Guinzani banner

Guinzani
  • Recentes

    O CRONOGRAMA DA BANDIDAGEM EM IÇARA

    A maracutaia engendrada por Gentil da Luz e seus asseclas na prefeitura de Içara, segundo publicação no Canal Içara, estão em 17 situações captadas através de interceptações telefônicas, com o seguinte resumo:

    CASO 1: O proprietário de um estabelecimento de materiais de construção, depois de receber R$ 19 mil da Prefeitura Municipal de Içara, recebe pedido e autoriza entregar para a secretária de Finanças o valor de R$ 1 mil.

    CASO 2: A secretária de Finanças libera pagamentos para empresa e solicita R$ 2 mil a vereador, valor que foi entregue por empresário que executou as obras.

    CASO 3: A secretária de Finanças com funcionária do Controle Interno combinam com o proprietário de restaurante em consignar valor à maior em notas para empenho.

    CASO 4: Publicitário adquiri terreno urbano em Criciúma, supostamente com dinheiro recebido de agente público. Os áudios apontam que ele espera dinheiro da Prefeitura para pagar as últimas despesas referentes a aquisição.

    CASO 5: No início do mês de junho /2012, após pagamento de uma nota de empreiteira de mão de obra, a secretária de Finanças pega dinheiro com responsável pela empresa e no dia seguinte entrega dinheiro para integrante do PMDB.

    CASO 6: Trata-se da principal sangria de dinheiro público apurado nos autos. Apurou-se que a Prefeitura Municipal de Içara tinha uma divida com uma factoring de Criciúma, que estava sendo pago ao longo dos meses com dinheiro público.

    CASO 7: A secretária de Finanças telefona para empresário em empresa de obras e pede R$ 5 mil do pagamento que viabilizará para a empresa e o empresário informa que precisará fazer uma nota de R$ 20 mil pelo menos.

    CASO 8: A secretária de Finanças novamente telefona para empresário e pede R$ 1 mil, valor que foi entregue em mãos na frente do banco Itaú, em Içara.

    CASO 9: Prefeito solicita que secretária de Finanças viabilize com empresa R$ 50 mil para entrega ao presidente do PMDB.

    CASO 10: A secretária de Finanças, através de dinheiro fruto de notas fiscais emprestadas, viabiliza pagamento de R$ 2,5 mil para presidente da Liga Atlética Içarense.

    CASO 11: Em 3 de janeiro, empresário compareceu na agência do Banco do Brasil de Içara acompanhado de uma empresária para sacar um cheque da Prefeitura Municipal no valor de R$ 219 mil , referente ao pagamento de evento em comemoração aos 50 anos, sendo que mais da metade desse valor foi entregue em espécie para a secretária de Finanças.

    CASO 12: Presidente da JPMDB conversa com o prefeito e recebeu promessa de receber R$ 20 mil para completar orçamento para troca da fiação elétrica de uma escola estadual para fins de viabilizar a instalação de aparelhos de ar condicionado.

    CASO13: O prefeito autoriza calceteiro para assentar lajotas no pátio do Posto de Saúde da Zona Sul do Balneário Rincão, cujo pagamento de R$ 6 mil iria viabilizar com procedimento licitatório futuro.

    CASO 14: Diretor do Samae confirma depósito na conta de empreiteira de mão de obra, entrega cheque para secretária de Finanças, que posteriormente entrega o cheque para comprador da Prefeitura na agência do Banco do Brasil no bairro Rio Maina.

    CASO 15: Empreiteira de mão de obra em 15 de junho de 2012 deposita R$ 20 mil na conta de integrante do setor de Compras e entrega para candidato a vereador que, por vez, encontra-se com familiar do prefeito.

    CASO 16: A secretária de Finanças e funcionária do departamento de Compras da Secretaria Municipal de Saúde tenta corromper estabelecimento de mercado que fornece pão para a merenda escolar.

    CASO 17: A secretária de Finanças pede que empresário traga nota fiscal de R$ 16,2 mil foi contabilizada e o valor depositado na conta da empresa e posteriormente entregue para a secretária de Finanças.

    Nenhum comentário

    Post Top Ad

    Post Bottom Ad