sexta-feira, 1 de janeiro de 2016

PREVIDÊNCIA E PREVISÃO

O déficit do INSS, de janeiro a novembro de 2015, chegou a R$ 88,86 bilhões. Ou seja, esse dinheiro representa um saldo negativo entre o que o Instituto arrecada e o que tem que pagar com custeio, funcionários, investimentos, aposentadorias e benefícios. E a tendência é piorar com o envelhecimento da população. Assim, óbvio, um dia haverá mais beneficiários que contribuintes.

Há alguma solução para um equilíbrio e esses R$ 88,86 bilhões serem usados em infra-estrutura, por exemplo?

Na minha modesta visão o preço a ser pago é ainda mais alto. Não há razão alguma para governo ter previdência. Não é sua função. Cada um que cuide de seu futuro, afinal, temos uma vida para nos proteger das dificuldades advindas da idade. Assim, é a sociedade que deve prover suas formas. Hoje temos muitas alternativas na iniciativa privada. Sim, essa mesma que visa lucro. Ora, sem lucro, sem serviço. Portanto, a única saída é o fechamento do INSS. Os novos cidadãos que procurem no mercado ou façam suas economias.

O preço a ser pago é altíssimo, mas em 25 ou 30 anos estará absolutamente resolvido. Assim tivessem feito há 25 ou 30 anos e não estaríamos pagando essa conta absurda. Ou, nem era para ter INSS. Mas o populismo faz essas bobagens!


Um comentário:

  1. Bah, tchê.... Imaginas quanta roubalheira e injustiça poderia ser evitada!!! Isso, sim, é um assunto que precisamos trazer à baila e fazermos um grande e sério debate com toda a sociedade e encontrarmos outras formas de garantirmos as nossas velhices. Aqui na previdência dos servidores içarenses (IÇARAPREV), também estamos com problemas, tchê! Problemas estes, nascidos lá no passado por atitudes populistas de gestores que, cônscios de que nenhuma punição lhes alcançaria, deixaram, deixam e deixarão o pepino no c* dos servidores e, em última instância, no da sociedade que é quem paga tudo isso, tchê!!!Abraços.

    ResponderExcluir