quinta-feira, 6 de junho de 2013

SUPERMERCADO ANGELONI ACUSADO DE CRIME AMBIENTAL

(Atualizado em 11/06, às 8h12: foto e texto no final)

Por tratar-se de uma das maiores empresas do Brasil, o Supermercados Angeloni, como as de seu porte, costumam ter assessorias de imprensa de escritórios de centros como São Paulo. Portanto, enviei mensagem pelo site da rede, tarde da noite dessa terça-feira, para que ouvisse sua versão sobre os fatos abaixo narrados. Não tendo recebido qualquer retorno repasso resumidamente aos leitores o teor principal da denúncia contra o Angeloni. Além disso, a Fancri, em meio à greve dos servidores, está sem atender ao telefone. Portanto, assim que houver alguma nova manifestação em relação a este assunto esta postagem será atualizada.

É sabido que será construído um mega empreendimento no bairro Nossa Senhora da Salete, onde está a administração central do Angeloni. Nessa área, além da administração (na avenida Centenário), estão a Casa do Baile e um posto de gasolina (acessíveis pela avenida Jorge De Lucca) da holding.

Sem demérito algum ao empreendimento de um novo shopping e toda a riqueza que pode trazer à cidade, há leis ambientais a serem observadas para bem do futuro.

Consta dos documentos a mim enviados que há supressão de mata ciliar e vegetação aquática em duas nascentes já catalogadas pela Fancri sob os registros ULDN035 e ULDN036. As imagens colhidas do local, via Google Earth, de 2008 para cá mostram claramente a mudança do local. A situação atual está na imagem abaixo.

Na minha avaliação o Angeloni não seria tão desleixado a ponto de cometer uma ilicitude tão descarada, tão facilmente detectável. Entretanto, a possibilidade existe já temos exemplos aos montes.

A denúncia está na 9ª Promotoria Pública de Justiça de Criciúma.


Abaixo a foto de 2008 onde se vê boa parte de mata.


O EIA (Estudo de Impacto Ambiental) e o EIV (Estudo de Impacto de Vizinhança) não foram feitos até o momento.

Nenhum comentário:

Postar um comentário