.
- Afinal, quem determina, e como, a parte a ser seguida desse livro?
- Se o NT remete ao poder do VT, porque não o sigamos por completo?
- Ora, se a Bíblia (toda) é apta para tudo isso, porque orar e depender do Espírito Santo?

Fé e Revelação. A fé é tão pessoal que posso crer que, de fato, o que me ocorreu é a mais absoluta verdade sem sê-lo. Assim se sustentam as mais variadas crenças. Krishna é cultuado há mais de 5 mil anos. E alguma coisa de bom deve haver nisso, senão o povo já teria descartado-o.
- Como a verdade divina pode ser submetida a impressões pessoais?
- Resta alguma dúvida que há limitações cognitivas para entender-se um texto? Um ser com deficiência mental ou Síndrome de Down fica como? Sem falar dos analfabetos...
- Um analfabeto funcional entenderá perfeitamente a Bíblia?
- Como terei certeza de que o que veio à minha mente, depois de orar e pedir que o ES me ilumine, é a verdade?

- A Bíblia é suficiente em si mesma?
- Não dependo de informações externas para entende-la?

Vamos ao exemplo de Enoque. De tão correto foi arrebatado. Não dispunha de nenhum livro, não tinha a Lei e muito menos uma religião formatada para orienta-lo.
- Eu poderia me salvar sem saber de nada da Bíblia?

Se dependemos apenas de fé, oração e deixar o Espírito Santo falar...
- Por que de reuniões nas quais outros seres humanos interpretam os textos e ensinam?
- Na tua igreja há espaço para quem não quer guardar o Sábado?

Tendo em vista que você, Manuela, provavelmente creria em Shiva e Ganesh, se nascesse na Índia, ou em Alá, se nascesse na Palestina, você crê em Jesus porque nasceu num país eminentemente cristão. Pela tua lógica Ele não falará comigo antes da fé e o ES também não me revelará nada.
- Supondo que eu não tenha a tal fé. Como tê-la?
- Você tem fé ou acostumou-se à ideia que te foi apresentada?

Um fato, ao vermos o mapa geopolítico das religiões, que TODAS cresceram e se fortaleceram porque tinham ao seu lado o poder bélico do Estado. Uma das maiores expansões do cristianismo na Europa se deu com Carlos Magno, que reinou 768 a 28 de janeiro de 814 (morte), através do uso da espada, e quem não se convertesse morria. Na Constituição do Império Dom Pedro II tinha que defender o cristianismo católico. A Constituição da Argentina, ainda hoje, tem no catolicismo a religião oficial.
- Você notou que todas as religiões, inclusive o cristianismo, precisaram do poder do Estado para crescer?
- Você, nem ninguém, pode falar abertamente de Jesus no Paquistão. O poder de Jeová não está acima da Lei humana?

O que me chama a atenção é que a Bíblia que temos foi escolha de bispos no Concílio de Nicéa, ano 325 dC, sob convocação do imperador Constantino. Os mesmos que determinaram o exílio e morte de quem pensava diferente deles. Sim, é razoável pensar sobre o risco que Deus correu ao dar o livre arbítrio ao homem e dele depender como filtro para escrever, compilar, conservar os manuscritos e traduzir Sua verdade. Ao acreditar na Bíblia também tenho que depositar absoluta confiança em homens que, sequer conheci, em todo esse processo. “Maldito o homem que confia no homem...”
- Como saber que o que restou (o NT), diante de centenas de textos da época, é o que Deus queria?
- Tinham o livre arbítrio para escolher?
- Notaste os textos no NT que mandam aceitar o poder terreno sem questionamentos? Muito apropriado a um imperador...

E essa dependência da fé... Daí alguém diverge do teu pensamento, ou da tua igreja, e não teve a fé necessária para entender tudo porque TU TENS A FÉ VERDADEIRA. Que razão há para não supor o contrário? Por exemplo, a forma correta de entender a Bíblia pode ser dos Testemunhas de Jeová. Ou, pior, o Alcorão é o caminho e você foi enganada.
- Afinal, como poderemos saber se o Espírito Santo não teria revelado a eles?

No Grego Koiné há tempos verbais como o Aoristo e três tipos de gerúndio que são intraduzíveis para nosso idioma. Há ainda quatro tipos de preposições “em” (em cima, à volta, em baixo, dentro) e dois tipos de “não”, um “não”não permitindo em hipótese alguma e o outro estabelecendo a possibilidade do sim. (Ex.: “Não julgueis para que não sejais julgados”. Sabes que “não” é esse?). No caso do Hebraico (sem as vogais) e Aramaico são ainda mais complexos.
- Posso confiar na tradução para o Português? Ela também foi inspirada pelo ES?
- E como ficam as partes intraduzíveis?

