sexta-feira, 7 de outubro de 2016

IMPASSE: SANTA CATARINA E PREFEITURA

É certo que a vasta maioria dos que se interessam pelo assunto quer o ISEV fora do Hospital Materno-Infantil Santa Catarina. Sou contra e digo o porquê: Se a prefeitura assumir agora o HMISC sua despesa aumenta em cerca de R$500 mil por mês.

O Isev contrata empresa de médicos e a prefeitura teria que contratá-los individualmente. Lembro aos amigos que médicos que foram demitidos, quando o instituto assumiu, ganhavam até R$40 mil por mês. Por isso aquele berreiro com denúncias de todo o tipo. Como gestor, no lugar do prefeito, com a receita no aperto que é, você traria ao erário esse peso? Eu não. Além disso, Márcio Búrigo colocaria agora o hospital nas mãos de outra empresa para que Clésio Salvaro rescinda o contrato em Janeiro e o acuse de mal-feito? Sim, Salvaro faria mesmo que fosse o melhor para o cidadão.

Em relação à qualidade do atendimento há alguma dúvida que se estiver nas mãos da iniciativa privada é melhor? Eu não tenho. Quem quer que o poder público administre qualquer coisa é sindicalista, pois acabam dominando e usufruindo da pasmaceira dos servidores públicos absolutamente focados nos seus salários, intocáveis, e pouco importando-se com um bom atendimento. Sindicato é braço de partido político de Esquerda. Somente o medo de demissão, ou um forte senso moral, para que haja um mínimo de dedicação ao serviço público.

E, os fatos mostram que o medo do desemprego faz muito bem à prestação de qualquer serviço.

Nenhum comentário:

Postar um comentário