terça-feira, 27 de setembro de 2016

MAÇONARIA, ASSEMBLÉIA DE DEUS E ELEIÇÕES

Onde estão essas instituições em Criciúma?

Em 2011, a estourar denuncias de corrupção em nível nacional fomos para as ruas e a Maçonaria local fez bonito. Trouxe muita gente para a Centenário. Em seguida surgem denúncias contra Clésio Salvaro e o caso das lajotas. Maçonaria se cala. Desde 2015 cresceu a presença dessa organização no combate ao governo Dilma/PT em várias páginas de Facebook. Mais uma vez aqui se calam e seu silêncio abona uma candidatura forjada, alimentada, instrumentalizada no descaminho.

Espero, um dia, entender porque a Maçonaria trata a corrupção com pesos e medidas diferentes em Criciúma. Ou, não tratam, apenas alimentam-se.

Quanto à Assembléia de Deus, essa igreja que prega "santidade ao Senhor", não se insurge com seus milhares de cabos eleitorais, contra a corrupção local, somente contra a de Brasília. O ápice da bestialidade em nome de Jesus chama-se Geovania de Sá, além de candidatos a vereador. A leniência dessa igreja quanto à corrupção e mau-feitos é de fazer vomitar qualquer um que tenha um pingo de decência. Seus seguidores não fazem a menor ideia do que estão fazendo. Mas seus líderes sabem. Seus líderes andam de braços dados com o que condenam nos púlpitos.

Notem a diferença. Em 1977 meus pais foram expulsos da Assembléia de Deus porque tínhamos uma TV em casa. Durante anos vi muita gente ser disciplinada e expulsa pela mesma razão. Um dos casos mais assustadores que presenciei, mesmo já fora dessa agremiação, foi de um rapaz disciplinado porque parou para ver cartazes de cinema. Olhe onde está essa igreja agora? Na TV e na política.

Ora, não há surpresa alguma em aceitarem que um candidato ficha suja adentre suas portas e seja recebido com honrarias. Eu tenho nojo dessa gente que escolhe qual demônio é menos infernal! São tão moralmente porcos que não são capazes de colocar o seu Deus e a sua fé acima da política.

Nenhum comentário:

Postar um comentário