Jesus não deixou um texto sequer. O único que diz ter feito pesquisas foi Lucas, o médico. Os manuscritos mais antigos, com razoável conservação, datam de mais de 125 anos após os fatos descritos. O apóstolo Paulo, por exemplo, sequer dispôs dos evangelhos como os conhecemos. Nem João na ilha de Patmos. Ou seja, só temos cópias de cópias de cópias... Além do mais difícil: até Guttenberg inventar a imprensa em 1513, os textos eram para uns pouquíssimos, inacessíveis. E SÓ SE POPULARIZOU EM MEADOS DO SÉCULO 20. Que Deus estranho que não optou por revelar tudo individualmente, sem deixar dúvidas. Preferiu terceirizar.
- Como fica o que disseste “que devemos estudar as escrituras por nós mesmos. Quem quer a verdade deve pedir ao Pai (com fé) e obterá como está escrito...” sem ter acesso ao texto como muitas culturas que ainda não tiveram tradução?
- Se Lucas fez pesquisa não foi inspirado?
- O mesmo “poder” que os fez chagar até nós em fragmentos e cópias de cópias, não poderia tê-lo feito em absoluto estado de conservação, mantendo exatamente os originais e não permitido que surgissem os tais apócrifos?

Ora, estou vivendo minha vidinha, nada sei de Jesus, desconheço a existência da Bíblia, e Ele não pode falar comigo porque não tenho a fé e nunca ouvi que precisava ter a tal fé... (desculpe, neste ponto meu nível de ironia está bem elevado)
- Em sendo Deus absoluto, sem limitações, o que o impede de dizer a nós o que quer sem ao menos crermos que seja possível?
- Se Ele depende de nossa fé para nos dizer algo, significa que a descrença é uma barreira para Ele. O teu Deus tem barreiras?
- Passei minha vida sabendo apenas do Deus errado porque o mundo onde nasci desconhece o verdadeiro. Serei culpado por isso?

Imagino que Deus seja absoluto em si mesmo, bastando-se a si mesmo, ou, suponho, não seria Deus. Em havendo alguma vontade haverá igualmente alguma carência. Se Deus tem vontade tem carência, precisa do objeto de sua vontade para que se sinta satisfeito. A existência de bíblias e seus intérpretes é para mim a terceirização daquilo que ele quer: fazer sua verdade chegar ao homem. O que lhe impede (e a minha falta de fé não pode ser barreira ao Todo Poderoso, ou não será Todo Poderoso) de dizer exatamente o que quer a todos os seres humanos, em todos os lugares e em todos os tempos? Ele não fez nada disso até o momento...
- Assim, como imaginar que Ele, absoluto e de nada carente, precisa de intermediários para se aproximar do homem que ELE criou?
- O uso de intermediários foi uma decisão Dele, tanto que se aproximou de alguns. Então quem se afastou de quem?
- Como você vê o fato de Deus precisar de meios humanos para nos falar?

Deus nos criou para quê? Para sua glória? Volta o ponto de não ser carente de nada. Para nos sujarmos neste mundo e, assim, poder nos salvar? Estranho! Lembre-se que o plano original era de apenas um humano, Adão.

Vamos ao todo do processo divino segundo a Bíblia:

1. Criou apenas um ser humano, Adão.

2. Criou uma árvore como tropeço (poderia não fazê-lo);

3. Expulsou sem direito ao arrependimento;

4. Tornou a condenação hereditária indefinidamente;

5. Criou um povo, excluindo os demais de terem uma relação com Ele;

6. Resolveu falar com uns poucos selecionados para que estes falassem aos demais;

7. Criou um sistema de leis que não deu certo e enviou um Salvador (o meio atrapalhou o fim?);

8. Criou um novo compêndio de textos selecionados por homens;

9. Mas estes textos precisam que o ES atue para interpreta-los. Atuação restrita à atividade mental do indivíduo;

10. Você precisa pedir a Ele que te revele o que escreveu no livro. Ou seja, o livro por si só não ensina o caminho;

11. Sua ‘’verdade” é entregue em gotas, paulatinamente, ao longo de séculos e necessita da edição constante de novos livros para tornar este seu livro acessível;

12. Esse salvador depende de humanos para ser conhecido e leva 1.500 anos para chegar à América, por exemplo, e quando chega é através do catolicismo e demora mais 400 anos para que protestantes atuem efetivamente no Brasil;

13. Protestantes queimam mulheres acusadas de bruxaria nos EUA no século 18 e deixam de fazê-lo porque a Lei humana os impede (exemplo de fé);

14. O livro, com este salvador, depende de instituições humanas para ser preservado, traduzido, impresso e distribuído, mesmo que não haja qualquer orientação para tal em seu próprio livro;

15. Se Jesus entregou sua mensagem apenas oralmente, por que sua retransmissão deve ser impressa e ainda gera divergências? E, por gerar divergências, a fé (ato pessoal e intransferível) torna-se insipiente como resposta.



Um comentário: