Guinzani banner

Guinzani
  • Recentes

    MORAL, ÉTICA E MORALISMO

    O que é moral ou ética? O que é moralismo? O que seria o falso moralista ou a ''moral de cueca''? A impressão que tenho é de não irem além de conceitos absolutamente vagos para a maioria das pessoas, não passando de ''força de expressão''. Digo isso porque o contexto em que são usadas não fazem jus ao significado das palavras.

    Então vamos aos seus significados, sem querer, nem poder, explorar a etimologia de cada uma, mas de forma superficial fazer um distinção clara entre elas. Coisa que julgo útil.

    Ética é o conjunto de normas, sobre o que é certo ou errado, que uma sociedade constrói ao longo de sua existência. Portanto, além de ser algo dinâmico e mutável difere de sociedade para sociedade e mesmo regras gerais e tidas como absolutas agora, nem sempre foram em todos os tempos. Matar é errado sim, mas já foi motivo de orgulho entre guerreiros Incas, por exemplo. Um homem que não havia matado um sequer dificilmente teria uma mulher para casar. As famílias não permitiam. Entre tribos da Nova Guiné, até meados do século passado, a morte por traição era objeto de verdadeiro culto, algo louvável e sacralizado. Comiam os traídos para incorporarem suas virtudes.

    A ética não tem relação direta com uma filosofia ou ideologia, mas estas advém daquela e fazem parte das muitas construções sociais ao longo dos séculos. O que se vê, via de regra, é o alcance limitado da população ao não perceber que nada do que temos agora é perene, imutável, vindo de transformações milenares. Tudo passou por mutações das mais variadas e sofreu com influências, inclusive do clima ou geografia, por incrível que possa parecer.

    Paralelamente temos a etiqueta: uma pequena ética. Hoje têm-se a ideia de que etiqueta refere-se ao comportamento numa recepção, à mesa. Porém, qualquer esporte ou trabalho tem sua etiqueta. Suas regras de comportamento, inclusive na linguagem como se vê nos tribunais.

    Moral é a prática individual dessa ética. Dentro da sociedade o sujeito pratica, total ou parcialmente, o conjunto de normas que essa sociedade tem e assim desenvolve sua própria moral. Todos têm uma moral, mesmo o mais vil dos criminosos. A expressão ''não tem moral para isso'', a despeito de ser correta, também é usada sem consciência clara. Ela diz que o sujeito não pode arrazoar sobre um assunto porque sua prática não condiz. Porém, eu creio ser possível a um assassino falar do valor da vida, ou um assaltante de que é lutar pelo que se deseja. Entendo que a moral individual jamais será absoluta como referência, já que deslizes todos temos e é uma visão baseada em gostos e experiências pessoais. Um dos exemplos é o fato de julgarmos e ser senso comum que o casamento tem suas regras. Entretanto, relacionamentos paralelos ocorrem e nem por isso todos que o fazem deixam seus casamentos. Pelo contrário, alguns subsistem justamente porque há um ''escape'' sexual, quando depender apenas de uma pessoa seria insuportável. As vivências são assimiladas ao ponto de mudarem a ética paulatina e conflitantemente.

    Imoral vem a ser o comportamento em desacordo com o aceito socialmente, é romper com a ética.

    O moralismo, como tudo que tem o sufixo ''ismo'', enseja também um conjunto de ideias. Cristianismo é  um conjunto de ideias que caracterizam o cristão, seu praticante, por exemplo. Por sua vez, moralismo seria a pregão de uma moralidade. É o comportamento dado como exemplo. O moralista diz: é assim que você deve agir e até mesmo pensar sobre um tema específico. Notadamente a diferença entre o uso da Burca no Islão e silvícolas que andam nus.

    Não cabe a mim, nem a você, determinar o que seja moral ou ético. Mesmo que o fizéssemos partiríamos de princípios recebidos anteriormente. O máximo a ser dito é que podemos e devemos antever quais comportamentos podem gerar mais, ou menos, conflitos. Quais seriam mais maléficos ao conjunto das pessoas. Que comportamentos ensejam mais riscos, como no caso da gravidez entre adolescentes, por exemplo. Isso é da dinâmica da sociedade e é assim que devemos co-existir com as diferenças.

    Um comentário:

    1. Muito bem colocado André!
      Uma pena que quem precisa ler, não o faz....

      ResponderExcluir

    Post Top Ad

    Post Bottom Ad